sábado, 19 de maio de 2018

Câmara de Rio Bonito aprova cessão de área no Condomínio Industrial para Grupo Crac

Flávio Azevedo
Vereadores de Rio Bonito juntos com executivos do Grupo Crac na sessão Legislativa dessa quinta-feria (17/05). 
Na sessão Legislativa dessa quinta-feira (17/05), os vereadores aprovaram Mensagem do poder Executivo que pedia autorização Legislativa para ceder espaço no Condomínio Industrial do município que será destinado ao Grupo Crac que se estabelecerá no município nas próximas semanas. 

Na ocasião foi anunciada a convocação do secretário municipal de Ordem Pública, Márcio Aurélio Soares; que deverá apresentar projetos para a área da Segurança Pública do município, um dos setores criticados pelos parlamentares junto das área de Educação e Saúde.
Terminada a reunião, o presidente do Grupo Crac, Renato Cerqueira; acompanhado de executivos do grupo, agradeceu a confiança do município na sua empresa e disse que “Rio Bonito não vai se arrepender desse gesto”. A indústria começa a operar em cerca de 10 meses e vai gerar cerca de 300 empregos. 

Também comentou a chegada do Grupo Crac a Rio Bonito, o empresário Dalmo Henrique de Souza Lima; figura determinante para que os empresários escolhessem vir para o município. Dalmo ressaltou a união positiva que existiu entre a classe empresarial e política em prol de Rio Bonito.

A hipocrisia é uma das marcas de Rio Bonito

Flávio Azevedo
Depois da minha postagem sobre a liderança que o empresário Dalmo Henrique demonstrou ao atrair para Rio Bonito, os empresários do Grupo Crac, eu já vejo desavisados com aquela conversa torta de candidatura de Dalmo para prefeito, como se esse tipo de liderança e preocupação demonstrados por ele nesse caso fossem parâmetro para oferecermos a alguém o nosso voto! Esqueçam!

O voto em Dalmo Henrique De Souza Limavai durar até os políticos de sempre baterem na sua porta falando em combustível em troca de adesivo no carro, prometendo emprego na máquina pública, agregar carro na Prefeitura, cesta básica, material de construção, a escrota lei 1199 e canastrices do gênero!

Nós precisamos acabar com esse negócio sugerir para os cargos públicos, as pessoas que se destacam na sociedade por conta das suas atividades profissionais, como se esse tipo de competência fosse o norte que usamos para entregar o nosso voto. Hipocrisia!

Nós seguiremos votando em Mandiocão e Solange, não porque eles sejam bons, mas por eles serem os candidatos que mais representam a nossa sociedade. Ou seja, pangarés! E não estou nem aí para quem não gostou do que acabei de escrever! Menos hipocrisia, por favor!

Empresário Dalmo Henrique vem atuando como embaixador de Rio Bonito junto ao setor comercial

Flávio Azevedo
Na última quinta-feira (17/05), na Câmara Municipal de Rio Bonito, após entrevistar os proprietários do Grupo Crac, eu conversei com o empresário riobonitense, Dalmo Henrique de Souza Lima; que tem atuado como embaixador de Rio Bonito junto a grandes empresas do Rio de Janeiro e do país buscando atrair para o município empreendimentos que gerem emprego, renda e aqueçam o comércio local e até regional.

A escolha do Grupo Crac de vir para Rio Bonito tem importante participação de Dalmo, que conversou com a nossa reportagem, explicou o seu papel voluntário em prol da cidade nessa relação diplomática com grandes empresários e comentou que a iniciativa privada poderá nos próximos meses anunciar mais notícias boas para o setor comercial de Rio Bonito.

Absolver ou não “Fakenews” é uma questão de bom senso

Flávio Azevedo
Um amigo me pede para discorrer sobre o meu entendimento e o que penso sobre as Fakenews ou “notícias falsas” que são publicadas nas mídias sociais. Na condição de profissional de comunicação, eu gostaria de destacar que ao estudarmos “Mídias Sociais” na faculdade de Comunicação Social, a primeira coisa que nós aprendemos é que a pretensão dessa plataforma é divertir. Também descobrimos que o politicamente correto nesses espaços não é prioridade. Por último e não menos importante temos o fator ficção, pois nem sempre as postagens externam a realidade exposta nas fotos e pensamentos publicados. 

O objetivo de espaços como o Facebook, por exemplo, é ver foto de gatinhas de biquíni, gatos marombados, fuxicar a vida alheia e arrumar um ‘peguete’. Sim, esse é o objetivo principal e por isso o nome é “site de relacionamento”. Se você não acredita nisso, vá ao Google e leia a definição do Tinder (uma aplicação multiplataforma de localização de pessoas para encontros românticos online cruzando informações do Facebook e do Spotify, localizando as pessoas geograficamente próximas).

 Todavia, dado o volume de gente que se conecta nesses espaços, empresas, entidades e instituições de toda ordem migraram para esses ambientes a fim de apresentar seus produtos, ideias e dar publicidade as suas marcas. Mas a mídia social não é para isso. A proposta original dela é o culto ao fuxico, ao consumo, a ostentação ficcional etc.

Esse preambulo é necessário para pensarmos as Fakenews. Eu gosto de fazer a seguinte ilustração: entre numa sala cheia de pessoas, num ônibus cheio de pessoas e grite: “alô gente, quem aqui for idiota levante a mão!”. Ninguém vai se manifestar. No ambiente virtual, porém, é diferente. As Fakenews fazem exatamente essa pergunta (quem for idiota levante a mão!) e um monte de gente ergue o braço. Penso dessa maneira, porque vejo pessoas acreditando em cada idiotice, em cada lorota, que pelo amor de Deus!

Eu conheço um sujeito meio bronco, que cultiva um adágio duro de ouvir, mas muito real. Ele diz: “bobo não acaba! Bobo, morre um e nasce dez”. Eu sou obrigado a concordar com ele. E não me venham falar de escolaridade, de falta disso ou daquilo, porque tem um monte de gente diplomada que consegue ser enganada por Fakenews absurdamente falsas e ainda compartilham.

Ter acesso a Fakenews é inevitável e não é nada de mais. Acreditar e compartilhar que é o grande problema. Encerro essas considerações acrescentando que existe um negócio chamado “bom senso”. Todavia, nós temos uma enorme dificuldade para usar esse instrumento. A desconfiança pode parecer paranoia. Eu, porém, digo que a desconfiança deve ser usada igual orégano na pizza, ou seja, na medida certa. Muito orégano na pizza não é bom, mas sem ele a pizza não tem graça.

Enfim, quem usar o bom senso na medida certa para analisar as notícias que circulam das mídias sociais, não será vítima de Fakenews, tão pouco vai compartilhar e impulsionar as tais informações. Espero te ajudado!

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Saúde, estética e beleza na pauta do Programa Flávio Azevedo

Flávio Azevedo
O Programa Flávio Azevedo dessa sexta-feira (18/05) começa abordando a questão das liminares judiciais que determinam compra de insumos e medicamentos para pessoas com necessidades especiais que a Prefeitura de Rio Bonito tem ignorado. 

A pauta do programa também vai tratar de estética, beleza e Saúde. Para tratar do assunto nós estamos recebendo a esteticista, Rose Mello.

Grupo Crac se instala em Rio Bonito e começa operar em 10 meses

Flávio Azevedo
Nessa quinta-feira (17/05), a Câmara Municipal aprovou mensagem do poder Executivo que pedia autorização Legislativa para cessão de espaço no Condomínio Industrial. O trecho será cedido a nova indústria do Grupo Crac. Terminada a reunião da Câmara Municipal, a nossa reportagem conversou com os comandantes do Grupo Crac. Com o presidente da empresa, Renato Cerqueira; dialogamos sobre a expansão dos negócios que, agora, chegam a Rio Bonito; e o crescimento da marca Crac. 

Com Márcio Cerqueira, filho do presidente do empreendimento, nós conversamos sobre a geração de emprego e uma peculiaridade: a maior parte dos postos de trabalho que serão criados é para mão de obra feminina. 

Fundada em 1985 originalmente como uma fábrica de batata chips, a Crac tinha uma loja própria na Região Oceânica e carrinhos espalhados por padarias de Niterói e do Rio, onde os clientes podiam comprar o produto a granel.

O parque industrial da empresa em São Gonçalo tem oito mil metros quadrados e, nos últimos anos, passou por constantes ampliações. Para expandir ainda mais o negócio o grupo está se instalando no Condomínio Industrial de Rio Bonito. Em 2014, a produção mensal só de batata palha girava em torno de 200 toneladas. Fora a tradicional e o modelo extrafino, também foram criados os sabores picanha, cebola e salsa e a zero. 

Atualmente o Grupo Crac ainda fabrica biscoitos de polvilho. Em 2014 o grupo passou a produzir refresco natural de guaraná e, hoje, de acordo com Renato Cerqueira, "já é líder do setor no mercado".

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Prefeitura não se posiciona sobre as caçambas e limpeza segue precária

Flávio Azevedo
Funcionários da Prefeitura com caminhão de coleta de poda de árvores. 
Moradores da Serra do Sambê agradecem a limpeza que está acontecendo, hoje, no bairro. O trecho mostrado na imagem é da Rua Tenente-Coronel Carlos José Marinho. Minha sugestão à Prefeitura de Rio Bonito é que resolva em definitivo essa questão do descarte de resto de obra, poda de árvores e entulho. Que tal entregar de maneira organizada esse serviço a iniciativa privada?

Se nós estamos implantando Estacionamento Rotativo, sob o argumento de que a cidade precisa ter ares de metrópole, que tal entregar esse serviço de limpeza a iniciativa privada? Falta o que para atrair empresas que atuem nesse setor para atender o riobonitense? Vamos que vamos gente!

Esse resto de poda de árvores que está sendo retirado, hoje, está aí há cerca de um mês. Vale destacar que só os ratos ficam satisfeitos com esse tipo de situação! Alguém já pensou que resolver isso também é representa investir em Saúde?

Prefeitura de Rio Bonito segue ignorando liminar judicial

Flávio Azevedo
Nessa quinta-feira (17/05) a nossa reportagem dá voz a mais uma mãe que está vendo o direito da sua filha especial ser negado pela Prefeitura de Rio Bonito. A filha de Narjara Demier tem 10 anos. Por ter nascido prematura, nos cinco meses de gestação, o intestino não foi bem formado. A criança tem o que popularmente se chama de “síndrome do intestino curto”, o que exige uso contínuo da bolsa de colostomia. 

Mesmo amparada por uma liminar judicial, que determina o atendimento imediato da criança por parte da Prefeitura, Narjara afirma que “há cerca de um ano a sua filha não recebe as bolsas de colostomia do município”. A mãe se sente humilhada e sem esperança, inclusive, por ver uma liminar judicial não ser atendida. Não é um caso isolado. Inúmeras mães de crianças especiais estão enfrentando igual problema.

Na reunião mensal do Conselho Municipal de Saúde de Rio Bonito ocorrida nessa quarta-feira (16/05), a secretária de Saúde, Rita de Cássia (PP); afirmou que os pedidos amparados pela Justiça seriam atendidos até a sexta-feira (18/05). Narjara afirma que esteve na Secretaria Municipal de Saúde quarta (16) e hoje (17). O objetivo era saber se as bolsas de colostomia da sua filha já haviam sido adquiridas. A resposta é que ela deveria retornar daqui 10 dias.

A Prefeitura de Rio Bonito segue ignorando as liminares judiciais e segue sendo um mistério a razão da passividade do poder Judiciário diante da flagrante desobediência.

Desabafo de uma aluna de escola pública sem professor

Gente, bom dia... 
Venho aqui, hoje, desabafar sobre uma coisa que está acontecendo no Colégio Municipal Dr. Asterio Alves de Mendonça, que, talvez, possa estar acontecendo em outras escolas públicas. As aulas começaram em março, estamos no mês de maio e até hoje eu não tive uma aula de matemática! O motivo? A turma do 8° C, do 2° turno está sem professor de matemática, uma matéria que exige raciocínio e prática. Não vamos aprender de uma hora para outra.

Infelizmente a situação do país, do estado e do município está um horror quando se trata de Educação, Segurança e Saúde. Gastam dinheiro com festas, mas não têm condições de colocar um professor para dar aula. Onde vamos chegar desse jeito?

Tenho preocupação com o meu futuro e não quero ser prejudicada por isso. Já recorremos a muita gente, mas é sempre a mesma história: “estamos correndo atrás de um professor”. Estou ouvindo isso desde o começo das aulas! Não aguento mais.

A quem vamos recorrer?

Agradeço a quem leu até aqui e a quem compartilhou... Espero que tudo se resolva. Quem puder, compartilhe por favor!

Alexandra Silva

PS: esse é o relato de uma aluna da rede municipal de Educação de Rio Bonito. #flavioazevedo

Cultura, Cidade e Polêmica na pauta do Programa Flávio Azevedo

Flávio Azevedo
O Programa Flávio Azevedo dessa quinta-feira (17/05) já está no ar com temas variados. Em nossa pauta, hoje, o aniversário de nove anos do Projeto Lona na Lua, o grupo cultural mais badalado da Região; as polêmicas envolvendo a cobrança de estacionamento nas ruas de Rio Bonito, anunciada para começar no próximo dia 04/06; e a polêmica envolvendo a visita de representantes do Supermercados Guanabara a Rio Bonito, a suposta visita que teriam feito a Tanguá; entre outros temas. Seja bem vindo!