sábado, 1 de agosto de 2015

Variadas razões para o Festival de Teatro da Fetaerj estar em Rio Bonito

Flávio Azevedo 
Eu disse no programa Flávio Azevedo, no último dia 30 de julho, que a Prefeitura de Rio Bonito merece ser cumprimentada pela presença do Festival de Teatro da Federação de Teatro Associativo do Estado do Rio de Janeiro (Fetaerj) em nossa cidade. Todavia, não há como negar que precisamos agradecer ao nosso ícone cultural do momento, Zeca Novais, por esse feito. Sim, indiretamente, Zeca Novais é responsável pela presença do festival por aqui. Embora alguns não queiram entender o meu ponto de vista por que tem má vontade com o comandante do Lona na Lua, eu explicarei o meu ponto de vista.

Ninguém vai conseguir me convencer que o abraço da Prefeitura ao festival é uma tentativa de responder as críticas do Zeca e de outras pessoas ao setor cultural, que sim, não é tratado com o devido respeito (isso se arrasta há muitos anos). O curioso é que as administrações se revezam no poder, se criticam, buscam expor as falhas um do outro, mas repetem os erros que os tornam adversários e iguais: não enxergam a Cultura como política pública. Ao longo desse tempo, o que vemos é promoção de manifestações artísticas (shows, festas, construção de espaços que acabam sendo mal aproveitados).

Na qualidade de jornalista, eu estou cobrindo o Festival de Teatro da Fetaerj, assisti aos espetáculos que foram possíveis, só tenho elogios, mas não vou ficar aqui fazendo comentários "bajulosos" e "puxasaquistas" à gestão municipal, que não está fazendo nenhum favor. Pelo contrário, está apenas, o que é raro, fazendo o seu papel (e está até bem feito). Que tenham aprendido, os representantes do poder público municipal, o potencial de oportunidades que a Cultura pode oferecer ao comércio local, ao setor turístico, a rede hoteleira, ao setor gastronômico etc.

O agradecimento ao Zeca Novais se dá pela oportunidade acertada que a gestão municipal vislumbrou de responder as suas críticas. Todavia, a minha declaração não tem o objetivo de ignorar os demais personagens que transitam no setor cultural da nossa cidade, que conta com destaques como Juka Goulart, Rai Ribeiro, Sheila Sá, Felipe Castro, Daniel Alvarenga, Guilherme Class, Dawson Nascimento, Marcelo Kaus, Sandro Silveira, Anderson Aguiar (falecido prematuramente), Marllon Lopes, Felipe Carvalho, Lucas Madureira, Victor Hugo, Wagner Taveira, Xico Vieira, Leandro Prado, Anita Fabbreschi, Vitor Paulo, Rafael Xavier, Sandrho Almeida, Larissa Moraes, César Augusto, Guilherme Cardoso, Andrezinho Shock, Guto Prevot, Reinaldo Silva, André Cardoso, entre outros que através de suas provocações, pensamentos e ativismo; forçam o poder público fazer o pouco que faz pelo setor cultural.

Todavia, muitos desses nomes surgem a partir do ativismo e luta de figuras (muitos deles já não estão mais entre nós) que ali atrás iniciaram esse movimento. Estou falando de gente do quilate de Leir Moraes, Gatão, Alfonso Martinez, Carminha Cordeiro, Carlos Alberto Machado, My Boy, Nunu, Seu Dutra, Carlão, Marcos Caridade, Karla Moreno, Luiz Muniz, Mauro Prevot, Suely de Paula, Francisco Azevedo, Alonso Tá Tranquilo, Renato Viana, Luis Odílio, Maurício Badr, Marcelo Badr, Ângelo Longo, Hélio Nogueira e tantos outros que através de mínimas ações colocaram tijolinhos na construção do setor cultural de Rio Bonito.

Percebo algumas pessoas incomodadas pelo destaque que dei ao Zeca Novais como ícone cultural da atualidade; e também a minha classificação de “divisor de águas” ao Projeto Lona na Lua. Mas não há como entender diferente. Aliás, destacar o garoto de Porteirinha não significa que outros personagens não estejam atuando e contribuindo. Não entender dessa maneira é má vontade e querer diminuir o destaque, que não é dado somente pelo jornalista Flávio Azevedo, mas por toda mídia local e pela grande imprensa. Por outro lado, o Zeca erra, se equivoca, é mais visto e mais criticado que os demais; e por estar em evidência ’dá IBOPE’ falar dele (contra ou a favor).

Aproveito a ocasião para cumprimentar o empresário Teilor Cerqueira Gomes, que tem se destacado no apoio a eventos esportivos e culturais que a cidade tem recebido. Acrescento que ele não é meu anunciante, não acredito que seja candidato a algum cargo eletivo; e se destaca por ser um empresário que entende a importância de contribuir através de uma série de ações.

Um comentário:

  1. Todos merecem nossos aplausos, mas o Zeca é Lona na Lua e pronto.

    ResponderExcluir