segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Preso tentando se esconder no curral

Flávio Azevedo
Fuga pelo mato chamou atenção dos policiais.
Policiais militares da 3ª CIA (Rio Bonito) seguem trabalhando. Por volta das 14h30min, dessa segunda-feira (25/09) prenderam, Marlo Vitor de Almeida Rodrigues; de 19 anos. Com ele os policiais, Monteiro e Rocha; encontraram 62 capsulas de cocaína (R$ 10,00); 06 capsulas de cocaína (R$ 15,00); 31 capsulas de cocaína (R$ 20,00); 07 capsulas de cocaína (R$ 50,00); 06 trouxinhas de maconha (R$ 10,00) e dinheiro.

Segundo o registro, feito na 119ª DP (Rio Bonito), os policiais faziam patrulhamento de rotina na Av. Antônio Carlos Guadelupe (Via Verde); quando perceberam que um homem, ao ver a viatura, fugiu pelo matagal atrás do haras. Após intensas buscas, os policiais encontraram o fujão atrás do curral com a droga descrito. Depois de ser apresentado para ações protocolares na 119ª DP, o preso, que foi autuado de acordo com o Artigo 33 da Lei 11.343/06 (Lei do Tóxico) e encaminhado a 118ª (Araruama).

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Ladrões da Viçosa deixam recado: “vai continuar”

Flávio Azevedo
Por volta das 20h dessa sexta-feira (22/09), marginais assaltaram duas mulheres no bairro Viçosa, na altura de Três Coqueiros, em Rio Bonito, próximo a passarela da RJ – 124 (ViaLagos). As mulheres, mãe e filha, se dirigiam para a igreja quando foram surpreendidas pelos ladrões, que estavam de moto. Sob a mira do revolver de um dos marginais, elas entregaram o celular e ouviram dos criminosos (dois rapazes um branco e um negro), que era para avisar aos vizinhos que “os assaltos vão continuar”.

Moradores da localidade estão apavorados, sobretudo aqueles que precisam se deslocar durante a noite e nas primeiras horas do dia, quando ainda está escuro. Quem precisa sair muito cedo de casa, para trabalhar ou pegar condução, porque precisa fazer algum tipo de tratamento médico em outros Centros, está a mercê dos bandidos.
– O pior de tudo é que não adianta chamar a Polícia, porque se eles tomarem algum tipo de atitude, eles é que serão olhados como bandidos. Esse nosso país está perdido. Onde vamos parar? A quem iremos recorrer? Estou morrendo de medo – diz o morador que conversa com a nossa reportagem.

Apesar do crescimento da violência, até aqui não nenhum movimento por parte da Prefeitura foi realizado. A instalação de um gabinete de crise para pensar o assunto, um convite à sociedade civil organizada para tratar do tema, nada foi feito. Até aqui, apenas cara de paisagem e a insistência de que “a mídia está fazendo fofoca”.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Fluminense se classifica diante da LDU jogando na escrota altitude

Flávio Azevedo
O atacante Pedro (ao centro) marcou o gol salvador que classificou o Fluminense na Copa Sul-Americana.
Num jogo sofrido, na escrota altitude, o gol de Pedro, aos 40 min do 2º tempo, classificou o time “júnior” do Fluminense para a próxima fase da Copa Sul-Americana. O adversário era a conhecida LDU. O time carioca perdeu por 2x1, mas como havia vencido no Maracanã por 1x0 acabou ficando com a classificação. 

Por agora eu não quero me aprofundar na classificação tricolor, porque vou falar dessa coisa escrota de jogar na altitude, situação que eu não sei por que ainda é tolerada pelos nossos frouxos dirigentes. Quando será que um clube terá a decência de se recusar a jogar na tal altitude? Penso que essa iniciativa deveria começar pela Seleção Brasileira. Na atual Eliminatória seria ótimo tomar essa iniciativa. O time sobrou na competição e os pontos não fariam diferença.

Sonho com o dia em que um dirigente peitudo determine: na altitude eu não vou, se desejarem apliquem o WO e fiquem com os três pontos!

Estou fazendo essa abordagem, exatamente porque o Fluminense se classificou. Caso fosse eliminado, eu nada diria, porque como não se usa o cérebro para falar de Futebol, a torcida arco-íris classificaria o texto como “choro de perdedor”. Até quando essa aberração de altitude será tolerada? Até quando os dirigentes do Futebol se comportarão como idiotas? E a grande mídia, por que nada diz? E reclamam que o torcedor é passional!
Terminado o jogo, os atletas do Fluminense desabaram no gramado, uma mostra do que é jogar na altitude. Um brinde aos nossos dirigentes frouxos e tarados. Só pode!

domingo, 17 de setembro de 2017

“Monitoramento humano” ajuda prender ladrão de celular em Rio Bonito

Flávio Azevedo
Policiais afirmam ser importante denuncias as ações delituosas à Polícia.
Já está preso o ladrão que roubou o celular de uma mulher, no Centro de Rio Bonito, na tarde desse domingo (17/09), por volta das 16h. Ela estava no interior de um veículo, junto com a avó, próximo a Lojas Americanas, no Centro, quando um homem se aproximou, gritou “perdeu” e levou o seu iPhone. 

Segundo fontes, a ação foi observada por um motociclista, que seguiu o bandido e viu o ladrão entrar no ônibus da linha Rio Bonito/Alcântara. O motociclista informou os movimentos do ladrão à Polícia, que interceptou o coletivo na altura da Polícia Rodoviária Federal. O marginal, que se dirigia para Tanguá, foi detido.

Sem saber da ação da Polícia, quando a família chegou na 119ª DP (Rio Bonito) para fazer o Registro de Ocorrência, o marginal já estava preso e o telefone recuperado. Da Delegacia de Rio Bonito todos foram direcionados a 118ª DP (Araruama) para os procedimentos protocolares e onde o ladrão ficou preso.

Sistema de monitoramento é urgente

Essa ocorrência bem sucedida mostra que o “Sistema de Monitoramento”, serviço que anos apontamos como primordial na luta contra a insegurança, não é um mero palpite. O motociclista que viu a ação e contou aos policiais fez o papel do monitoramento, inclusive, informando o deslocamento e as características do ladrão. O monitoramento humano foi determinante para a ação bem sucedida da Polícia, que poderia frustrar muitos outros crimes e prender muito mais bandidos se o serviço já estivesse implantado e funcionando.

Não é a primeira vez que o “monitoramento humano” ajuda a Polícia solucionar um crime e prender ladrões. Em 2016, um sequestro relâmpago foi frustrado porque alguém viu a ação dos marginais e contou a polícia. Uma bióloga saia da academia, foi rendida por bandidos, levada pelos marginais, mas uma mulher que passava viu a ação e chamou a Polícia.

Apesar de todas as evidências da eficiência do equipamento, inclusive, com testemunho favorável de policiais civis e militares, a Prefeitura segue patinando em sua incompetência e se apoiando em desculpas vazias para não implantar o Sistema de Monitoramento.

Novo assalto no Centro de Rio Bonito mostra que é preciso mudar comportamento

Flávio Azevedo
Por volta das 16h desse domingo (16/09), duas pessoas que estava dentro de um carro em frente a Lojas Americanas, no Centro de Rio Bonito; foram abordadas por marginais, que levaram o celular de uma delas. A proprietária do aparelho estava com a avó. O bandido se aproximou, gritou “perdeu”; e levou o celular da jovem, que ingressa na triste e macabra estatística de roubos e assaltos que têm assolado Rio Bonito e Região. 

Um policial consultado pela nossa reportagem diz que apesar dos seguidos assaltos e roubos de veículos, “Rio Bonito ainda é uma cidade tranquila”. Ele afirma que essa aparente tranquilidade deixou o riobonitense mal acostumado e diz ser preciso entender que “os tempos são outros”.
– Por vezes vejo as pessoas distraídas, à noite, caminhando com o celular nas mãos, consultando as mídias sociais ou mesmo telefonando... A dica que deixo é não fazer isso, por ser um chamariz para os marginais, que querem facilidade – alerta o policial.

Outro ponto apontado pelo agente da lei como “perigoso” é ficar dentro do carro enquanto ele está parado. Ele afirma que os ladrões gostam de facilidade e um carro com alguém dentro é olhado pelo bandido como um veículo aberto.
– Quando o ladrão sai em busca de um veículo, o fato de estar trancado não é problema para ele. Ao encontrar o carro que ele quer, o marginal consegue abrir com uma rapidez incrível. Se ele encontra o veículo com alguém dentro, o trabalho dele se torna ainda mais fácil – frisa o policial, acrescentando que ainda é comum as pessoas deixarem o carro ou a moto com o motor funcionando enquanto vão fazer alguma coisa rápida. “Isso pode ser determinante se um ladrão passar naquela hora. O bandido nem ia roubar, mas vê tanta facilidade que resolve pegar”, conclui o policial.

Precisamos de Segurança e vergonha na cara!

Flávio Azevedo
A violência cresceu em proporções alarmantes nas cidades da Região Metropolitana, entre elas Rio Bonito, onde o número de ocorrências sempre foi pequeno.
Ao receber a informação de que mais um assalto acontece em Rio Bonito (homens armados surpreenderam a vítima, agora, a pouco, próximo a Lojas Americanas), eu fico refletindo sobre o quanto nós poderíamos ter avançado na luta contra a criminalidade se os gestores públicos tivessem um mínimo de interesse pela nossa cidade. Há cerca de 10 anos, eu atuo no jornalismo tratando desse tema. Em 2011, quando eu integrei o Conselho Comunitário de Segurança (CCS), eu endureci o discurso crítico sobre as administrações municipais. Eu já sabia que a Segurança era uma atribuição do Estado do Rio, mas no CCS ficou nítido que as Prefeituras podem contribuir e nada fazem.

Um misto de cinismo, desinteresse e cara de pau domina os prefeitos, com destaque para esses que há 25 anos se repetem em Rio Bonito. Como o Estado do Rio de Janeiro não está fazendo e não fará a sua parte; e os nossos prefeitos precisam dos favores escusos do poder Judiciário para se manter no poder; o que resta a eles é arregaçar as mangas, assumir o papel de liderança que esperamos deles; para que junto com a sociedade criem mecanismos que ofereçam Segurança, que não se promove apenas colocando policiais na rua. A dupla sertaneja desafinada que governa Rio Bonito sabe o que fazer, mas não tem interesse.

Por outro lado, a sociedade, dividida em frouxos e puxa sacos, fica calada e se limita a choramingar nos bancos de praça, nas mesas de bar e nas mídias sociais. Nessa hora proliferam os discursos impregnados de politicagem e interesses escusos. Estou falando de gente que integrou as fileiras do governo que saiu e passa atuar como mensageiro da mudança. Todavia, a mudança pretendida é trazer de volta ao poder a porcaria que antecedeu a porcaria que está governando. Vimos isso em entre os anos de 2009 e 2012, o fenômeno se repetiu entre os anos de 2013 e 2016 e já vejo uma articulação nesse sentido com vistas a 2020.

Outro problema grave de Rio Bonito é que as manifestações pedem polícia, quando precisamos de políticas públicas de Educação, Cultura, Lazer, Esporte, Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Urbano, Habitação, Prevenção a Dependência Química, Turismo e Promoção Social. Eu tenho certeza que se todos esses setores fossem bem trabalhados pelas Prefeituras, o principal setor a perceber a diferença de forma positiva seria a Segurança.

Precisamos nos mobilizar e cobrar Segurança. Mas essa mobilização não pode ser uma pré-campanha para Solange, Marcos Abrahão ou qualquer outro malandro com vistas a 2020. Ou seja, os malandros e sabidos, que querem aproveitar a ocasião para garantir um futuro DAS, caiam fora! A mobilização tem que estar focada em buscar Segurança e cobrar dos governantes, políticas públicas que amenizem essa série de roubos e assaltos em nossa cidade.

Que Deus nos livre dos bandidos e assaltantes! Que Deus nos livre dos maus políticos, que também são bandidos e assaltantes! Que Deus livre do eleitor idiota (esses são maioria esmagadora) e, principalmente do eleitor espertalhão, aquele sem escrúpulo que prostitui o voto e o apoio (ricos e pobres estão nesse segmento); os reais culpados por estarmos nesse momento difícil no município, no estado e no país.

sábado, 16 de setembro de 2017

Morre jornalista Marcelo Rezende

Marcelo Rezende tinha 65 anos.
O Brasil perde nesse sábado (16/09), um dos grandes representantes da imprensa brasileira, o jornalista, Marcelo Rezende. Ele morreu às 17h45, em São Paulo. Ele tinha 65 anos e estava internado no Hospital Moriah. O jornalista foi diagnosticado no início do ano com câncer no pâncreas e metástase no fígado.

Marcelo Luiz Rezende Fernandes nasceu no Rio de Janeiro, em 12 de novembro de 1951. Começou sua carreira como repórter esportivo nos anos 70 do Jornal dos Sports. Trabalhou em O Globo, revista Placar e chegou à TV em 1987 para trabalhar na Globo. Entre os destaques está a cobertura do caso da operação da polícia na Favela Naval, em Diadema e a apresentação do programa Linha Direta. Trabalhou também na Band e Rede TV.

Fonte: G1

Rio Bonito perde Vara do Trabalho para Itaboraí

O presidente da 35ª Subseção da OAB, César Sá; defendendo a permanência da Vara do Trabalho em Rio Bonito, no plenário do Tribunal Regional do Trabalho.
Na ultima quinta-feira (14/09) representantes 35ª Subseção da OAB, juntamente com o presidente César Gomes de Sá, estiveram na sede do Tribunal Regional do Trabalho, para encaminhar um abaixo-assinado em protesto à transferência da Vara da Justiça do Trabalho do município de Rio Bonito (que também abrange Tanguá e Silva Jardim), para Itaboraí. Antes da votação, César solicitou a palavra, onde expôs os principais malefícios que a decisão trará a comunidade jurídica e população desses três municípios. Porém, "devido à necessidade de equilibrar a distribuição das ações trabalhistas no Estado do Rio de Janeiro, de modo a proporcionar maior celeridade e eficácia à prestação jurisdicional", a decisão foi aprovada pelo Pleno do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT/RJ).

Durante seu discurso, o presidente abordou questões como o número expressivo de distribuições, a distância entre os municípios, o custo dos transportes, entre outros. As ações da subseção tiveram início na semana passada, quando foi realizada uma Audiência Pública, seguida da produção de um abaixo-assinado, preenchido pelos advogados dos três municípios. Prevista por lei federal, a 2ª Vara de Itaboraí foi instalada em Rio Bonito em caráter temporário, devido à necessidade de atendimento nos três municípios abrangidos. Mas, segundo o Pleno do TRT, "a nova mudança na jurisdição do Regional fluminense partiu da constatação do elevado desequilíbrio entre as demandas processuais das VTs de Itaboraí e de Rio Bonito, assim como da necessidade de equilibrar as ações trabalhistas no Estado. Outro dado levado em consideração refere-se aos grandes reflexos da construção do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) na demanda processual de Itaboraí, já que as obras devem ser retomadas em breve".
O presidente da 35ª Subseção da OAB, César Gomes de Sá; afirmou que apesar do resultado desfavorável, a luta pela Vara do Trabalho em Rio Bonito permanece.
– A 35ª Subseção continuará mantendo sua postura de vanguarda, em defesa das prerrogativas da advocacia e do direito constitucional de acesso à justiça nos três municípios. Temos a mais absoluta convicção de que a situação é temporária devido à crise que atravessa o nosso país, o que poderá ser revertido, tão logo a situação politico institucional se normalize. De qualquer sorte, temos o compromisso do presidente do Tribunal de que a Justiça não está indo embora da cidade, uma vez que a Vara será transformada em um Posto Avançado da Justiça do Trabalho – contou o presidente César de Sá.

Por Paula Brito

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Incêndio destrói parte da Prefeitura de São Gonçalo/RJ

Flávio Azevedo
Homens do Corpo de Bombeiros estão atuando no combate a um incêndio que atingiu, por volta das 21h30min dessa sexta-feira (15/09), a Prefeitura de São Gonçalo. As primeiras informações são de que ao menos três Secretarias foram atingidas: Meio Ambiente, Obras e o setor de Fiscalização e Posturas. Não há informação de vítimas. 

O prefeito José Luiz Nanci (PR) acompanha o trabalho dos Bombeiros. Equipes dos quarteis de São Gonçalo e Niterói estão empenhadas no combate. Ainda não se sabe o que teria provocado o incêndio.

“O Sambê está abandonado”, afirmam moradores do bairro

Flávio Azevedo
As temíveis valas negras ainda estão presente na localidade.
Nessa quarta-feira (13/09), a nossa reportagem esteve na localidade do Sambê e aproveitou para ouvir moradores sobre as condições da localidade. Conversamos com Beatriz Esteves, que reclamações importantes relacionadas a Segurança, revelando, inclusive, que a sua filha foi alvo de uma tentativa de estupro. Reclamações direcionadas ao Transporte Público, por exemplo, o último horário da localidade (23h), foi retirado pela empresa, o que tem causado sérios transtornos aos moradores, foi uma das reclamações da líder comunitária, Maria Natividade Moreira, que denuncia a criação de um lixão em determinado local do bairro. “O caso já foi levado a Prefeitura e nada foi feito até agora”.

A nossa reportagem também conversou com comerciante Alciléa Cordeiro, que também reclamou do Transporte Público e também se queixou da iluminação Pública, tema reclamado por todos os moradores da localidade. Nascida e criada no Sambê, a moradora Maria da Conceição afirmou que morar no bairro está complicado nos últimos anos. Ela confirmou a reclamação das vizinhas e acrescentou que a localidade também tem problemas na área da Saúde e também na escola. “Posto de Saúde sem remédio, médico, dentista; as escolas sem uma quadra, o bairro não conta com uma área de lazer e a politicagem impera”, reclama Conceição, também falou da limpeza e deu um puxão de orelha nos vizinhos. “Quem mora no Sambê precisa se unir, escolher representantes políticos da localidade e parar de se vender”.