quinta-feira, 4 de abril de 2013

As “viúvas do atraso” de Rio Bonito

Flávio Azevedo

O Projeto de Lei deve ser posto em votação nessa quinta-feira (04/04).
Na última terça-feira (02/04) chegou a Câmara de Vereadores de Rio Bonito, um Projeto de Lei (PL) do poder Executivo que muda a dinâmica de ação da Guarda Municipal, hoje, uma inútil Guarda Patrimonial. Entre as mudanças está previsto o aumento do poder ostensivo dos guardas; a criação de uma Corregedoria, setor que investigará e punirá desvios de conduta dos referidos servidores; entre outras novidades. Basta lembrar, que, atualmente, os guardas servem apenas como espantalhos no Centro da cidade, já que nada podem fazer diante das inúmeras “bandalhas” que são feitas diuturnamente no Trânsito do município. A criação de estacionamento rotativo, a qualificação dos guardas e uma postura mais severa desses servidores também estão previstos no PL.

As mudanças são almejadas por boa parte da população de Rio Bonito. Entretanto, é possível encontrar na sociedade riobonitense e, sobretudo entre os vereadores, “as viúvas do atraso”. Estamos falando de gente que não concorda com as novidades, critica as mudanças e acrescenta deformidades ao PL, simplesmente por desejar manter o estado de desordem e o caos que impera, principalmente no Centro da cidade, espaço público encarado culturalmente por muitos riobonitenses, como uma extensão do quintal de suas casas.

As “viúvas do atraso”, geralmente usam como argumentação para a sua postura pró-bagunça, a alegação de que os guardas cometerão desvios de conduta, como se nós não tivéssemos tais desvios em outras esferas de poder. Encontramos corrupção no Congresso Nacional, no Senado Federal, no poder Executivo (federal, estadual e municipal); no Ministério Público; nos Tribunais de Justiça; nos parlamentos estaduais e municipais; e não seria diferente nesse setor que está sendo criado.

Nunca é demais lembrar que os agentes públicos investidos de poder em nosso país, não são finlandeses, dinamarqueses, suecos ou noruegueses. Eles são brasileiros e simplesmente passam para o outro lado do balcão. Se eles pegam propina é porque na condição de cidadãos, eles ofereciam propina. Se eles agem inconvenientemente como agente público é porque eles agiam inconvenientemente como cidadãos. Sendo assim, vamos investir em Educação, conscientização e não na manutenção da desordem, como querem as “viúvas do atraso”, que nós percebemos ser o cerne desse estado de coisas que precisa mudar, mas nunca muda.

Está aí a oportunidade de ordenar o município. Está aí a oportunidade de transformar o riobonitense. Está aí a oportunidade de, finalmente, rumarmos para a modernidade. Estacionamento rotativo, Agentes de Trânsito, multa para os desordeiros, isso tudo existe nos municípios de grande, médio e pequeno porte do Estado do Rio de Janeiro e nunca ninguém morreu por conta disso. Na verdade, o que Rio Bonito precisa, e com urgência, é se livrar das “viúvas do atraso”. Eis aí um novo desafio para a nossa sociedade e para as autoridades constituídas, que em muitas oportunidades fazem papel de “viúvas do atraso”.  

Um comentário: