terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Medicamentos sumiram do almoxarifado da Prefeitura de Rio Bonito na troca de governo

Flávio Azevedo
O secretário de Saúde, Matheus Neto; fala observado pelo vereador, Edilon de Souza Ferreira, o Dilon de Boa Esperança.
Alguns questionamentos seguem sem ser respondidos na mudança de governo que aconteceu em Rio Bonito. Diante de tanto desmando encontrado, nós ainda não recebemos notícias de que o atual governo esteja agindo energicamente para buscar respostas, punir infratores e mostrar a população que quem saiu não deve voltar nunca mais. Servidores com salário de dezembro e 13º atrasados, pagamentos da ordem de R$ 13 milhões a fornecedores (dinheiro que poderia pagar os servidores), veículos oficiais sucateados e depenados; são alguns dos problemas encontrados pela atual gestão.

No último dia 16 de fevereiro, após a primeira sessão Legislativa, os vereadores receberam a visita dos secretários municipais de Administração e Saúde, João Luis Balbino e Matheus Neto, respectivamente. As poucas e precisas perguntas feitas pelos parlamentares ao titular da pasta de Administração deixaram muito nítido que o Decreto de Calamidade Financeira, um dos primeiros Atos Oficiais da gestão Mandiocão, não passou de uma malfadada estratégia política. O que se percebe é que a ideia da atual gestão é colocar uma lente de aumento sobre os efeitos nefastos da gestão anterior, atitude dispensável, uma vez que em cada ponto do município é possível comprovar o poder de destruição de quem saiu.

A sabatina feita com o secretário de Saúde, Matheus Neto; tornou ainda mais claro o quanto a gestão anterior foi nociva para o município. Todavia, não dar clareza aos fatos anunciados e não buscar soluções para os problemas, além de tornar o atual governo conivente com os desmandos e absurdos, confirma uma suspeita que pouca gente tem coragem de dizer: os grupos políticos se alternam no poder, porque existe um revezamento planejado. Por isso, vários ilícitos são acobertados sob o tapete do cinismo e da certeza de impunidade.

Medicamentos sumiram
Aos vereadores, o secretário Matheus Neto contou uma história que precisa ser acompanhada de perto. Aliás, quem deixou o governo já deveria ter vindo a público prestar esclarecimentos. Segundo o secretário, uma carga grande medicamentos desapareceu do almoxarifado da Prefeitura.
– No dia 26/12/2016 foi recebida no almoxarifado da Secretaria Municipal de Saúde, uma quantidade grande medicamentos, mas para minha profunda tristeza quando nós chegamos lá no dia 01/01/2017 faltava muita coisa! Um processo administrativo de investigação já foi iniciado e boa parte dos recursos usados para pagar esses medicamentos era de convênios. Para onde foram esses medicamentos? Eu não posso fazer acusações, mas uma coisa eu posso afirmar: eles foram comprados dia 26/12, pagos dia 29/12 e não estavam lá no dia 01/01/2017 – disse Matheus.

Tomou a palavra do secretário, o vereador Humberto Belgues (PSL), que disse ser essa situação “caso de polícia”. O vereador destacou que “se você comprou dia 26, pagou dia 29 e dia 1º ao abrir a porta, a mercadoria não está lá, a polícia tem que ser acionada, vai investigar e os autores precisam pegar cadeia!”. O secretário agradeceu a fala do vereador e destacou que “algumas pessoas precisam estar preocupadas, porque se as notas foram atestadas, alguém recebeu esse material e se não recebeu deveria ter recebido”, pondera Matheus, reiterando que se a aquisição desses medicamentos foi feita com recursos federais, o que aconteceu é crime federal e a investigação também será realizada pela Polícia Federal.

Reação

O presidente da Câmara, vereador Reginaldo Ferreira Dutra, o Reis (PMDB), reagiu a declaração de que “os vereadores não fiscalizaram as ações do poder Legislativo” e acrescentou que na Legislatura anterior a Câmara contava com cinco vereadores que integravam a oposição. A vereadora Marlene Carvalho (PPS) e Claudinho do Bumbum Lanches (PR), que foram reeleitos; os vereadores, Aissar Elias (PMN) e Carlos Luiz Júnior, o Jubinha (PT do B); e atual vice-prefeita, Rita de Cássia. “E por que não fiscalizaram? Ou seja, não é uma questão ser ou não base governista”, disparou Reis, que pediu ao secretário o envio desses documentos para que a Câmara Municipal apure o que aconteceu.

Afirmando não estar interessado em defender nenhum parlamentar, Matheus Neto frisou que “tudo aconteceu no apagar das luzes, no fim do governo e acaba sendo compreensível o caso ter passado despercebido pelos vereadores”. O secretário disse que gostaria de saber como foi possível gastar tantos medicamentos e insumos em uma semana. Ele acrescentou que “é ainda mais complicado, porque a prefeita decretou ponto facultativo na última semana do ano, ou seja, as unidades estavam fechadas e a única unidade em funcionamento era da UPA”. Ainda segundo Matheus, é preciso agir. “O que fizeram foi feito com o povo de Rio Bonito e nós que vivemos aqui não podemos deixar por isso mesmo”.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Vereador Humberto Belgues volta ao poder Legislativo com todo gás

Flávio Azevedo
O vereador Humberto Belgues defende o seu ponto de vista da tribuna da Câmara.
Em 2012, o pião da legenda deixou de fora da Câmara Municipal de Vereadores de Rio Bonito, o funcionário público, Humberto Belgues (PSL); que retorna esse ano a Casa Legislativa e tem afirmado da tribuna da Câmara que retornou disposto a mostrar serviço. Logo na primeira sessão ordinária de 2017, realizada no dia 16/02, o parlamentar fez algumas críticas ao governo anterior e disse que “se eu fosse vereador na legislatura passada, vários erros cometidos pela ex-prefeita teriam sido evitados, porque eu não deixaria certas coisas acontecerem”.
– Quando a Câmara de Vereadores fiscaliza e age com firmeza, o prefeito erra menos e quem ganha é o município. Já estamos atentos ao mandato do prefeito, José Luiz Antunes (PP); para ajudá-lo a não cometer erros como aconteceu com a sua antecessora. Tem gente que me rotula como oposição, por conta dessa postura, o que não me deixa nem um pouco chateado, uma vez que a minha preocupação é com Rio Bonito e nosso povo – disse o vereador, que já está provocando polêmicas desde os primeiros dias de mandato.

Na sessão legislativa do dia 21 de fevereiro, Humberto apontou falhas no processo seletivo que a Prefeitura está fazendo para Secretaria Municipal de Promoção Social. Segundo o parlamentar, a ausência de vagas para pessoas com necessidades especiais pode cancelar o certame. Ele afirmou que o processo seletivo está sendo realizado em prazo muito curto para que toda população tivesse conhecimento. O vereador disse ainda, que a prova foi marcada para uma data muito próxima as inscrições e tudo isso pode cancelar o certame.
– Eu não estou pedindo o cancelamento do processo seletivo, mas que ele seja readequado, porque da maneira que está, se algum candidato se sentir prejudicado e recorrer a Justiça, certamente conseguirá anular. As pessoas com necessidades especiais foram excluídas, o que é uma falha grave num tempo em que tanto se fala de inclusão – disparou o vereador, ressaltando que embora saiba que será criticado pelos simpatizantes do governo, “esse é o meu papel e que essas falhas não se repitam nos próximos processos seletivos”.

A Prefeitura Municipal de Rio Bonito (PMRB) acabou adiando a data da prova de 24/02, para 12/03, porque cerca de 2 mil pessoas se inscreveram para concorrer as 67 vagas oferecidas. O vereador Humberto Belgues aproveitou para falar do polêmico concurso público realizado pela PMRB em 2016.
– É esse tipo de postura que eu adoto ajuda a evitar os erros. Muita gente até hoje critica o que aconteceu no concurso feito pela PMRB ano passado. Existe suspeita de fraudes, o certamente acabou sendo cancelado e o caso está sendo investigado pelo Ministério Público (MP). É exatamente por essa razão que eu estou aqui apontando essas falhas. Para que evitar que se repita o constrangimento que aconteceu nesse concurso da Prefeitura, uma vergonha para todos nós – explicou o vereador.

Outras questões
Na sessão Legislativa seguinte, Humberto Belgues criticou a intempestividade do Decreto que proibiu, durante os festejos de Carnaval, a comercialização de bebidas em garrafas no Mercado Municipal.
– Nós sabemos que essa proibição é uma prática normal em eventos maiores, mas o Decreto deveria ter sido publicado há cerca de duas semanas, porque, agora, os comerciantes já compraram os seus produtos e como vão fazer? Fechar as portas? – questionou Humberto, que disse estar cansado de ver tanto erro. “Tem dia que eu resolvo não dizer nada, porque quanto mais falamos mais o governo erra, mas eu não consigo ficar quieto, não é da minha natureza e eles não aprendem”, dispara o vereador, reiterando que “o prefeito e experiente, mas muita coisa mudou”.

Outra polêmica que tem sido comentada pelo vereador é relacionada ao contrato entre a PMRB e a casa de festas Espaço Ceccarelli, que o prefeito teria dito em reunião com os vereadores, que a PMRM pagava R$ 40 mil mensais aos proprietáris do espaço. O parlamentar destacou que o valor não era esse e que a Câmara segue aguardando o envio do contrato para análise dos edis. “Não estavam encontrando o processo, mas eu fui lá, encontrei e olha que eu nem fazia parte do staff de trabalho da gestão anterior! O prefeito é experiente, mas isso não é suficiente para ver tudo sozinho. Além disso, ele precisa estar mais bem assessorado e principalmente dialogar mais com a Câmara e com a sociedade”, concluiu.

Segurança preocupa vereador Peixotinho de Tanguá que defende monitoramento

Flávio Azevedo
Assunto muito comentado em Tanguá e Região nos últimos meses, a insegurança é uma preocupação constante do vereador, Paulo Roberto Ferreira Peixoto Sobrinho, o Peixotinho De Tanguá (PSDB). Policial militar reformado, o parlamentar conhece o assunto e afirma que implantar um sistema de monitoramento na cidade é urgente. A entrevista foi um dia depois do furto do Banco do Brasil, em Tanguá, onde marginais entraram na agência durante a madrugada e conseguiram abrir um dos caixas eletrônicos.
– Já é uma ideia antiga que queremos e precisamos por em prática. Acredito que resolveria muitos problemas que estão atingindo a nossa cidade e recentes situações que ocorreram em Tanguá seriam evitadas. Os marginais seriam identificados e o cidadão ficaria protegido – disse Peixotinho, acrescentando que além do monitoramento, o aumento do efetivo de policiais militares é importante.

Com um número estatístico da Organização das Nações Unidas (ONU) em mãos, o vereador explica que Tanguá deveria contar com 92 policiais. Peixotinho fala embasado num estudo da ONU que aponta ser necessário um policial para cada 250 habitantes. “Levando em conta que Tanguá tem cerca de 33 mil habitantes, nós concluímos que a cidade deveria contar 92 policiais, o que está longe de acontecer”, frisou o vereador.

"Capitão do Mato" II

Flávio Azevedo
Depois da primeira história as demais vão chegando. Em determinada escola da rede municipal de Educação de Rio Bonito, a nova gestora chegou cheia de empolgação e botando a turma para desempenhar "tarefas extras". Diante da resistência de alguns, a nova gestora teria desferido humilhações contra cinco servidores e devolvido o quinteto à Secretaria de Educação.

O problema é que as gracinhas ditas pela "empolgada gestora" foram gravadas por um dos integrantes do quinteto, que frente ao secretário de Educação apresentou a gravação com as doces palavras e a maneira gentil com que foram tratados. Segundo as nossas fontes, o quinteto estava pronto para rumar para o Ministério Público.

Diante do conteúdo da gravação e da contundência das palavras da "empolgada gestora" não sobrou outra alternativa ao secretário que não fosse devolver o quinteto à escola de origem e substituir a "empolgada gestora" por alguém que saiba lidar com os iguais e tenha boas maneiras.
E viva a tecnologia! #flavioazevedo

Publicado Edital para o processo seletivo da Saúde da Prefeitura de Rio Bonito

Flávio Azevedo
Nesse sábado (25/02), o jornal Gazeta Rio Bonito chegou as bancas com o Edital do PROCESSO SELETIVO DA SAÚDE. São várias vagas para contratação imediata e cadastro de reserva. Segundo a minha fonte, as inscrições ocorrerão nos dias 02 e 03 de março, no Centro Administrativo da Secretaria Municipal de Saúde, na Bela Vista, entre ás 9h e 16h. As provas, ainda sem local e horário definidos, serão realizadas no próximo dia 12 março. 

PS: sobre o processo seletivo da Educação, não há notícias de publiicação do Edital. Quando eu souber certamente irei avisar. #flavioazevedo

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

"Capitão do Mato" persegue colega da Rede Municipal de Educação

Flávio Azevedo
Segundo um servidor público municipal de Rio Bonito, que cerca de 15 anos atua como zelador em determinada escola da rede municipal, no início do ano ele recebeu um telefonema da empolgada nova gestora escolar o convocando para pintar a unidade. Ele entendeu o entusiasmo da gestora, mas disse que não poderia colaborar, porque além de trabalhar em outro município, ele têm outros compromissos profissionais durante o dia. A gestora disse “você tem que vir”. Ele insistiu que “não seria possível”.

Para surpresa do zelador, dias depois ele foi devolvido a Secretaria Municipal de Educação. O zelador questionou a justificativa da devolução, uma vez que sempre cumpriu o seu horário, está lotado na referida unidade há cerca de 15 anos, além de ser funcionário efetivo do quadro da Prefeitura. A resposta foi que não havia um motivo para a devolução, simplesmente ele foi devolvido.

O servidor entendeu que a devolução aconteceu pela impossibilidade de fazer parte do mutirão. O zelador questiona se essa seria realmente a forma de lidar com um servidor que está lotado há tanto tempo na unidade e se essa é realmente a maneira de lidar com um colega de trabalho. O caso foi denunciado ao núcleo local do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe), está documentado e, segundo ele, será encaminhado ao Ministério Público.
– Eu já vi perseguição por causa de política. O cara não apoiou o candidato eleito, fez campanha para o derrotado, mas ser perseguido pelo gestor escolar, porque não foi possível participar de atividades que estão sendo realizadas fora do meu horário de trabalho é um absurdo e posso entender como assédio moral – comenta o servidor, acrescentando que ele tem ouvido outras histórias nesse sentido com outros colegas.

O que fica nítido é que estamos diante de um típico caso que eu identifico como “Síndrome do Capitão do Mato”, uma das doenças mais sérias que existe na máquina pública. Por que “Capitão do Mato”? Bem, todos sabem que o “Capitão do Mato” era o elemento responsável por capturar negros fujões no período que havia escravidão no Brasil. O que algumas pessoas não sabem é que “Capitão do Mato” não era um português loiro de olhos azuis, mas sim um negro de confiança do senhor de engenho. Uma vez investido de “Capitão do Mato”, esse negro tinha a função de castigar os seus iguais e ele fazia isso com prazer e em nome de manter alguma regalia que lhe era dada pelo senhor de engenho.

O que se percebe é que entra governo e sai governo e os “Capitães do Mato” se multiplicam, porque escravos querem manter regalias e porque o senhor de engenho se aproveita da ganância do ser humano. A pergunta que faço é como certas pessoas não tem vergonha de agir dessa maneira, uma vez que meses atrás estavam participando de movimento grevista, cobrando “valorização profissional” e exigindo “respeito aos profissionais de Educação”. Se existe algo que dá medo na natureza criada por Deus é o tal do ser humano.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Último dia de inscrições para o processo seletivo da Secretaria de Promoção Social de Rio Bonito

Flávio Azevedo
Encerram-se nessa quarta-feira (22/02) as inscrições para o Processo Seletivo promovido pela Prefeitura de Rio Bonito para o provimento de vagas da Secretaria Municipal de Promoção Social. As inscrições estão acontecendo no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), na Rua Major Bezerra Cavalcante, 654, no Centro. Os interessados devem comparecer ao local portando carteira de identidade, CPF e comprovante de residência. Os vencimentos vão de R$ 937,00 a R$ 1.784,00. A fila é grande no local.

Foram disponibilizadas 67 vagas para os seguintes cargos: Assistente Social (06 vagas), Nutricionista (01), Articulador de Projetos/ Coordenador (04), Cuidador de Criança e Adolescentes de Abrigo Institucional (12), Educador Social (04), Assistente Administrativo (04), Cadastrador Bolsa Família (04), Instrutor de Esporte, Lazer, Qualidade de Vida e Cultural (02), Instrutor de Oficina de Manicure e Pedicure (02), Instrutor de Oficina de Estética e Beleza (03), Apoio e Manutenção (08), Instrutor de Oficina de Música (02), Instrutor de Oficina de Dança (02), Instrutor de Oficina de Customização (02), Instrutor de Brinquedoteca (03), Cozinheira (02), Motorista (02) e Instrutor de Oficina de Panificação e Confeitaria (02).

O processo seletivo será realizado em duas etapas: prova objetiva, conforme o conteúdo programático disponível no site da Prefeitura (http://migre.me/w6nUe) e análise curricular. A prova será realizada nessa sexta-feira (24/02), na Escola Municipal Mauricio Kopke, no Centro.

Apesar da declaração do vereador Humberto Belgues (PSL), na sessão Legislativa dessa terça-feira (21/02), de que falhas no Edital podem resultar no cancelamento do processo seletivo, a Prefeitura ainda não emitiu nenhuma nota informando qualquer tipo de mudança no cronograma anunciado para o certame

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Processo seletivo da Prefeitura de Rio Bonito pode ser cancelado

Flávio Azevedo
Por conta de falhas como a ausência de vagas para pessoas com necessidades especiais, o processo seletivo que está sendo realizado pela Prefeitura Municipal de Rio Bonito pode ser cancelado. O alerta foi feito pelo vereador Humberto Belgues (PSL) na sessão Legislativa dessa terça-feira (21/02). O parlamentar mencionou o processo seletivo da Secretaria Municipal de Promoção Social, segundo ele, realizado em prazo muito curto para que toda população tivesse conhecimento do certame.

Ainda segundo o vereador, ele não está pedindo o cancelando do processo seletivo, mas que o certame seja readequado, “porque da maneira que está se algum dos candidatos se sentir prejudicado e recorrer a Justiça certamente conseguirá anular o processo seletivo”, concluiu. 

A Prefeitura Municipal de Rio Bonito (PMRB) está realizando dois processos seletivos, um para a Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp), que estão com inscrições abertas até sexta-feira (24/02). Os interessados podem se inscrever na própria Secretaria de Obras, no Centro Administrativo da PMRB, na Praça Cruzeiro. As provas serão aplicadas no dia 07 de março. 

O outro é para Secretaria de Promoção Social. As inscrições foram abertas, hoje, e já se encerram amanhã. As inscrições estão sendo realizadas no Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), localizado na Rua Major Bezerra Cavalcante, nº 654, no Centro (onde era a base do SAMU). As provas serão aplicadas já na próxima sexta-feira (24/02), no Colégio Municipal Maurício Kopke, no Centro.

"Solandiocão" é o mal que prejudica o Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Rio Bonito

Flávio Azevedo
A assembleia que representa os cerca de 3 mil servidores.
Nessa segunda-feira (20/02), além da confirmação da greve dos profissionais de Educação a partir de 06/03, também foi para as mídias sociais a assembleia do Sindicato dos Servidores Municipais de Rio Bonito (Sinsmurb), que mais uma vez teve como pauta o Instituto de Previdência desses servidores. De 2.036 mil efetivos e 900 inativos, cerca de 50 compareceram. Uma assembleia com muito palavrório e intenções variadas para tratar de um único motivo. Diante de tanto que se fala do Instituto de previdência dos Servidores Municipais de Rio Bonito (Iprevirb), eu decidi anotar algumas impressões sobre o tema.

O Iprevirb é um problema desde a sua criação. Estamos falando de 2002, quando a então prefeita Solange Almeida não aportou os R$ 5 milhões que deveria ter aportado no Instituto (e nenhum servidor disse nada). O tempo passou, ela saiu e entrou Mandiocão, que entre 2005 e 2012, segundo o vereador Humberto Belgues, fez oito parcelamentos e não cumpriu nenhum (e nenhum servidor disse nada). 

Em dezembro de 2013, porém, acontece uma das maiores aberrações da história política de Rio Bonito. A prefeita, aquela que ficou devendo R$ 5 milhões em 2002, de volta a Prefeitura de Rio Bonito, precisando gerar emprego para acomodar seus simpatizantes, arquitetou e executou um golpe no Iprevirb. Ela destituiu a diretoria que contava com dirigentes eleitos e colocou servidores nomeados por ela (e nenhum servidor disse nada). Em 2015 houve novo bote, na fatídica reunião itinerante que ocorreu na Escola Municipal Albino Thomáz de Souza Filho (no bairro Monteiro Lobato). Dessa vez, eu vi uma ou duas pessoas reclamando! 

Penso que é justa toda e qualquer manifestação do servidor sobre o Iprevirb, mas atualmente está nítido que existe uma ação orquestrada pelo poder Executivo. O que causa estranheza é que se o Executivo deseja fazer mudanças no Instituto, por que não preparar nova Lei em conjunto com a categoria e submetê-la a apreciação da Câmara Municipal? Encaminhada a tal Lei para o Legislativo, caberia ao servidor o papel de lotar as dependências da Câmara para cobrar a aprovação Legislativa.

O que está nítido em todo esse imbróglio é o que acontece em quase todos os problemas de Rio Bonito: na ânsia de proteger prefeitos irresponsáveis, as pessoas preferem acusar outros atores. Estamos falando de pessoas que não são de todo inocentes. Entretanto, pouca gente quer reconhecer a culpa daqueles que governaram a cidade nos últimos 25 anos e tiveram ação direta sobre essa questão. Se você ainda não sabe quem é o culpado pelos problemas do Iprevirb, eu te apresento: “Solandiocão Almeida Antunes”. 

Vejo gente falando dos super salários de diretores do passado, falam do volume de cargos da atual diretoria (chamado também de trem da alegria), mas o fato de que tudo isso aconteceu com a bênção dos prefeitos que há 25 anos se repetem poucos querem enxergar. Nessas discussões sobre o Iprevirb, os R$ 200 milhões de dívida do Instituto, que nascem em 2002 não é comentado. Os parcelamentos que não foram pagos por Mandiocão também são convenientemente esquecidos. 

Não há como contestar que o golpe de 2013 foi uma ação direta da ex-prefeita sobre o Iprevirb. Também não há como contestar que o atual prefeito arquiteta um golpe, mas percorrendo outros caminhos. Enquanto ela atuou na calada da noite, ele usa a massa de manobra. Concordando ou não com o golpe de 2013, o que era aberração ganhou configuração legal, foi aprovado pela Câmara de Vereadores, o caminhão de cargos está dentro de um arcabouço funcional e só é possível desmontar isso tudo de forma legal e não na marra! Outro caminho seria recorrer ao Judiciário e aos serviços de um Siro Darlan ou de um Napoleão, como aconteceu em duas situações recentes em nossa cidade.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Vereadores de RB pedem que Marcos Abrahão busque recursos da UPA

Flávio Azevedo
Na última sexta-feira (11/02), eu acompanhei um encontro de cinco vereadores de Rio Bonito com o deputado estadual, Marcos Abrahão (PT do B). O objetivo foi tratar de recursos que o governo do estado deve a Prefeitura de Rio Bonito (repasse para a UPA da ordem de R$ 6 milhões). Depois das minhas postagens sobre o encontro, um arranca rabo passou a existir na cidade, porque algum mal intencionado divulgou a notícia que vereadores e Marcos Abrahão estavam se juntando para tirar Mandiocão da Prefeitura. O que foi combinado no encontro é que no próximo dia 07/03, o deputado vai oficialmente a Câmara de Vereadores dialogar sobre as pendências do Estado com o município.

Aos politiqueiros de plantão, eu gostaria de destacar o seguinte: Mandiocão só sai da Prefeitura se ele quiser. Está nítido que assim como aconteceu com a ex-prefeita Solange, que tinha um Napoleão pedindo por ela e a manteve no cargo até o término do mandato; o prefeito Mandiocão também conta com a simpatia do poder Judiciário. Aliás, se a tal liminar que está tramitando no Tribunal de Justiça do Rio, fosse ser julgada por um tribunal da Suécia ou da Noruega, eu até acreditaria que poderia haver um resultado contrário ao prefeito, mas quem vai julgar é o mesmo Tribunal que já decidiu a favor dele duas vezes, apesar dos pesares.

Então, se você é simpatizante de Mandiocão, fica frio! Ele vai até 2020. Se você não é simpatizante de Mandiocão, sinto muito, ele vai ficar até 2020! O Judiciário já decidiu que tem preferência por ele, decisões no plantão Judiciário, durante a madrugada, foram favoráveis a ele; as decisões em horário de expediente, também foram pró Mandiocão, então esqueçam! O recado que o Judiciário está nos dando desde que esse assunto chegou ao Tribunal de Justiça do Rio é o seguinte: “Deixa o Homem Trabalhar!”.

Servidora Nelma Sá externa anseios de toda uma categoria profissional

Flávio Azevedo
Eu admiro a fibra, o ativismo, a disposição da minha amiga Nelma Sá. Na última assembleia de profissionais de Educação, no dia 15/02, eu precisa de alguém que falasse pela categoria, sem ser professor. Alguém que falasse com a alma, com coragem, chamei Nelma e meu palpite de jornalista não estava errado. Ela me deu um belo depoimento! Fala Nelma Sá!

Prefeitura de Rio Bonito realiza patrolamento do estacionamento da ferrovia

Flávio Azevedo
Nesse domingo (19/02), operários da Secretaria de Obras e Serviços Públicos (Semosp), da Prefeitura Municipal de Rio Bonito (PMRB), estavam recapeando o estacionamento da ferrovia, no Centro de Rio Bonito. Em alguns pontos estava sendo colocando resto de asfalto. O ponto mais atacado pela equipe da Semosp foi atrás da rodoviária, onde o trânsito de veículos estava realmente muito prejudicado. 

A nossa reportagem aproveitou para registrar a ação das máquinas e deixar duas sugestões à PMRB, que já foram pauta em outras reportagens, mas quem comandava o município fez ouvido de mercador. A primeira dica é a escalação de uma dupla de guardas municipais ou agentes de transito para transitar exclusivamente no estacionamento, da Praça da Bandeira até a Rodoviária, com o objetivo de orientar os motoristas que estacionam erradamente. A presença dos guardas certamente inibiria a presença de ladrões, uma vez que é grande o volume de carros roubados no local.

A outra sugestão é o acesso ao estacionamento. Que seja determinado que a entrada seja sempre pelo lado direito e a saída pelo lado esquerdo ou vice e versa. É comum um carro que entra procurando uma vaga encontrar outro que vem no sentido contrário. Pela falta de espaço ambos não podem manobrar, por vezes, não conseguem voltar, porque já tem outro atrás; e a confusão está formada. Esperamos que as dicas sejam ao menos analisadas pela Secretaria Municipal de Ordem Pública.

Limpeza do município é condicionada a consciência de coletividade da população

Flávio Azevedo
No último dia 15 de fevereiro, na esquina das ruas, da Conceição e Santa Clara, no Centro de Rio Bonito, um charmoso sofá enfeitava o passeio público. O sofá, que parece ser bem macio, é mais um “Divã da Reflexão” que sempre vemos espalhados por aí. Sentado nesse pomposo sofá, o riobonitense poderá fazer um exercício reflexivo com algumas perguntas clássicas que ninguém (sociedade e poder público), consegue me responder:
1 – Por que somos tão “sujosmundo?
2 – Por que o poder público é tão relaxado?
3 – Por que a Prefeitura ainda não criou multa para essa gente?
4 – Até quando nossa imundície será tolerada por quem governa?
5 – Quando teremos um serviço de limpeza eficiente?
6 – Por que não criar o Dia do Bota Fora?
7 – Em quem votei na última eleição e por quê?
8 – Mesmo com tanta campanha pela limpeza, por que nós insistimos em emporcalhar as ruas e calçadas?

A cereja do bolo dessa imagem é o local. É comum, quando um foto dessas vem de bairros pobres e carentes, a desculpa para a falta de Educação e bom senso ser atribuída a pobreza, a falta de oportunidade, a vulnerabilidade social, entre outras desculpas esfarrapadas. Esse trecho da cidade, porém, é considerado “área nobre”, as moradias são boas, quem mora por aí em sua grande maioria tem boa escolaridade, tem posses e o trecho, se comparado com os tais bairros humildes, é bem assistido pelo poder público.

Isso comprova o que digo há anos para horror de muita gente (porque vestem a carapuça): escolaridade, situação econômica confortável e morar em área nobre, não significa que o sujeito terá Educação, bom senso e civilidade. Parece que precisamos evoluir muito ainda como sociedade! #flavioazevedo

Prefeitura de Rio Bonito abre Processo Seletivo para Secretaria de Obra e Promoção Social

Flávio Azevedo
O jornal Gazeta Rio Bonito, veículo Oficial da Prefeitura Municipal de Rio Bonito (PMRB), na edição desse sábado (18/02), publica o Edital dos processos seletivos para a Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (SEMOSP) e Secretaria Municipal de Promoção Social. São 180 vagas para o cargo de Auxiliar de Serviços Diversos na Semosp; e 67 para várias funções na Promoção Social, entre eles Motorista, Assistente Social, Nutricionista, Articulador de Projetos, Assistente Administrativo, Cuidador de Criança e Adolescente, entre outros.

As inscrições para o processo seletivo da Semosp estarão abertas entre os dias 20 e 24/02. Os interessados podem se inscrever na própria Secretaria de Obras, no Centro Administrativo da PMRB, na Praça Cruzeiro. As provas serão aplicadas no dia 07 de março. Já as inscrições para as vagas oferecidas pela Secretaria de Promoção Social estarão abertas entre os dias 21 e 22/02, na sede do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), localizado na Rua Major Bezerra Cavalcante, nº 654, no Centro (onde era a base do SAMU). As provas estão marcadas para o dia 24/02, no Colégio Municipal Maurício Kopke.

Ainda não há confirmação da publicação do Edital do processo seletivo das Secretarias de Educação e Saúde, mas nessa edição (511), o jornal Gazeta Rio Bonito publicou a Portaria 087/2017, que nomeia a comissão encarregada de organizar o certame que irá atender a Secretaria de Educação. Aos interessados é bom fica de olho.

Nota: Eu não concordo com esse mecanismo de preenchimento de vagas, penso que concurso público é o único meio honesto de contratação de pessoal para cargos públicos (quando o governo é honesto); e tenho certeza que inúmeras pessoas ingressarão em vários cargos por influência política, como aconteceu em todos os processos seletivos promovidos pela PMRB até aqui. Se você está decidido participar do certame e não tem padrinho, saiba que você corre o risco de ser preterido por quem tem e se reclamar não será aproveitado no futuro. Sempre funcionou assim e eu já estou avisando.

Esses são os temas do "Conexão Flávio Azevedo", desse sábado (18/02).

"Cadê o dinheiro que estava aqui?".

Flávio Azevedo
A ex-prefeita deixou o governo em 31/12/2016 (graças a Deus) com a desculpa de que não tinha dinheiro para pagar os servidores. Lorota! Na verdade tinha dinheiro e ela preferiu quitar compromissos assumidos com fornecedores. A dívida em dezembro com o funcionalismo era R$ 9,5 milhões, sendo R$ 3,5 milhões referentes ao pagamento de dezembro; R$ 3,5 milhões referentes ao 13º salário; R$ 1 milhão para comissionados; e R$ 1,4 milhão para contratados. Se a folha de pagamento estava inchada a culpa é dela.

Partindo da informação do atual prefeito, de que a Prefeitura, em dezembro de 2016, pagou R$ 13 milhões a fornecedores, fica nítido que tinha dinheiro suficiente para pagar o funcionalismo (R$ 9,5 milhões) e ainda sobrariam R$ 3,5 milhões para ela agradar os amigos. O que a ex-prefeita fez mostrou mais uma vez o desinteresse dela pelo servidor e pela cidade. Eu não tenho dúvidas de que cerca de 70% desse valor (R$ 6,6 milhões) seria injetado no combalido comércio local o que representaria uma mão na roda para os nossos comerciantes.

Também está nítido que o prefeito José Luiz Antunes já tem dinheiro em caixa para honrar esses adiados compromissos com os servidores. Na última quinta-feira (16/02), por exemplo, durante a sabatina dos secretários, João Balbino e Matheus Neto; foi mostrado pelo vereador Humberto Belgues (PSL), que o saldo das contas da PMRB naquele dia era de R$ 16,8 milhões, sendo R$ 7,2 milhões de recursos próprios e R$ 9,7 milhões provenientes de convênio. Esses números mostram que a proposta de parcelar o 13º dos servidores em cinco vezes é no mínimo indecente.

Parapentes marcaram o céu de Rio Bonito nesse domingo

Flávio Azevedo
Parapentes marcam o Céu de Rio BonitoNesse domingo (19/02), durante a partida entre Cruzeiro e Recanto, no Rio Bonito Atlético Clube (RBAC), chamou a nossa atenção o volume de parapentes que embelezavam o céu da cidade. Um deles desceu no RBAC enquanto aguardávamos a disputa de pênaltis que daria ao Recanto, o título de campeão da Taça Antônio Figueiredo.

Que a taça que leva o nome de um dos maiores desportistas da história da nossa cidade (Antônio Figueiredo); o belíssimo céu azul; a beleza dos parapentes; e a habilidade dos seus pilotos; sirvam de inspiração para aqueles que, hoje, pilotam a Prefeitura de Rio Bonito, cidade que já teve no Voo Livre uma das suas referências esportivas, mas que há anos está esquecido.

PS: é sempre bom lembrar que o abandono desse Esporte, assim como o descaso com a rampa de Voo Livre e o seu acesso (na Serra do Sambê) já era uma realidade antes do início desse governo tísico que esteve a frente do município entre os anos de 2013 e 2016.

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Sexta-feira termina com cinco presos em Rio Bonito

Flávio Azevedo
Dia agitado na 3ª CIA da Polícia Militar (Rio Bonito), nessa sexta-feira (17/02). As atividades começaram às 13h20min, na Rodoviária da cidade. De acordo com o registro, durante patrulhamento de rotina, ao passar pela Rodoviária, três homens que estavam sentados na parte de trás de um ônibus da São Geraldo, da linha Sambê, chamaram a atenção dos policiais. Eles foram identificados como Welerson Resende Ferreira, de 21 anos; Michel Christofer Silva Teixeira, de 18 anos; e Tiago Tavares da Conceição, de 26 anos.

Segundo o registro, ao perceberem a presença dos policiais, o trio se encolheu no intuito de se esconder. Percebendo o gesto, os policiais entraram no coletivo para abordagem os homens. Com Welerson e Michel, nada foi encontrado. Mas ao abordar Tiago, o policial percebeu que ele estava pisando sobre alguma coisa com o intuito de esconder. Foi solicitado que ele se levantasse para a revista pessoal. Com ele não havia nada, mas no local onde ele estava os policiais encontraram uma sacola contendo 20 pinos cocaína e 14 sacolés maconha, que Tiago negou ser de sua propriedade. 

O trio foi levado para a Delegacia para averiguação, sendo que Michel foi conduzido na condição de testemunha. Depois dos procedimentos protocolares na 119ª DP, onde o caso foi registrado, o trio seguiu para a 118ª DP (Araruama), onde Welerson e Tiago ficaram presos de acordo com o Art. 33 da Lei 11.343/06 (Lei de Tóxicos). Já Michel, que seguiu como testemunha, foi liberado.

Prisão no Parque das Acácias

Outra ocorrência aconteceu na Rua Maria do Carmo, no Parque das Acácias. Policiais militares prenderam Paulo Sérgio Alves de Oliveira da Conceição, de 19 anos; e Andriel Portugal Peçanha, de 19 anos. Segundo o registro, no momento da abordagem, Paulo Sérgio portava 61 pinos de cocaína de R$ 10,00; 25 pinos de cocaína de R$ 20,00; e R$ 35,00. Já Andriel Portugal Peçanha, de 19 anos; portava 13 pinos de cocaína de R$ 15,00; e 25 pinos de cocaína de R$ 20,00. Feito o registro protocolar na 119° DP, a dupla foi levada para a 118° DP (Central de Flagrantes), onde foram autuados e presos segundo o Artigo 33 da Lei 11.343/06 (Lei de Tóxicos).

Preso com arma falsa

A última ocorrência foi registrada por volta das 21h, na Bela Vista, próximo ao Centro de Reabilitação, onde a polícia prendeu, Valdeci Wallace da Silva Oliveira, de 25 anos. Segundo o registro, Valdeci estava com uma arma falsa (simulacro) e com o objeto tentou assaltar Sandro Júnior Cerqueira dos Santos, de 21 anos. O marginal foi conduzido a 119ª DP para ações protocolares e posteriormente foi conduzido a 118ª DP (Araruama), onde foi autuado e preso conforme Artigo 157 do Código Penal (subtrair coisa móvel alheia, para si ou para outrem, mediante grave ameaça ou violência a pessoa, ou depois de havê-la, por qualquer meio, reduzido à impossibilidade de resistência).

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Presidente da Petrobras garante retomada das obras do Comperj em encontro com prefeitos do Conleste

Flávio Azevedo
O prefeito de Rio Bonito, José Luiz Antunes (PP), participou do encontro
O presidente da Petrobras, Pedro Parente, anunciou, nessa quinta-feira (16/02), em encontro com os prefeitos do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento do Leste Fluminense (Conleste), a conclusão da Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN), no Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj). Os recursos para a finalização da unidade, cerca de US$ 2 bilhões, já estão previstos no orçamento da estatal.
– Podem ter absoluta certeza de que a obra será reiniciada. Esta unidade tem que acontecer. É prioritária para nós. Caso a unidade não fique pronta, nós teremos que diminuir a produção de campos do pré-sal, de onde parte da produção de gás será escoada pela UPGN. A previsão é de retomada das obras no segundo semestre de 2017 e a conclusão da unidade está prevista para 2020 – disse Parente, reiterando que “ao longo do ano serão licitados outros 23 contratos voltados às utilidades que viabilizarão a operação da UPGN, a exemplo de unidades de tratamento de água, fornecimento de energia e instalação de dutos”.

Outro compromisso de Pedro Parente com os prefeitos do Conleste foi avisar antecipadamente, caso seja preciso descontar o repasse de Participação Especial, como aconteceu em novembro de 2016. Ele aproveitou a oportunidade para noticiar que “com o aumento na produção de petróleo e gás, a perspectiva é de crescimento nos repasses, que já tiveram aumento em janeiro deste ano”.

Ainda segundo o comandante da estatal, que vem tentando se reerguer depois da crise institucional e política que atingiu o país, o atraso em entregas de plataformas aumenta os custos operacionais da Petrobras, o que culmina com perda de arrecadação em impostos. A importância das parcerias na área de refino também foi tema da fala do presidente, que revelou ser essa a única forma de concluir o Comperj. “Temos a esperança de que por intermédio das parcerias possamos encaminhar a conclusão da refinaria. É a única forma que temos de retomar a obra do Comperj”.

Impactos do fechamento do Comperj

O Comperj chegou a empregar 30 mil trabalhadores diretos e indiretos. Atualmente, a unidade possui apenas 300 empregados. Itaboraí foi um dos municípios mais afetados pelo abandono do projeto, que é alvo de investigação na Operação Lava Jato. Atualmente, a cidade tem três mil salas comerciais vazias em prédios construídos para atender às demandas do megaprojeto. Segundo dados da Prefeitura, só com a desmobilização do complexo, em 2015, a área de construção civil perdeu 12 mil postos de trabalho com carteira assinada. Em todo comércio da cidade outros 15 mil postos de trabalho foram extintos. O impacto também foi sentido na arrecadação do município. Dos R$ 32 milhões arrecadados no auge dos investimentos, R$ 18 milhões advinham do Comperj. Atualmente, esse número se aproxima de R$ 8 milhões.

Marcaram presença os prefeitos, Rodrigo Neves (Niterói); José Luiz Nanci (São Gonçalo,); Sadinoel Souza (Itaboraí); Anderson Alexandre (Silva Jardim); José Luiz Antunes (Rio Bonito); Valber Carvalho (Tanguá); Jocelito Oliveira (Guapimirim); Renato Bravo (Nova Friburgo); Paulo Dames (Casimiro de Abreu); e Mauro Soares (Cachoeiras de Macacu).

Mais um menor apreendido no Parque da Caixa D’água em Rio Bonito

Flávio Azevedo
O volume de envolvidos com o tráfico de drogas no local não diminui.
O bairro Caixa D’Água, mais precisamente o Parque da Caixa D’Água, se tornou um problema para o setor da Segurança Pública nos últimos meses em Rio Bonito. Apesar da atuação da polícia e das seguidas prisões e apreensões, o volume de envolvidos com o tráfico de drogas no local não diminui. Nessa quinta-feira (16/02), policiais militares apreenderam, no local, um menor de 17 anos. A história segue o roteiro de tantas outras que a nossa reportagem já contou de prisões na localidade.

Com o menor, os policiais encontraram uma Pistola, cal 9x19 mm, marca Canik Shark FC; um carregador e 14 munições intactas com numérica suprimida. Ele também tinha dois rádios Baofeng, um fone de ouvido e dois celulares. Pelo 190, a Polícia Militar recebeu denúncia de que elementos estariam traficando no local. Um cerco tático foi montado na mata, onde três elementos foram avistados. 

Ao verem a Polícia o trio fugiu, mas um deles foi capturado. O menor apreendido disse que estava há apenas um dia no tráfico da localidade e confirmou que um elemento chamado “Léo” é o gerente do tráfico no local. O menor foi conduzido a 119°DP, onde ficou apreendido e autuado conforme o Artigo 16 da Lei 10.826/03, que dispõe sobre registro, posse e comercialização de armas de fogo e munição; e o Artigo 35 da Lei 11.343/06, a chamada Lei do Tóxico.

Menores iludidos pelo tráfico

Menores continuam sendo presos, envolvidos em vários crimes, especialmente tráfico de entorpecentes. Na opinião do juiz da Infância e da Juventude de Ourinhos, Paulo André Bueno de Camargo, esta dura realidade que acontece em todo o Brasil é preocupante. “Os menores estão se iludindo no Brasil com o dinheiro fácil e os traficantes, cada vez mais, estão usando adolescentes no tráfico”. Para o magistrado, as crianças que não recebem assistência do Estado têm grande chance de serem seduzidas por traficantes. Ele acrescenta que adolescentes envolvidos em crimes já têm parentes na marginalidade. “O pai é traficante e está preso. A mãe também geralmente está envolvida no tráfico. Tudo isso é causado por uma desestruturação familiar” esclareceu.

Para especialistas em Segurança Pública, a contratação de menores pelo tráfico de drogas foi uma maneira do negócio sobreviver e manter os lucros. A estratégia dos criminosos é driblar condenações por tráfico de drogas e por isso recrutam menores de idade para fazer a venda direta ao usuário, uma vez que os adolescentes não cumprem penas, mas medidas socioeducativas. Diante desse cenário, adolescentes já envolvidos com o crime subiram no quadro hierárquico do tráfico. Eles deixaram o posto de “fogueteiro” (quem sinalizam a entrada da polícia no morro), para vender entorpecentes. Motivados pela oportunidade de ganhar dinheiro fácil, adolescentes que não integravam o tráfico também estão sendo atraídos pelos traficantes.

Cruzeiro e Recanto decidem Taça Antônio Figueiredo do Rio Bonito Atlético Clube

Flávio Azevedo
Cruzeiro e Recanto decidem, às 10h do próximo domingo (19/02), quem será o campeão da primeira Taça Antônio Figueiredo. A competição é uma realização do Rio Bonito Atlético Clube (RBAC) e conta com a organização do desportista Bruno Figueiredo, o Bruno Ollé. Para chegar a final, Cruzeiro e Recanto eliminaram Serrão e CFAF, respectivamente. Em partidas realizadas no último domingo (12), no Estádio José Alves Ventura, o Cruzeiro bateu o Serrão (5x2) e o Recanto fez 2x1 no CFAF.

A Taça Antônio Figueiredo é uma homenagem do clube a um dos desportistas mais emblemáticos de Rio Bonito e certamente o dirigente mais significativo da história do RBAC, agremiação esportiva que ajudou a fundar e que era sua grande paixão. Figueiredo faleceu no último dia 12 de novembro, aos 87 anos.  

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Menor é baleado próximo a “Fazenda Mega Sena”

Flávio Azevedo
Policiais não sabem informar com precisão as peculiaridades do crime. 
Por volta das 7h da manhã dessa quarta-feira (15/02), um menor de 17 anos, morador de Fazenda Brasil, em Silva Jardim, recebeu vários tiros. O crime aconteceu na estrada de Lavras, próximo a Fazenda Nossa Senhora da Conceição (Fazenda Mega Sena). O menor pilotava uma moto CG, cor preta, placa LLD – 9840 (Rio de Janeiro). Segundo informações colhidas na 3ª CIA da Polícia Miliar, o menor foi socorrido e está hospitalizado em estado grave. “Os disparos podem ter sido feitos com uma pistola 380”, disse um policial.

Ainda segundo a polícia, a motivação do crime pode ter sido um acerto de contas. Outra suspeita é que o menor pode ser o autor dos roubos e assaltos que ocorreram em Rio Bonito nesse fim de semana. “Várias vítimas dos assaltos que aconteceram em Rio Bonito nos últimos dias relataram que os marginais estavam numa moto preta, Isso nos leva a colocar esse jovem como suspeito”, conta um policial militar.

A identidade e origem desse menor e as suspeitas sobre ele mostram uma realidade apontada há bastante tempo pela polícia local e pessoas que acompanham o flagrante aumento da criminalidade em Rio Bonito: hoje, boa parte dos criminosos que estão atuando na cidade vem da Região dos Lagos e dos municípios de Silva Jardim e Casimiro de Abreu.
– Antigamente a vagabundagem que atuava em Rio Bonito era de Itaboraí, São Gonçalo, das favelas de Niterói e até do Rio de Janeiro. Eles descobriam que a cidade era tranquila e decidiam vir aterrorizar. Hoje, porém, os criminosos são da Região dos Lagos, de Silva Jardim e/ou Casimiro de Abreu. Para você ter uma ideia, boa parte dos carros e motos recuperados estava nesses lugares, o que é uma novidade e força uma mudança de paradigma no combate a criminalidade, porque esse marginal tem características, práticas e abordagens diferentes dos que chegam do Rio – explica um policial que pede para manter a sua identidade preservada.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Prefeitos do Conleste se reúnem com presidente da Petrobras nessa quarta-feira

Flávio Azevedo
Trabalhadores tomam ruas de Itaboraí/RJ por empregos e volta do Comperj
Os 11 prefeitos dos municípios que formam o Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento da Região Leste Fluminense (Conleste) vão se reunir nessa quarta-feira (14/02), com o presidente da Petrobras, Pedro Parente. O objetivo é discutir a importância da retomada dos investimentos na indústria naval e no Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj), além do repasse dos royalties do petróleo para os municípios. 

O encontro culmina com uma série de movimentos que as forças sindicais têm feito na Região nas últimas semanas. No último dia 31 de janeiro, por exemplo, trabalhadores do Comperj fizeram uma grande passeata pelas ruas de Itaboraí pedindo a volta das obras do empreendimento da Petrobras. O ato foi organizado pelos Sindicatos dos Metalúrgicos de Niterói e Itaboraí, Sintramon (Montagem Industrial) e Sinticom (Construção Civil) e percorreu cerca de cinco quilômetros partindo do Trevo da Reta (entrocamento entre a BR 101 e a RJ 116 que dá acesso ao Comperj) até a Praça Mal. Floriano Peixoto, em frente à Prefeitura, no Centro de Itaboraí. A manifestação ganhou o apoio de populares ao longo do trajeto.

O movimento é uma reação ao anúncio feito pela Petrobras de que as obras na Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN) seriam retomadas em 2018 e apenas com empresas estrangeiras. O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos e Diretor da Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM/CUT), Edson Rocha, cobrou mais transparência do presidente do Petrobras nas negociações com a classe trabalhadora.
– O presidente da Petrobras não pode achar que somos ‘bacurais’ para nos enganar com falsas promessas. Um dia afirma que as obras serão retomadas numa data. Depois, sem qualquer respeito, vai para a grande mídia e anuncia que os investimentos só voltarão em 2018. Estão querendo esperar as eleições nacionais para tomarem alguma decisão? – comenta o líder sindical, acrescentando que milhares de trabalhadores estão passando dificuldades. “Em Niterói, temos 3.5 mil metalúrgicos demitidos pelo estaleiro Mauá, sem receber suas indenizações e amargando sérios problemas financeiros”, criticou.

Os líderes sindicais também fizeram menção a decadência que atinge violentamente o comércio de Itaboraí após o fechamento do Comperj. “O comércio local deixou de empregar milhares de famílias. Todos estão perdendo com a paralisação. Os grandes, médios e pequenos empresários estão fechando as portas. Isso faz com que a criminalidade aumente. A retomada imediata das obras é boa pra todo mundo”, afirma o presidente do Sinticom, Manoel Vaz de Lima.

Impactos do fechamento do Comperj

O Comperj chegou a empregar 30 mil trabalhadores diretos e indiretos. Atualmente, a unidade possui apenas 300 empregados. Itaboraí foi um dos municípios mais afetados pelo abandono do projeto, que é alvo de investigação na Operação Lava Jato. Atualmente, a cidade tem três mil salas comerciais vazias em prédios construídos para atender às demandas do megaprojeto. Segundo dados da Prefeitura, só com a desmobilização do complexo, em 2015, a área de construção civil perdeu 12 mil postos de trabalho com carteira assinada. Em todo comércio da cidade outros 15 mil postos de trabalho foram extintos. O impacto também foi sentido na arrecadação do município. Dos R$ 32 milhões arrecadados no auge dos investimentos, R$ 18 milhões advinham do Comperj. Atualmente, esse número se aproxima de R$ 8 milhões.

Fonte: Brasil de Fato

Vereador Fernando da Mata responde crítica do presidente do Hospital Darcy Vargas

Flávio Azevedo
Em entrevista ao Grupo de Mídias O TEMPO no último dia 6 de fevereiro, o presidente do Hospital Regional Darcy Vargas (HRDV), José de Aguiar Borges (Kaki); afirmou que os candidatos que concorreram às eleições de 2016 usaram o nome do HRDV como plataforma de campanha, “mas não ajudaram em nada a unidade, nem antes, nem depois das eleições”. Na entrevista, Kaki disse, inclusive, que “se esses 131 candidatos viessem aqui doar sangue, já ajudariam, mas ninguém pensou nisso até hoje”.

O vereador Fernando da Mata
Diante das declarações do comandante do hospital, o vereador Fernando da Conceição Carvalho, o Fernando da Mata (PMN), decidiu falar sobre o assunto. O parlamentar afirmou que “o presidente do HRDV está se esforçando para fazer o melhor no comando da unidade, mas foi infeliz nas suas colocações”.
– Eu fiquei surpreso com as declarações de Kaki. Primeiro porque todos nós sabemos que ajudar o hospital durante a campanha seria considerado crime eleitoral. Mas depois das eleições eu fiz a minha parte. Eu não queria fazer propaganda desse ato, mas em virtude das declarações que eu ouvi, eu decidi falar. Eu soube que estava faltando alimento para os pacientes e funcionários. E como vários riobonitenses que ajudaram, eu também ajudei. Não foi aquilo que o hospital merece e precisa, mas foi o que estava dentro das minhas posses – disse o vereador. 

Carta de Agradecimento do HRDV ao vereador, Fernando da Mata.
Segundo Fernando da Mata, no dia 24 de outubro, ele doou para o HRDV, 80kg de frango, 15kg de músculo, 10kg de lagarto e 44kg de lombinho. O vereador tem em suas mãos, uma “Carta de Agradecimento”, curiosamente, assinada pelo próprio Kaki, que na entrevista diz desconhecer qualquer tipo de ajuda daqueles que participaram das eleições 2016. De acordo com a “Carta de Agradecimento”, a doação feita, à época, pelo vereador eleito Fernando da Mata, foi utilizada na alimentação dos pacientes e funcionários.

Vereadores de Rio Bonito pedem que Marcos Abrahão reforce busca de recursos para UPA

Flávio Azevedo
O deputado Marcos Abrahão (de amarelo); junto com os vereadores de Rio Bonito.
Em meados de 2016 o Ministério da Saúde anunciou que cerca de 500 Unidades de Pronto Atendimento (UPA) em todo país estavam fechando e/ou aguardando a conclusão das obras para serem inauguradas. Criadas para desafogar o fluxo de paciente nos hospitais, as UPAs foram diretamente atingidas pela crise econômica que atinge o país. No Rio de Janeiro, várias unidades foram fechadas (Cabo Frio, Barra Mansa, Angra dos Reis e São João de Meriti) e muitas estão próximas de encerrar suas atividades. 

Em Rio Bonito, o custeio da UPA é dividido entre governo federal, estadual e municipal. Todavia, a Secretaria de Estado de Saúde não repassa a sua parte há cerca de dois anos. Para a unidade seguir funcionando, o município completa a diferença. O valor é da ordem de R$ 400 mil. Em dois anos a dívida está na casa dos R$ 6 milhões. 

Com o objetivo de tratar esse tema e dialogar sobre outros assuntos relacionados a atrasos e pendências do governo do Estado com o município de Rio Bonito, um grupo de vereadores esteve na última sexta-feira (10/02) com o deputado estadual, Marcos Abrahão (PT do B). Os parlamentares pediram que o deputado leve essas questões, sobretudo as dívidas do estado com a UPA, ao Secretário de Saúde, Luiz Antônio de Souza Teixeira Júnior; e ao governador Luiz Fernando Pezão (PMDB).

Na oportunidade, o presidente da Câmara, vereador Reginaldo Ferreira Dutra, o Reis (PT do B); convidou o deputado para que ele esteja na Câmara Municipal nos próximos dias. Ficou combinado que Abrahão estará na sede do poder Legislativo no próximo dia 07 de março. “Será um prazer retornar a Casa em que atuei como vereador entre os anos de 2001 e 2002”, disse Abrahão.

UPAs um problema em todo país

Em todo o país, 188 UPAs estão prontas, mas não funcionam. Trezentas e vinte e quatro estão em construção. O Governo Federal paga boa parte da obra e depois ajuda com recursos para a manutenção, mas o município e os estados têm que entrar com dinheiro para comprar medicamentos, pagar salários e tem que cumprir algumas regras, como manter a UPA funcionando 24 horas por dia com um número determinado de médicos. O problema é que está faltando dinheiro para bancar esses custos.

Embora tenham assinado convênios que previam a necessidade de pagarem parte dos custos de funcionamento das UPAs, muitos municípios, agora, dizem que não têm esse dinheiro e cobram ajuda do governo. Os prefeitos sugerem mudança nas regras das futuras unidades e afirmam que dá para colocá-las em funcionamento desde que elas possam, por exemplo, ficar abertas apenas durante o dia.
– Que os prefeitos possam utilizar essas unidades, essas estruturas de acordo com a necessidade do município. Pode ser que funcione como um pronto socorro, como um pronto atendimento, como um centro de especialidades ou funcione durante 12 horas e não funcione à noite – diz o Presidente do Conselho Nacional dos Secretários Estaduais de Saúde (CONASS), João Gabbardo. 

Cremerj prevê fechamento até UPAs e hospitais

Se nada for feito até o final do ano, hospitais e unidades de Saúde de todo o estado correm o risco de fechar as portas, aponta um relatório divulgado em outubro de 2016, pelo Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj). O órgão pediu a intervenção do governo federal na área de Saúde, combalida por conta da crise financeira do estado. Gil Simões, diretor e coordenador da comissão de fiscalizações do Cremerj, afirma que a dívida da Saúde no estado já chega a R$ 2,5 bilhões. Faltam insumos, remédios e leitos nas principais unidades e os médicos da rede correm o risco de ficar sem salário.

O Cremerj solicitou audiência com o Ministério da Saúde, em que pede a instalação de um gabinete de crise, com todos os níveis de governo. O Ministério comunicou que liberou R$ 65 milhões extras este ano para reforçar a Saúde no estado. Segundo a secretaria estadual, de janeiro a outubro o setor recebeu R$ 393 milhões, cerca de 40% do orçamento previsto para a pasta. O Cremerj afirma que o estado não tem investido os 12% na Saúde como preconiza a Lei de Responsabilidade Fiscal.

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Vereadores de Rio Bonito querem suspender cobrança da Contribuição de Iluminação Pública

Flávio Azevedo
Seguindo a moda de outros municípios que enfrentam problemas com a iluminação pública, a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Rio Bonito pediu que a Contribuição de Iluminação Pública (CIP) seja suspensa até que o serviço seja prestado ao contribuinte. Alvo de constantes críticas, a prestação desse serviço irrita o cidadão, porque ele paga mensalmente a CIP, mas o serviço não é prestado. “Eu pago R$ 12,00 por essa bendita iluminação pública, mas na minha rua boa parte dos postes estão apagados há pelo menos dois anos”, reclama uma ouvinte do Programa Flávio Azevedo, que vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 13h, pela Rádio Jornal 1340 AM – Leste Fluminense. 

Moradora de uma localidade interiorana do município, a ouvinte acrescenta que “além das ruas estarem um breu durante todo esse tempo, há vários meses eu tento ligar para a Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos para reclamar e não consigo, porque os telefones de lá estão cortados”, reclama a ouvinte. Outro pedido de socorro chega ao Grupo de Mídias O Tempo pelo Facebook. A reclamante afirma que em sua localidade “as ruas estão todas escuras” e revela que “as pessoas estão sendo assaltadas no ponto de ônibus”.
– Várias pessoas saem daqui por volta das 5h da manhã, quando ainda está escuro, para trabalhar. Semana passada, duas moradoras do bairro, que trabalham no Oásis Graal, foram assaltadas nesse horário. Estamos com medo de acontecer alguma coisa pior, por favor, nos ajude, porque as ruas estão todas muito escuras e não adianta reclamar, porque não somos atendidos – pede a seguidora da nossa.

O Ofício que a Câmara de Vereadores encaminhou a Prefeitura de Rio Bonito pedindo a suspensão da CIP foi encaminhado na última quinta-feira (07/02). A ideia é suspender a cobrança enquanto não for regularizada a prestação do serviço em todo município. Além do presidente da Casa, vereador Reginaldo Ferreira Dutra, o Reis (PMDB); os vereadores, Abner Alvernaz Júnior, o Neném de Boa Esperança (PMN); Edilon de Souza Ferreira, o Dilon de Boa Esperança (PSC); Fabiano Cardozo, o Zeroca (PTB); Fernando Carvalho, o Fernando da Mata (PMN); Humberto Belgues (PSL) e Rafael Caldas, o Rafael do Rio do Ouro (PT do B), assinaram o Ofício.

Em 19 de maio de 2015, também por conta das inúmeras reclamações sobre a falta de Iluminação Pública, o então secretário de Obras e Serviços Públicos, Flávio Soares; foi convocado a Câmara de Vereadores. Á época, o objetivo dos parlamentares foi pedir que o secretário explicasse a falta de iluminação pública generalizada no município. O vereador Dilon de Boa Esperança lembra que depois das cobranças dos vereadores o serviço melhorou, mas não como precisava. 

O pedido de cancelamento da CIP já foi cogitado em outra oportunidade. Em janeiro de 2016, o presidente da Associação de Moradores de Boa Esperança (Amobe), Alex Hudson; anunciou que a entidade iria ingressar no Ministério Público (MP) pedindo o cancelamento do cobrança, porque a prestação do serviço na área de abrangência da Amobe era inexistente. 

A cobrança é uma tarifa ilegal 
Na década de 1980, vários municípios brasileiros passaram a cobrar mais um tributo do cidadão: a Taxa de Iluminação Pública (TIP). Uma enxurrada de ações desaguou na Justiça Federal, que suspendeu a cobrança, sob o argumento de que um dos requisitos constitucionais de uma taxa é que ela tenha caráter individual e específico divisível, o que não era o caso. Mas a história não acabou aí. Em 2002, o Congresso Nacional aprovou uma Emenda Constitucional que liberou a volta da taxa. Ela ganhou o nome de COSIP (Contribuição para Custeio do Serviço de Iluminação Pública) em algumas regiões, e CIP (Contribuição de Iluminação Pública) em outras. Independentemente do nome, a função é a mesma, contribuição de iluminação pública.

No Rio de Janeiro, o Ministério Público Federal (MPF) não desistiu. Em 2007, impetrou uma ação civil pública questionando não a cobrança, e sim, a forma como ela chega ao consumidor. O pedido era que a Light, concessionária que fornece energia a 31 municípios do Estado, passasse a emitir as faturas com dois códigos de barra: um correspondente ao valor do consumo mensal e outro para o custeio do serviço de iluminação pública. “Na verdade o que existe hoje é uma forma indireta de cobrança de um tributo e as pessoas ficam completamente indignadas, porque não têm luz na sua rua, não têm como discutir aquela cobrança e são compelidas, são obrigadas a pagar a contribuição de iluminação pública tão somente com medo da luz da casa delas ser cortada”, disse Antônio do Passo Cabral, procurador da República que assinou a ação.