sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

"Capitão do Mato" persegue colega da Rede Municipal de Educação

Flávio Azevedo
Segundo um servidor público municipal de Rio Bonito, que cerca de 15 anos atua como zelador em determinada escola da rede municipal, no início do ano ele recebeu um telefonema da empolgada nova gestora escolar o convocando para pintar a unidade. Ele entendeu o entusiasmo da gestora, mas disse que não poderia colaborar, porque além de trabalhar em outro município, ele têm outros compromissos profissionais durante o dia. A gestora disse “você tem que vir”. Ele insistiu que “não seria possível”.

Para surpresa do zelador, dias depois ele foi devolvido a Secretaria Municipal de Educação. O zelador questionou a justificativa da devolução, uma vez que sempre cumpriu o seu horário, está lotado na referida unidade há cerca de 15 anos, além de ser funcionário efetivo do quadro da Prefeitura. A resposta foi que não havia um motivo para a devolução, simplesmente ele foi devolvido.

O servidor entendeu que a devolução aconteceu pela impossibilidade de fazer parte do mutirão. O zelador questiona se essa seria realmente a forma de lidar com um servidor que está lotado há tanto tempo na unidade e se essa é realmente a maneira de lidar com um colega de trabalho. O caso foi denunciado ao núcleo local do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe), está documentado e, segundo ele, será encaminhado ao Ministério Público.
– Eu já vi perseguição por causa de política. O cara não apoiou o candidato eleito, fez campanha para o derrotado, mas ser perseguido pelo gestor escolar, porque não foi possível participar de atividades que estão sendo realizadas fora do meu horário de trabalho é um absurdo e posso entender como assédio moral – comenta o servidor, acrescentando que ele tem ouvido outras histórias nesse sentido com outros colegas.

O que fica nítido é que estamos diante de um típico caso que eu identifico como “Síndrome do Capitão do Mato”, uma das doenças mais sérias que existe na máquina pública. Por que “Capitão do Mato”? Bem, todos sabem que o “Capitão do Mato” era o elemento responsável por capturar negros fujões no período que havia escravidão no Brasil. O que algumas pessoas não sabem é que “Capitão do Mato” não era um português loiro de olhos azuis, mas sim um negro de confiança do senhor de engenho. Uma vez investido de “Capitão do Mato”, esse negro tinha a função de castigar os seus iguais e ele fazia isso com prazer e em nome de manter alguma regalia que lhe era dada pelo senhor de engenho.

O que se percebe é que entra governo e sai governo e os “Capitães do Mato” se multiplicam, porque escravos querem manter regalias e porque o senhor de engenho se aproveita da ganância do ser humano. A pergunta que faço é como certas pessoas não tem vergonha de agir dessa maneira, uma vez que meses atrás estavam participando de movimento grevista, cobrando “valorização profissional” e exigindo “respeito aos profissionais de Educação”. Se existe algo que dá medo na natureza criada por Deus é o tal do ser humano.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Último dia de inscrições para o processo seletivo da Secretaria de Promoção Social de Rio Bonito

Flávio Azevedo
Encerram-se nessa quarta-feira (22/02) as inscrições para o Processo Seletivo promovido pela Prefeitura de Rio Bonito para o provimento de vagas da Secretaria Municipal de Promoção Social. As inscrições estão acontecendo no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), na Rua Major Bezerra Cavalcante, 654, no Centro. Os interessados devem comparecer ao local portando carteira de identidade, CPF e comprovante de residência. Os vencimentos vão de R$ 937,00 a R$ 1.784,00. A fila é grande no local.

Foram disponibilizadas 67 vagas para os seguintes cargos: Assistente Social (06 vagas), Nutricionista (01), Articulador de Projetos/ Coordenador (04), Cuidador de Criança e Adolescentes de Abrigo Institucional (12), Educador Social (04), Assistente Administrativo (04), Cadastrador Bolsa Família (04), Instrutor de Esporte, Lazer, Qualidade de Vida e Cultural (02), Instrutor de Oficina de Manicure e Pedicure (02), Instrutor de Oficina de Estética e Beleza (03), Apoio e Manutenção (08), Instrutor de Oficina de Música (02), Instrutor de Oficina de Dança (02), Instrutor de Oficina de Customização (02), Instrutor de Brinquedoteca (03), Cozinheira (02), Motorista (02) e Instrutor de Oficina de Panificação e Confeitaria (02).

O processo seletivo será realizado em duas etapas: prova objetiva, conforme o conteúdo programático disponível no site da Prefeitura (http://migre.me/w6nUe) e análise curricular. A prova será realizada nessa sexta-feira (24/02), na Escola Municipal Mauricio Kopke, no Centro.

Apesar da declaração do vereador Humberto Belgues (PSL), na sessão Legislativa dessa terça-feira (21/02), de que falhas no Edital podem resultar no cancelamento do processo seletivo, a Prefeitura ainda não emitiu nenhuma nota informando qualquer tipo de mudança no cronograma anunciado para o certame

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Processo seletivo da Prefeitura de Rio Bonito pode ser cancelado

Flávio Azevedo
Por conta de falhas como a ausência de vagas para pessoas com necessidades especiais, o processo seletivo que está sendo realizado pela Prefeitura Municipal de Rio Bonito pode ser cancelado. O alerta foi feito pelo vereador Humberto Belgues (PSL) na sessão Legislativa dessa terça-feira (21/02). O parlamentar mencionou o processo seletivo da Secretaria Municipal de Promoção Social, segundo ele, realizado em prazo muito curto para que toda população tivesse conhecimento do certame.

Ainda segundo o vereador, ele não está pedindo o cancelando do processo seletivo, mas que o certame seja readequado, “porque da maneira que está se algum dos candidatos se sentir prejudicado e recorrer a Justiça certamente conseguirá anular o processo seletivo”, concluiu. 

A Prefeitura Municipal de Rio Bonito (PMRB) está realizando dois processos seletivos, um para a Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp), que estão com inscrições abertas até sexta-feira (24/02). Os interessados podem se inscrever na própria Secretaria de Obras, no Centro Administrativo da PMRB, na Praça Cruzeiro. As provas serão aplicadas no dia 07 de março. 

O outro é para Secretaria de Promoção Social. As inscrições foram abertas, hoje, e já se encerram amanhã. As inscrições estão sendo realizadas no Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), localizado na Rua Major Bezerra Cavalcante, nº 654, no Centro (onde era a base do SAMU). As provas serão aplicadas já na próxima sexta-feira (24/02), no Colégio Municipal Maurício Kopke, no Centro.

"Solandiocão" é o mal que prejudica o Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Rio Bonito

Flávio Azevedo
A assembleia que representa os cerca de 3 mil servidores.
Nessa segunda-feira (20/02), além da confirmação da greve dos profissionais de Educação a partir de 06/03, também foi para as mídias sociais a assembleia do Sindicato dos Servidores Municipais de Rio Bonito (Sinsmurb), que mais uma vez teve como pauta o Instituto de Previdência desses servidores. De 2.036 mil efetivos e 900 inativos, cerca de 50 compareceram. Uma assembleia com muito palavrório e intenções variadas para tratar de um único motivo. Diante de tanto que se fala do Instituto de previdência dos Servidores Municipais de Rio Bonito (Iprevirb), eu decidi anotar algumas impressões sobre o tema.

O Iprevirb é um problema desde a sua criação. Estamos falando de 2002, quando a então prefeita Solange Almeida não aportou os R$ 5 milhões que deveria ter aportado no Instituto (e nenhum servidor disse nada). O tempo passou, ela saiu e entrou Mandiocão, que entre 2005 e 2012, segundo o vereador Humberto Belgues, fez oito parcelamentos e não cumpriu nenhum (e nenhum servidor disse nada). 

Em dezembro de 2013, porém, acontece uma das maiores aberrações da história política de Rio Bonito. A prefeita, aquela que ficou devendo R$ 5 milhões em 2002, de volta a Prefeitura de Rio Bonito, precisando gerar emprego para acomodar seus simpatizantes, arquitetou e executou um golpe no Iprevirb. Ela destituiu a diretoria que contava com dirigentes eleitos e colocou servidores nomeados por ela (e nenhum servidor disse nada). Em 2015 houve novo bote, na fatídica reunião itinerante que ocorreu na Escola Municipal Albino Thomáz de Souza Filho (no bairro Monteiro Lobato). Dessa vez, eu vi uma ou duas pessoas reclamando! 

Penso que é justa toda e qualquer manifestação do servidor sobre o Iprevirb, mas atualmente está nítido que existe uma ação orquestrada pelo poder Executivo. O que causa estranheza é que se o Executivo deseja fazer mudanças no Instituto, por que não preparar nova Lei em conjunto com a categoria e submetê-la a apreciação da Câmara Municipal? Encaminhada a tal Lei para o Legislativo, caberia ao servidor o papel de lotar as dependências da Câmara para cobrar a aprovação Legislativa.

O que está nítido em todo esse imbróglio é o que acontece em quase todos os problemas de Rio Bonito: na ânsia de proteger prefeitos irresponsáveis, as pessoas preferem acusar outros atores. Estamos falando de pessoas que não são de todo inocentes. Entretanto, pouca gente quer reconhecer a culpa daqueles que governaram a cidade nos últimos 25 anos e tiveram ação direta sobre essa questão. Se você ainda não sabe quem é o culpado pelos problemas do Iprevirb, eu te apresento: “Solandiocão Almeida Antunes”. 

Vejo gente falando dos super salários de diretores do passado, falam do volume de cargos da atual diretoria (chamado também de trem da alegria), mas o fato de que tudo isso aconteceu com a bênção dos prefeitos que há 25 anos se repetem poucos querem enxergar. Nessas discussões sobre o Iprevirb, os R$ 200 milhões de dívida do Instituto, que nascem em 2002 não é comentado. Os parcelamentos que não foram pagos por Mandiocão também são convenientemente esquecidos. 

Não há como contestar que o golpe de 2013 foi uma ação direta da ex-prefeita sobre o Iprevirb. Também não há como contestar que o atual prefeito arquiteta um golpe, mas percorrendo outros caminhos. Enquanto ela atuou na calada da noite, ele usa a massa de manobra. Concordando ou não com o golpe de 2013, o que era aberração ganhou configuração legal, foi aprovado pela Câmara de Vereadores, o caminhão de cargos está dentro de um arcabouço funcional e só é possível desmontar isso tudo de forma legal e não na marra! Outro caminho seria recorrer ao Judiciário e aos serviços de um Siro Darlan ou de um Napoleão, como aconteceu em duas situações recentes em nossa cidade.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Vereadores de RB pedem que Marcos Abrahão busque recursos da UPA

Flávio Azevedo
Na última sexta-feira (11/02), eu acompanhei um encontro de cinco vereadores de Rio Bonito com o deputado estadual, Marcos Abrahão (PT do B). O objetivo foi tratar de recursos que o governo do estado deve a Prefeitura de Rio Bonito (repasse para a UPA da ordem de R$ 6 milhões). Depois das minhas postagens sobre o encontro, um arranca rabo passou a existir na cidade, porque algum mal intencionado divulgou a notícia que vereadores e Marcos Abrahão estavam se juntando para tirar Mandiocão da Prefeitura. O que foi combinado no encontro é que no próximo dia 07/03, o deputado vai oficialmente a Câmara de Vereadores dialogar sobre as pendências do Estado com o município.

Aos politiqueiros de plantão, eu gostaria de destacar o seguinte: Mandiocão só sai da Prefeitura se ele quiser. Está nítido que assim como aconteceu com a ex-prefeita Solange, que tinha um Napoleão pedindo por ela e a manteve no cargo até o término do mandato; o prefeito Mandiocão também conta com a simpatia do poder Judiciário. Aliás, se a tal liminar que está tramitando no Tribunal de Justiça do Rio, fosse ser julgada por um tribunal da Suécia ou da Noruega, eu até acreditaria que poderia haver um resultado contrário ao prefeito, mas quem vai julgar é o mesmo Tribunal que já decidiu a favor dele duas vezes, apesar dos pesares.

Então, se você é simpatizante de Mandiocão, fica frio! Ele vai até 2020. Se você não é simpatizante de Mandiocão, sinto muito, ele vai ficar até 2020! O Judiciário já decidiu que tem preferência por ele, decisões no plantão Judiciário, durante a madrugada, foram favoráveis a ele; as decisões em horário de expediente, também foram pró Mandiocão, então esqueçam! O recado que o Judiciário está nos dando desde que esse assunto chegou ao Tribunal de Justiça do Rio é o seguinte: “Deixa o Homem Trabalhar!”.

Servidora Nelma Sá externa anseios de toda uma categoria profissional

Flávio Azevedo
Eu admiro a fibra, o ativismo, a disposição da minha amiga Nelma Sá. Na última assembleia de profissionais de Educação, no dia 15/02, eu precisa de alguém que falasse pela categoria, sem ser professor. Alguém que falasse com a alma, com coragem, chamei Nelma e meu palpite de jornalista não estava errado. Ela me deu um belo depoimento! Fala Nelma Sá!

Prefeitura de Rio Bonito realiza patrolamento do estacionamento da ferrovia

Flávio Azevedo
Nesse domingo (19/02), operários da Secretaria de Obras e Serviços Públicos (Semosp), da Prefeitura Municipal de Rio Bonito (PMRB), estavam recapeando o estacionamento da ferrovia, no Centro de Rio Bonito. Em alguns pontos estava sendo colocando resto de asfalto. O ponto mais atacado pela equipe da Semosp foi atrás da rodoviária, onde o trânsito de veículos estava realmente muito prejudicado. 

A nossa reportagem aproveitou para registrar a ação das máquinas e deixar duas sugestões à PMRB, que já foram pauta em outras reportagens, mas quem comandava o município fez ouvido de mercador. A primeira dica é a escalação de uma dupla de guardas municipais ou agentes de transito para transitar exclusivamente no estacionamento, da Praça da Bandeira até a Rodoviária, com o objetivo de orientar os motoristas que estacionam erradamente. A presença dos guardas certamente inibiria a presença de ladrões, uma vez que é grande o volume de carros roubados no local.

A outra sugestão é o acesso ao estacionamento. Que seja determinado que a entrada seja sempre pelo lado direito e a saída pelo lado esquerdo ou vice e versa. É comum um carro que entra procurando uma vaga encontrar outro que vem no sentido contrário. Pela falta de espaço ambos não podem manobrar, por vezes, não conseguem voltar, porque já tem outro atrás; e a confusão está formada. Esperamos que as dicas sejam ao menos analisadas pela Secretaria Municipal de Ordem Pública.

Limpeza do município é condicionada a consciência de coletividade da população

Flávio Azevedo
No último dia 15 de fevereiro, na esquina das ruas, da Conceição e Santa Clara, no Centro de Rio Bonito, um charmoso sofá enfeitava o passeio público. O sofá, que parece ser bem macio, é mais um “Divã da Reflexão” que sempre vemos espalhados por aí. Sentado nesse pomposo sofá, o riobonitense poderá fazer um exercício reflexivo com algumas perguntas clássicas que ninguém (sociedade e poder público), consegue me responder:
1 – Por que somos tão “sujosmundo?
2 – Por que o poder público é tão relaxado?
3 – Por que a Prefeitura ainda não criou multa para essa gente?
4 – Até quando nossa imundície será tolerada por quem governa?
5 – Quando teremos um serviço de limpeza eficiente?
6 – Por que não criar o Dia do Bota Fora?
7 – Em quem votei na última eleição e por quê?
8 – Mesmo com tanta campanha pela limpeza, por que nós insistimos em emporcalhar as ruas e calçadas?

A cereja do bolo dessa imagem é o local. É comum, quando um foto dessas vem de bairros pobres e carentes, a desculpa para a falta de Educação e bom senso ser atribuída a pobreza, a falta de oportunidade, a vulnerabilidade social, entre outras desculpas esfarrapadas. Esse trecho da cidade, porém, é considerado “área nobre”, as moradias são boas, quem mora por aí em sua grande maioria tem boa escolaridade, tem posses e o trecho, se comparado com os tais bairros humildes, é bem assistido pelo poder público.

Isso comprova o que digo há anos para horror de muita gente (porque vestem a carapuça): escolaridade, situação econômica confortável e morar em área nobre, não significa que o sujeito terá Educação, bom senso e civilidade. Parece que precisamos evoluir muito ainda como sociedade! #flavioazevedo

Prefeitura de Rio Bonito abre Processo Seletivo para Secretaria de Obra e Promoção Social

Flávio Azevedo
O jornal Gazeta Rio Bonito, veículo Oficial da Prefeitura Municipal de Rio Bonito (PMRB), na edição desse sábado (18/02), publica o Edital dos processos seletivos para a Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (SEMOSP) e Secretaria Municipal de Promoção Social. São 180 vagas para o cargo de Auxiliar de Serviços Diversos na Semosp; e 67 para várias funções na Promoção Social, entre eles Motorista, Assistente Social, Nutricionista, Articulador de Projetos, Assistente Administrativo, Cuidador de Criança e Adolescente, entre outros.

As inscrições para o processo seletivo da Semosp estarão abertas entre os dias 20 e 24/02. Os interessados podem se inscrever na própria Secretaria de Obras, no Centro Administrativo da PMRB, na Praça Cruzeiro. As provas serão aplicadas no dia 07 de março. Já as inscrições para as vagas oferecidas pela Secretaria de Promoção Social estarão abertas entre os dias 21 e 22/02, na sede do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), localizado na Rua Major Bezerra Cavalcante, nº 654, no Centro (onde era a base do SAMU). As provas estão marcadas para o dia 24/02, no Colégio Municipal Maurício Kopke.

Ainda não há confirmação da publicação do Edital do processo seletivo das Secretarias de Educação e Saúde, mas nessa edição (511), o jornal Gazeta Rio Bonito publicou a Portaria 087/2017, que nomeia a comissão encarregada de organizar o certame que irá atender a Secretaria de Educação. Aos interessados é bom fica de olho.

Nota: Eu não concordo com esse mecanismo de preenchimento de vagas, penso que concurso público é o único meio honesto de contratação de pessoal para cargos públicos (quando o governo é honesto); e tenho certeza que inúmeras pessoas ingressarão em vários cargos por influência política, como aconteceu em todos os processos seletivos promovidos pela PMRB até aqui. Se você está decidido participar do certame e não tem padrinho, saiba que você corre o risco de ser preterido por quem tem e se reclamar não será aproveitado no futuro. Sempre funcionou assim e eu já estou avisando.

Esses são os temas do "Conexão Flávio Azevedo", desse sábado (18/02).

"Cadê o dinheiro que estava aqui?".

Flávio Azevedo
A ex-prefeita deixou o governo em 31/12/2016 (graças a Deus) com a desculpa de que não tinha dinheiro para pagar os servidores. Lorota! Na verdade tinha dinheiro e ela preferiu quitar compromissos assumidos com fornecedores. A dívida em dezembro com o funcionalismo era R$ 9,5 milhões, sendo R$ 3,5 milhões referentes ao pagamento de dezembro; R$ 3,5 milhões referentes ao 13º salário; R$ 1 milhão para comissionados; e R$ 1,4 milhão para contratados. Se a folha de pagamento estava inchada a culpa é dela.

Partindo da informação do atual prefeito, de que a Prefeitura, em dezembro de 2016, pagou R$ 13 milhões a fornecedores, fica nítido que tinha dinheiro suficiente para pagar o funcionalismo (R$ 9,5 milhões) e ainda sobrariam R$ 3,5 milhões para ela agradar os amigos. O que a ex-prefeita fez mostrou mais uma vez o desinteresse dela pelo servidor e pela cidade. Eu não tenho dúvidas de que cerca de 70% desse valor (R$ 6,6 milhões) seria injetado no combalido comércio local o que representaria uma mão na roda para os nossos comerciantes.

Também está nítido que o prefeito José Luiz Antunes já tem dinheiro em caixa para honrar esses adiados compromissos com os servidores. Na última quinta-feira (16/02), por exemplo, durante a sabatina dos secretários, João Balbino e Matheus Neto; foi mostrado pelo vereador Humberto Belgues (PSL), que o saldo das contas da PMRB naquele dia era de R$ 16,8 milhões, sendo R$ 7,2 milhões de recursos próprios e R$ 9,7 milhões provenientes de convênio. Esses números mostram que a proposta de parcelar o 13º dos servidores em cinco vezes é no mínimo indecente.