domingo, 20 de março de 2016

“Domingo de Ramos” é memorial à entrada de Jesus em Jerusalém

Flávio Azevedo 
O Domingo de Ramos abre a Semana Santa, quando os cristãos católicos celebram a entrada triunfal de Jesus Cristo em Jerusalém, dias antes de sofrer a Paixão, Morte e Ressurreição. Este domingo é chamado assim porque o povo cortou ramos de árvores, ramagens e folhas de palmeiras para cobrir o chão onde Jesus passava montado num jumentinho. Com folhas de palmeiras nas mãos, o povo o aclamava “Rei dos Judeus”, “Hosana ao Filho de Davi”, “Salve o Messias”. É essa entrada em Jerusalém, acompanhada de longe pelos sacerdotes e mestres da lei, que dá início ao plano da crucifixão.

Cheio de esperança, o povo aclama Jesus por verem nele o Libertador do jugo romano. Como acontece em dias atuais, o povo não prestava atenção quando o nazareno dia “o meu reino não é desse mundo”. Os judeus estavam concentrados no sofrimento que os romanos lhes impunham e acreditavam que a libertação era material. Realmente não era fácil a escravidão política e econômica imposta pelos romanos.

Assim como o torcedor de um clube de futebol ovaciona os seus ídolos num dia e achincalha no outro, os judeus, por manipulação das autoridades religiosas, acusariam Jesus de impostor, falso messias e incitados pelos líderes locais pediriam a soltura de Barrabás e para Jesus: “crucifica”. Ele recebeu um julgamento injusto, as testemunhas de acusação foram compradas, porque o objetivo era condená-lo. O restante da história nós conhecemos.

A celebração do Domingo de Ramos remete a esses acontecimentos e pode ser chamado de "Domingo de Ramos da Paixão do Senhor". Nesse dia os cristãos são convidados a celebrar os acontecimentos da vida de Jesus que se entregou pela humanidade. O discípulo João, no seu evangelho, escreve: “porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu o seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. #flavioazevedo

Aos cristãos, o padre Eduardo Braga, pároco da Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição de Rio Bonito deixa uma reflexão intitulada “Como viver bem a Semana Santa?”.

Somos um país de raiz profundamente cristã. Nossa cultura e, nestes próximos dias, também o nosso calendário, nos dão prova disso. Não é possível construir uma sociedade verdadeira sem a referência e a vivência dos valores humanos e cristãos. Construir, pensar e legislar prescindindo de Deus é uma tolice que a história nos comprova. Deus é nosso melhor e maior Recurso!

Pois bem, aproximando-se da Semana Santa, partilho algumas intuições que podem nos ajudar a vivê-la como cristãos autênticos, ou, ainda, como homens e mulheres de boa vontade que possuem bases cristãs e respeito a Deus.

1- Ainda que você retire esses dias para o justo descanso viajando, não se esqueça de Deus! Sendo você cristão católico veja com antecedência os horários da programação local. Ao menos a Missa do Sábado de Aleluia deve ser vivida com intenso fervor e devoção. Se você for evangélico-protestante, não deixe de celebrar o Domingo de Páscoa. Medite também o mistério da Cruz do Senhor. Se você é um irmão ou irmã que está afastado ou não pratica nenhuma religião, que tal ler um dos relatos do Evangelho sobre a Paixão e Morte de Jesus ou assistir um Filme?

2- Gostaria de pedir algo aos jovens: Não façam nem participem de festas na Sexta Feira Santa! Seria um ato de desrespeito e ultraje ao Cristo Jesus. Neste dia, somos chamados ao recolhimento e a sobriedade. Ok?

3- Se você é educador ou pai, estes dias são oportunos para falar do Amor de Deus aos seus filhos! Precisamos tanto do Amor nestes tempos! Não permita que o coelho roube o lugar do Salvador! Se você é cristão, recorde-se dos nossos irmãos mais velhos, os judeus. A Páscoa judaica era o momento propício deles recordarem as maravilhas do Senhor, ensinando às novas gerações;

4- Em muitas famílias, ainda há o salutar costume do almoço dominical. Poder-se-ia aproveitar o Domingo de Páscoa para se realizar um grande almoço festivo, onde houvesse um momento de reconciliação coletiva e uma oração de ação de graças pela salvação que Jesus nos trouxe na Páscoa. Um Pai Nosso bem rezado pode alcançar tantos corações!

5- Nosso País, que possivelmente atravessa um dos momentos mais difíceis de sua história, foi descoberto no tempo da Páscoa. Os cristãos que frequentam a Casa de Deus, os homens e mulheres tementes a Deus que oram e rezam em suas casas, poderiam elevar um grande clamor a Deus pela restauração e avivamento da nossa nação. Há uma palavra bíblica que diz: “Se então o povo sobre o qual for invocado meu nome se humilhar, orar, me procurar e se converter de sua má conduta, eu escutarei do céu, lhe perdoarei o pecado e restituirei a saúde da terra” (II Crônicas 7,14).

Nenhum brasileiro pode se omitir nesta hora! Jesus Ressuscitado abençoe a nossa Pátria e povo brasileiro livrando-nos das serpentes, cobras, jararacas e escorpiões. Maria pise a cabeça de todos eles e interceda pelo bem de nosso povo para que haja ordem e progresso, Páscoa verdadeira, e não apenas no calendário civil e religioso. Deus, salve o nosso povo! Deus, salve o Brasil! Queremos uma Semana Santa, um Ano Santo, uma Nação Santa! Lave a jato todo mal! Amém!

Padre Dudu

quarta-feira, 16 de março de 2016

Um "bacanal" na "Capital"!

Flávio Azevedo
O dia 16 de março na Cultura Romana é destinado a Baco, o deus do vinho, dos grãos, da fertilidade e da alegria. Nesse dia era realizado o que chamam de “Bacanal”, uma festa regada a muita orgia e bebedeira. Parece que para celebrar Baco, o governo federal, que está um verdadeiro “bacanal”, resolveu anunciar a nomeação do ex-presidente Lula para o cargo de ministro chefe da Casa Civil. O propósito é escondê-lo das investigações da Lava Jato e do juiz Sérgio Moro.

O ex-presidente, que de cavalo foi rebaixado a pangaré, assume o cargo do aniversariante do dia, Jacques Wagner. Eu aposto que essa ideia é do também aniversariante do dia, José Dirceu (ex-ministro chefe da Casa Civil do governo Lula), atualmente preso por comandar o escândalo do mensalão, que Lula insiste em dizer que nunca existiu.

Uma data emblemática, uma nomeação emblemática, não poderia acontecer num dia mais emblemático: Dia do deus Baco. Penso que todo esse pessoal de Brasília é devoto de Baco! #flavioazevedo

Capitão do Mato a serviço da Prefeitura de Rio Bonito

Eu tenho profunda admiração pelos profissionais de Educação. Penso que eles são elefantes amarrados com barbante, por ser uma categoria que desconhece a força que tem. Esses profissionais ainda não perceberam que há anos a Educação se tornou um negócio muito lucrativo. Por isso, quem comanda o setor ignora o ensino e a educação para priorizar o coibir, o frear, o manipular. Como diria Michel Foucault, investem em forjar corpos dóceis que poderão ser dominados com mais facilidade pela sociedade de controle. O objetivo dos governantes é mudar as coisas para que elas continuem do jeito que estão.

Trato aqui da perseguição e assédio moral contra a professora Maria de Fátima Monteiro. Lotada na Escola Municipal Posse, no Sambê, ela foi retirada das suas funções na unidade, porque consegue ver que a escola está precisando de investimentos, reparos, a merenda é precária e faltam materiais para trabalhar. Diante da insatisfação da professora, os “patrulheiros do pensamento” abriram guerra contra ela, que ao contrário do que é comum não se acovardou e partiu para a guerra.

Quem é guerreiro sempre terá o meu respeito e o meu apoio. O governo municipal soltou os seus capitães do mato para perseguir a professora, mas estamos mobilizando a opinião pública em defesa dessa servidora, que na última semana chegou a Câmara de Vereadores com abaixo assinado dos moradores do bairro, que não querem a sua saída e ainda trouxe o avô de uma aluna da unidade. Diante desse cenário, eu não posso achar que a professora é ruim. Se existe ruindade na história é esse governo mequetrefe.

A atual gestão é relaxada; paga mal aos seus servidores; entra na Justiça para não pagar o que é de direito aos profissionais de Educação; deixou a cidade entulhada de resto de obras e poda de árvores; não paga os seus fornecedores e prestadores de serviço; faltam exames e medicamentos nos equipamentos de Saúde; as ruas estão escuras e esburacadas; os bueiros entupidos; a desordem urbana é total; e a gestora não tem credibilidade. #flavioazevedo

Lula e Solange no mesmo barco

A prefeita de Rio Bonito, Solange Almeida (PMDB) e o ex-presidente, Lula. Gente enrolada com o Judiciário.
A nomeação do ex-presidente Lula para um Ministério do governo Dilma objetiva dar a ele foro privilegiado para que o inevitável seja adiado. Essa manobra mostra que a Justiça brasileira, apesar dos seus avanços, segue ultrapassada e privilegiando picaretas. Esse negócio de foro privilegiado é um dos instrumentos mais escrotos que se tem notícia. Absurdo similar são esses adiamentos de processos que estão acontecendo no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

A verdade é que boa parte da classe política debocha do cidadão, usa e abusa das deformidades do Judiciário, para se livrar das consequências de suas falcatruas, safadezas e armações. Todavia, é importante ressaltar que o alvejante mais eficiente para limpar a política nacional é o nosso Título de Eleitor, que precisa ser utilizado de forma consciente e não como cartão de crédito. #flavioazevedo

As vítimas do Capitão do Mato da Prefeitura de Rio Bonito

Flávio Azevedo 
O vereador Marcos Fernando da Fonseca, o Marquinhos Luanda.
Um dos pronunciamentos mais emblemáticos preferidos na Câmara de Vereadores, eu ouvi nessa terça-feira (15/03). Na tribuna, o vereador Marcos Marquinho Luanda​, abordou o assédio moral que tem vitimado a professora Maria de Fátima Monteiro, que por fazer denúncias no Facebook, sobre a situação da Escola Municipal Posse, no Sambê, tem sido violentamente patrulhada pelo comando da Educação em Rio Bonito. Diga-se de passagem, nada que nós não tenhamos visto nos governos anteriores, mas é um costume que precisa acabar. Quem governa precisa respeitar o cérebro alheio e parar de querer impor os seus métodos. Faça um governo decente que as críticas diminuirão significativamente!

As questões denunciadas pelo vereador e o sofrimento da professora, Fatima Monteiro Pereira​, que ao contrário de muitos, decidiu ir para guerra; comprovam as ações do DOI-CODI Municipal. Um grupo que vigia quem se insurge contra esse governo municipal mequetrefe. Eu venho apontando isso há tempos, mas as pessoas acham que é exagero do Flávio Azevedo​. Também é nítida a atuação do Esquadrão da Morte, um grupo que atua para matar e suprimir a opinião de quem é contrário as ações descabidas da “rainha louca”. Mas isso também não é novidade e acontecia no tempo do “rei louco”!

A professora Fátima Monteiro é ativista e uma lutadora.
O funcionalismo público de Rio Bonito é mal pago, desvalorizado e vê constantemente o puxa saco sendo mais importante que os produtivos. Quem produz é deixado de lado, exatamente porque pensa, racionaliza e usa o cérebro na direção correta. A independência incomoda quem tem espirito de coronel e segue vivendo no feudalismo. Gente que critica o modelo PT, mas usa práticas iguais. Senhores feudais em tempos modernos.

Eu gostaria de terminar falando que o puxa saco é uma espécie de Capitão do Mato, aquele elemento que saia em busca dos escravos fujões. Eu não sei se você sabe, mas o "Capitão do Mato" não era o filho do Senhor de Engenho. Não era o branco europeu que se embrenhava pelas florestas em busca do negro fujão. Quem fazia isso eram os negros. Sim, os negros caçavam, castigavam e puniam os seus iguais. E esse governo está cheio de "Capitão do Mato". Gente que persegue o colega de trabalho, o companheiro de profissão, simplesmente porque está recebendo uns caraminguás. A perseguição, por vezes, não vem do secretário da pasta, mas de um serviçal comum que foi elevado ao posto de "Capitão do Mato".

O negro passava pelos processos de acomodação e assimilação. Na acomodação, o negro se sujeitava a seguir cativo até poder fugir de novo. Ele poderia até ser capturado outra vez, mas na próxima oportunidade ele fugiria novamente. Já na assimilação, o negro passava a acreditar que era branco e perseguia com ferocidade os seus iguais. E como tem "Capitão do Mato" na Prefeitura de Rio Bonito! Gente que pune e persegue os seus iguais por ter assimilado que é governo e não é. Ele é apenas um instrumento. Um "Capitão do Mato".

O Capitão do Mato caçando os seus iguais.
Assim como o senhor de engenho, ao ficar insatisfeito com o "Capitão do Mato" por questões bobas, o executava friamente diante dos negros e outros capitães do mato (era mais um negro), o governante não pensa duas vezes em exonerar o "Capitão do Mato" moderno. E ainda tenta manchar a sua reputação. Eu vejo muita gente acomodada no governo. O cara até está vendo que a gestão está horrível, mas fica calado, porque precisa do salário. Por outro lado, o volume de "Capitão do Mato" é grande. Esse número já foi maior, mas eles foram sendo executados ao longo da gestão.

E você que está acompanhando essa postagem? É "Capitão do Mato", já foi "Capitão do Mato" ou está acomodado? E os políticos que estão se apresentando como novidade para as eleições de outubro? Farão um governo realmente diferente, que vai valorizar a produtividade e o servidor crítico e suas necessidades funcionais ou seguirão nesse sistema feudal, inclusive, nomeando servidores para a função de "Capitão do Mato"? #flavioazevedo

Abandono em espaço de eventos da Mangueirinha em Rio Bonito

Produzi nessa segunda-feira (14/03), uma reportagem no Espaço de Eventos da Mangueirinha ou Parque Poliesportivo Maria Angélica Marins. Entrevistei moradores e constatei que festa por lá só quem está fazendo são os ratos, os mosquitos e até as cobras. O local, que pode ser o endereço de tantas opções de lazer, realizações de eventos e um estímulo ao Turismo, está literalmente entre as baratas. E vejo boca abertas falando em reeleição dessa malfadada gestão municipal! A reportagem está na minha página! 

Aproveito para agradecer os entrevistados que sem aquela conversa fiada de “não posso aparecer” ficaram muito à vontade para falar sobre o estado em que se encontra o bairro Mangueirinha, as suas ruas esburacadas e aquele local especificamente. #flavioazevedo

Reunião da Agenda 21 de Rio Bonito mês de março

Mais uma reunião ordinária do fórum da Agenda 21 de Rio Bonito nessa segunda-feira (14/03). Na pauta do encontro, alguns diagnósticos sobre a Educação do município (estrutura, a Educação na Zona Rural e Urbana, planejamento do setor, valorização profissional, mecanismos que livrem o setor da influência político-eleitoreira, entre outros). Também tratamos da erosão do rio Bonito, na altura do bairro Mangueirinha, onde a estrada já foi destruída e os carros já não passam mais. Junto com o Conselho Municipal de Meio Ambiente, iremos buscar mudar o cenário nesse local. 

Também ficou defina que a Agenda 21 criará um plano de propostas para o desenvolvimento sustentável de Rio Bonito em todos os seus setores. Em breve uma audiência pública será realizada para tratar do assunto. Nesse encontro, vamos revisitar o compromisso assinado em 2012 pelos prefeitáveis e apresentar o que o atual governo, que assinou o termo cumpriu efetivamente em cerca de quatro anos de mandato. Data e local do evento ainda serão revelados.

Hoje também contamos com a presença do desportista, Carlos Augusto Barbosa, o Guto, que é presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Comud).

domingo, 13 de março de 2016

E a corrupção, continua?

Flávio Azevedo 
“Fora PT!”, “Fora Dilma!”, “Lula preso!”, foram as palavras mais ouvidas nesse domingo (13/03), por todo Brasil. Estão estimando em cerca de 6,5 milhões de pessoas em protesto por todo país. Os alvos são o governo federal e a corrupção... Mas estamos protestando e lutando contra o que exatamente? Saímos às ruas por insatisfação real ou por influência de alguém? E o que acontece depois do impeachment? É só o PT que corrompe? E os demais partidos e lideranças partidárias do Brasil, são santos? E o Legislativo? E o Judiciário? E nós? Será que nós lembramos para quem foi o nosso voto para os cargos de deputado, senador ou vereador na última eleição?

E nosso velho hábito de trocar o voto por R$ 50,00, continua? E colocar adesivo, porque o político está me dando 10 litros de gasolina por semana? E ser assessor do político para ter o INSS pago e depois devolver o salário? E superfaturar obras ou venda de produtos, porque é preciso devolver 50% do que irão me pagar? E as notas frias e calçadas? E vender uma tonelada e entregar 500 kg? E votar no cara simplesmente porque ele prometeu agregar o meu caminhão, trator, kombi ou automóvel? Tudo isso continua?

E vender igrejas inteiras em troca de um cargo comissionado no futuro governo, continua? E vender uma entidade de classe ou entidade associativa, porque eu e/ou minha mulher seremos nomeados em algum cargo de confiança? E usar o emprego público como bico, porque a minha ocupação oficial me remunera melhor? E a perseguição e o patrulhamento que eu faço sobre os colegas de trabalho, somente para ficar bem na fita com o chefe? Essas coisas também continuam?

E desviar a rota dos veículos oficiais e subtrair combustível? E trocar peças e assessórios dos carros oficiais pelas peças e assessórios do meu carro? E estacionar em fila dupla? E desmatar? E jogar lixo nos valões e encostas? E lotear áreas proibidas e corromper quem fiscaliza? E aceitar propina para não cumprir a minha responsabilidade como ente público? E transferir a responsabilidade de educar o meu filho para escola? E proteger a boca de fumo da esquina, porque o meu filho está no meio? E comprar aparelhos e eletroeletrônicos da mão terceiros e com preços 70% menores que os do mercado? Tudo isso continua acontecendo?

E falsificar carteirinhas e passes para entrar em transporte universitário, cinema, clubes etc., continua? E corromper o policial que me aborda quando eu estou todo errado? E vistoriar o carro sem levá-lo na vistoria? E comer os alimentos guardados na geladeira do meu trabalho sabendo que eles não me pertencem? E contar mentira a cada eleição? E prometer o que não é possível cumprir? E iludir, sobretudo os mais pobres? E colocar dificuldade para vender facilidade? E fazer política em porta de hospital, funerária e delegacia? Será que isso tudo continua?

É... Eu não vou continuar perguntando, porque a única coisa que eu sei é que não podemos continuar sendo hipócritas, uma vez que a corrupção que combatemos não nasce em Brasília, mas no seio da sociedade. Eu vejo uma classe política putrefata, percebo que o impeachment é trocar seis por meia dúzia, mas esse apodrecimento começa quando o político ainda é eleitor. O que acontece é que o político leva para os cargos que ocupa, os maus hábitos da sua vida comum.

Eu vejo muita gente concentrada na corrupção de Brasília por duas simples razões: por não ter coragem de se concentrar na corrupção praticada pelos governantes da cidade em que ele vive e/ou porque não entenderam ser a cidade o nascedouro desses problemas. Nós não moramos em Brasília, mas em Rio Bonito, Tanguá, Silva jardim, Itaboraí, Maricá, Niterói, São Gonçalo, Saquarema, Araruama etc. Se não começarmos a combater a corrupção em nossas cidades, em nossas casas, em nossos bairros, esse baita movimento de hoje, ruas cheias de verde e amarelo, gente mobilizada e qualquer outro movimento futuro; será tudo em vão e um grande picadeiro, onde os palhaços somos nós. #flavioazevedo

Erosão ameaça residências na Mangueirinha

Pelo local ser pouco frequentado as pessoas não tem noção do que está acontecendo.
Visitei nesse domingo (13/03), o trecho do rio Bonito que passa pelo bairro Mangueirinha, onde a erosão tomou mais da metade da estrada. Os carros já não passam mais. A erosão se aproxima de uma residência. Eu produzi uma reportagem que em breve estará na minha página. Nas últimas chuvas a questão se agravou e providências ainda não foram anunciadas pela Prefeitura.

Nesse dia de manifestações pelo Brasil contra a corrupção no governo federal, eu sigo a minha luta e manifestação por uma Rio Bonito melhor. A ocupação desordenada do solo riobonitense e a falta de fiscalização nessa direção são marcas do nosso município.


O que se percebe é que para facilitar a vida de alguns e garantir os votos desses alguns, a classe política compromete o futuro de toda coletividade.

Manifestação com buzinaço em Rio Bonito

E lá fomos nós dar a nossa contribuição nessa luta contra contra corrupção. Buzinar e se movimentar não é difícil. Abrir mão de velhas práticas, adotar um novo modelo de fazer e enxergar a política e, sobretudo, transformar a indignação em voto; esses são os grandes desafios do brasileiro. Concentração na Praça Dr. Astério Alves de Mendonça, no Centro.

Supermarket oferece vagas

Fiz uma visita ao Supermarket de Rio Bonito nessa sexta-feira (11/03). Descobri que a inauguração da casa deve acontecer em cerca de 15 dias (não definiram a data) e o mais importante: segundo um cartaz pregado na frente da loja, ainda existe vaga de empregos para açougueiro, padeiro, confeiteiro, salgador e auxiliares para essas funções. Informações na própria loja! Compartilhe com os amigos que estão em busca de emprego! O mercado foi montado na entrada de Rio Bonito, na antiga Ferreira Vieira Veículos #flavioazevedo 

Bandeira na capa

A bandeira do município de Rio Bonito
Recebi um pedido que consistia em colocar a bandeira do Brasil como capa do meu Facebook. Eu estou atendendo ao pedido em relação a bandeira, mas vou usar o pavilhão municipal, porque Rio Bonito tem várias similaridades ao momento do Brasil: tem uma rainha louca, que pensa ser possível governar com frases de efeito; sofre com a escassez de novas lideranças; está destroçado administrativamente; enfrenta uma crise que não é de recursos, mas de credibilidade; tem um grupo de puxa sacos que impede a visão real da gestão (equivocada e falida); e reúne todos os elementos para ser alvo de uma manifestação do tipo “sai daí”. Todavia, como vivemos num território onde as pessoas acham cansativo pensar, o guerrear acaba sendo a primeira e única opção.  

Aniversário do buraco movimenta o Rio do Ouro


Além da festa de aniversario do deputado estadual, Marcos Abrahão, que está sendo celebrada nesse sábado (12/03), no Complexo Poliesportivo Bonitão, em Cidade Nova, outra festa de aniversário foi notícia em Rio Bonito. Indignados com as condições da estrada que liga Cidade Nova a Rio do Ouro, moradores do bairro e localidades adjacentes realizaram, no período da tarde, o terceiro aniversário dos buracos que estão sob o viaduto de Rio do Ouro.

Há anos esses buracos são apontados por nossas reportagens, mas ninguém toma providência ou compra essa causa. Incomodados com a situação que só recebe ações paliativas dos órgãos (in) competentes, os moradores promoveram a festa em celebração aos tais buracos. Se no aniversário do deputado, que completou 54 anos no último dia 10 de março, o grupo The Fevers é a grande atração, no aniversário dos buracos, os organizadores da festa cortaram um bolinho, tomaram refrigerantes e até fizeram um churrasquinho.

Para os moradores de Rio do Ouro, Cidade Nova, Mangueira, Jacuba e usuários do trecho, as autoridades oferecem uma canção do The Fevers que tem um trecho assim: “você bem sabe, que eu não lhe prometi um mar de rosas...”. Por outro lado, a população de Rio Bonito em geral canta para outra canção do The Fevers: “Eu grito seu nome chorando, mas você não ouve... Vem, vem me ajudar...”.

Mas se existe uma canção que cai como uma luva num ano eleitoral onde as pessoas estão descrentes na classe política é essa aqui: “marcas do que se foi, sonhos que vamos ter, como todo dia nasce, novo em cada amanhecer”. #flavioazevedo

Assaltos e roubos voltam a aumentar em Rio Bonito

Flávio Azevedo 
A imagem ilustrativa
A insegurança volta a rondar as ruas de Rio Bonito. Essa semana vários episódios de assaltos e roubos a mão armada foram registrados na cidade. Entre eles a nossa reportagem destaca o roubo da moto NXR; placa KPG 9886, propriedade de Gigliola Oliveira, moradora da Praça Cruzeiro. O roubo aconteceu nas imediações do Estádio Alfonso Martines (Cruzeiro). Os marginais renderam a vítima e levaram, além da moto, documentos e o Smartphone.

O “arrastão de motoqueiros” é outra modalidade de crime que tem sido praticada pelos marginais em vários lugares e já chegou a Rio Bonito. O último episódio aconteceu há cerca de uma semana, na Av. Sete de Maio. As vítimas foram estudantes que acabavam de sair da escola. Três motos pararam, os marginais que estavam na garupa desceram e recolheram dinheiro, aparelhos de telefone celular e mochilas de grife dos estudantes. 

Os furtos de veículos no estacionamento da ferrovia, no Centro de Rio Bonito, também merecem destaque. Alguns são levados de maneira traumática. Foi o que aconteceu na manhã última quarta-feira (09/03), quando um morador do bairro Caixa D’Água foi roubado e levado pelos marginais. Ela havia acabado de entrar no carro, estacionado no trecho próximo ao Banco do Brasil, quando dois homens entraram no veículo e exigiram que ele dirigisse até Itambí, em Itaboraí, onde ele foi deixado pelos ladrões.

Desdobramentos

As notícias de roubos e furtos incomodam as autoridades policiais, sobretudo porque a sociedade equivocadamente entende ser o controle da violência, uma atribuição especificamente da Polícia. Para fugir da responsabilidade que é dela, a classe política, nos últimos 50 anos, vendeu a lógica de que oferecer Segurança é colocar a polícia na rua, o que não é verdade. Não é possível esquecer que bandidos e criminosos são importantes para a classe política, sobretudo para aqueles que buscam votos em ambientes como porta de delegacia, porta de hospital e capela funerária.

O marginal tem família e o político abutre sabe que a mãe do marginal, por mais criminoso que seja o filho, ela sempre acredita que um dia ele vai se regenerar. Está criado o cenário ideal para o político abutre oferecer carro para visitas ao presidio; e advogado para soltar e/ou relaxar a pena do marginal. Iniciativas classificadas pelo abutre e seus puxa sacos como “frutos de um coração bom e humano que se compadece com o infortúnio alheio”.

Rio Bonito mais seguro

Em Rio Bonito, os instrumentos que precisam ser implantados para combater a violência já estão definidos e são anunciados pelos políticos quando estão em campanha. Todavia, ao assumir o mandato apenas aquilo que consiste criar emprego para encabrestar cabos eleitorais sai do papel. Os investimentos em monitoramento, sala de inteligência e a contratação de policiais militares em dia de folga ficam no esquecimento e são enxergados como despesa, quando deveriam ser classificados como investimento na qualidade de vida do cidadão, uma das marcas de Rio Bonito. Transformar os atuais guardas patrimoniais em Guardas Municipais é outra iniciativa urgente.

A vigilância das entradas e saídas da cidade e não aquela piada de “uma cabine da PM em cada bairro” é outra medida interessante para combater a violência. Rio Bonito tem um dos metros quadrados mais caros do Estado do Rio de Janeiro. Os alugueis em terras riobonitenses são absurdamente caros. Mas qual a justificativa para preços tão exorbitantes se a cidade em questão é insegura, exposta a ação dos marginais, conta com um efetivo policial diminuto e mal aparelhado, emprega agentes municipais mal distribuídos e pessimamente remunerados?

A sociedade precisa exigir da classe política, que já está em polvorosa em busca dos votos, projetos e ações direcionadas ao bem estar da coletividade. Até, agora, o planejamento está direcionado a “quanto vamos ganhar” e não “ao que podemos oferecer” ou “como podemos contribuir”. Por outro lado, os eleitores se esquecem de perguntar “o que você vai realizar”, porque estão preocupados em saber “quanto e o que você vai me dar”.

Bosque Clube tem novo GMT

Na subida do Bosque Clube, pela Av. Epiphânio, o antigo Guarda Municipal Transgênico (GMT) foi exonerado e um novo foi contratado para orientar motoristas e pedestres sobre um buraco que há bastante tempo embeleza a rua. Moradores afirmam ser esse GMT mais eficiente e seguem esperando providências da Prefeitura!

Agenda 21 visita escolas de Braçanã

Na manhã dessa sexta-feira (11/03), representantes do Fórum da Agenda 21 Rio Bonito, visitaram a localidade de Braçanã, mais precisamente as escolas municipais, Fazenda das Cachoeiras e Wilson Kleber Moreira, onde promoveram o projeto Educaí, iniciativa do movimento Cidade Educadora. Na qualidade de coordenador do Fórum da Agenda 21, eu quero agradecer a atuação das incansáveis colegas, Virgínia e Suely; e a atenção que nos foi dispensada pela diretora da Escola Fazenda das Cachoeiras, Wanda Fievet. #flavioazevedo 
Os alunos ganharam revistar para colorir com mensagens educativas sobre a natureza.

Um abraço Sr. Cici!

Nas nossas andanças representando o Fórum da Agenda 21 Rio Bonito, nessa sexta-feira (11/03), nós visitamos a localidade de Brançanã, onde visitamos as escolas municipais Fazenda das Cachoeiras e Wilson Kleber Moreira. Conheci por lá o Sr. Cicí, que descobri ser ouvinte do Programa Flávio Azevedo. Um sujeito simples, muito simpático, prestativo, dono de uma cabeça muito boa e morador da localidade. Esse é um desses lutadores brasileiros que nós temos orgulho de conhecer e homenagear!

Quaresmeira embeleza Braçanã

Essa beleza foi capturada, nessa sexta-feira (11/03), pelo obturador da minha máquina fotográfica durante a minha visita a Braçanã!

Show de Andrezinho Shock arrecada duas toneladas de alimento

O MC Sapão levantou o público com as suas batidas.
Ao lado de amigos, colaboradores e músicos “de fora e de dentro”, o “Poeta do Funk”, Andrezinho Shock, arrecadou duas toneladas de alimento, através do show beneficente que promoveu na última quarta-feira (09/03). O evento aconteceu no Esporte Clube Fluminense, no Centro de Rio Bonito e arrastou uma multidão. Os alimentos serão doados aos moradores de Rio Bonito e Silva Jardim, que foram atingidos pelo temporal que atingiu a região no último dia 29 de fevereiro.

Através das suas páginas no Facebook, Andrezinho agradeceu os colaboradores, comentou o resultado e declarou que o apoio dado ao evento fez ele acreditar mais ainda que “juntos somos mais fortes”.
– A palavra que define esse momento é gratidão a todos os envolvidos direta ou indiretamente, sejam os meus amigos artistas ou os músicos da terra... Entramos juntos para história positiva da nossa cidade, demos uma aula de solidariedade, de amor e compaixão ao próximo. Vocês arrecadaram e doaram duas toneladas de alimentos. Quantas famílias irão, pelo menos por alguns dias, ter a fome minimizada – escreveu o “Poeta do Funk”.

Governador Pezão pede compreensão ao funcionalismo

O governador do Rio de Janeiro, Luis Fernando Pezão.
Estou vendo governantes pedindo compreensão ao seu funcionalismo e estou vendo gente pedindo compreensão as operadoras de cartão de crédito pelos naturais atrasos nos pagamentos. Diante desse cenário, eu espero que você compreenda a importância de não votar em picaretas; compreenda que não é bom dar seu voto aos mafiosos; e compreenda que não é legal votar em gente que diante da Justiça está mais suja que pau de galinheiro.

Também é meu desejo, viver numa sociedade com menos gente frouxa e vaselina. Que as pessoas acordem para a vida e sejam cidadãs. Concluo dizendo que se omitir significa permitir que os tralhas e patifes continuem prejudicando o Brasil e você sendo prejudicado.

PS: o termo "prejudicando" tem a finalidade de substituir uma palavra muito popular, mas impublicavel aqui nesse espaço!

Morre pastor Luiz Braga

O pastor Luiz Braga pastoreava a Igreja Congregacional do Ipê, em Rio Bonito.
Rio Bonito perdeu nessa quarta-feira (09/03), um dos seus líderes religiosos mais queridos, o pastor Luiz Carlos Braga, que por muitos anos liderou a Igreja Congregacional do Ipê, de onde surgiram tantas outras congregações. Na qualidade de jornalista e radialista, eu destaco o comunicador Luiz Braga, como ele era mais conhecido, que durante muitos anos apresentou, na antiga Rádio Jornal, um programa que tradicional nas manhãs de domingo e tinha grande audiência junto ao público religioso.

O pastor Luiz Braga, de 80 anos, estava internado e faleceu ás 6h dessa quarta-feira. Ele já vinha lutando com problemas de saúde há alguns anos. Ele está sendo velado na Igreja Congregacional do Ipê e será sepultado no Cemitério Jardim das Acácias, hoje, às 16h. À família Braga, os meus sentimentos e que Papai do Céu conforte os corações. #flavioazevedo

terça-feira, 8 de março de 2016

Dia Internacional da Mulher

Flávio Azevedo

Hebe Camargo, Maria Bonita e Letícia Sabatella
No Dia Internacional da Mulher, eu separei entre muitas brasileiras importantes, três mulheres que a seu tempo e modo fizeram história. A primeira delas é inesquecível Hebe Camargo, que nasceu em 08 de março e aos 14 anos já integrava a Orquestra da Rádio Difusora (SP). Aos 15 ela cantava na Rádio Tupi. Em 1950, essa paulista de Taubaté, integrava o grupo que foi ao porto da cidade de Santos buscar os equipamentos que dariam início a primeira rede de televisão brasileira, a Rede Tupi. Assim, ela foi convidada por Assis Chateaubriand para participar da primeira transmissão, ao vivo, da televisão brasileira, no bairro do Sumaré (SP). A partir daí Hebe Camargo tornando-se, uma mulher da Televisão, aspecto que preservou até a sua morte. Hebe era cercada de glamour, histórias, conquistas e muito sucesso.

A segunda mulher que eu destaco é a baiana, Maria Gomes de Oliveira, que entrou para a história brasileira como “Maria Bonita”, a companheira do cangaceiro, Lampião. Nascida em 1911, exatamente num dia 08 de março, Maria Bonita é a primeira integrante feminina dos grupos de cangaceiros. O seu envolvimento com o “Rei do Cangaço” aconteceu quando ela tinha entre 17 ou 18 anos.

O fim de Maria Bonita foi trágico. Ela foi decapitada, ainda viva, em 28 de julho de 1938, quando o bando de Lampião foi emboscado pela polícia. Antes de se falar de feminismo e direito da mulher escolher o que fazer da própria vida, Maria Bonita fincou o pé naquilo que hoje é muito natural: ver uma mulher tomando o papel de decidir a sua vida, futuro, profissão e comportamento.

A terceira mulher que vou destacar, também nasceu em 08 de março, a atriz, Letícia Sabatella, que vive em meio ao glamour, é uma das principais atrizes da TV Globo, mas mantém uma vida distante disso tudo. Mineira de Belo Horizonte, ela cresceu em Curitiba. Atualmente, ela vive em Nova Friburgo, onde planta alimentos orgânicos em regime de cooperativismo com os empregados.

Sua consciência política surgiu cedo por influência de Frei Beto e Herbert de Souza, que lhe mostraram a importância de usar sua celebridade para algo mais do que ganhar dinheiro. Seu engajamento se tornou tão forte que chegou a conviver com índios, no Tocantins, como se fosse um deles; e a acampar com integrantes do Movimento Sem Terra (MST) para entender suas propostas. Além disso, participa de várias entidades, é presença constante em fóruns, e comumente levanta a voz em defesa dos direitos humanos e do meio ambiente.

Costuma dizer que a religião não precisa ser um ópio, pode ser libertadora, mobilizadora e transformadora. Ela acredita que seu envolvimento em causas sociais a fez ganhar humanidade e consciência. Acusa a imprensa de não debater temas como o trabalho escravo no Brasil. Vegetariana, ao ser convidada para fazer comerciais, Letícia Sabatella recusa, porque é contra o consumismo.

Essas três mulheres representam a essência da mulher brasileira, que são batalhadoras, únicas e guerreiras. Minha homenagem ao Dia Internacional da Mulher.

domingo, 6 de março de 2016

O bom do governo PT não pode esconder a roubalheira!

Flávio Azevedo 
Lula faz pronunciamento na sede do PT em São Paulo (Foto: Paula Paiva Paulo/G1)
Sim, eu votei no PT! E não recebo Bolsa Família. Aliás, estou muito indignado com o Lula, não por conta dos benefícios sociais que foram concedidos a alguns brasileiros a partir da sua gestão (2002). Acrescento que o ex-presidente não está sendo perseguido, ele está sendo investigado. Eu não sou rico e vejo muita gente ser beneficiada por programas sociais propostos a partir do Lula. Isso não me incomoda. Pelo contrário, me fizeram votar nele em 2006. Aliás, se esses programas fossem conduzidos por pessoas sem o hábito de pegar o que é dos outros, muitos mais brasileiros seriam beneficiados.

Acredito que ninguém está chateado com o Lula, porque o governo oferece Fies e Bolsa Família. A bronca com o Lula é porque enquanto tanta coisa boa era pensada para os menos favorecidos, as estatais estavam sendo assaltadas por sua turma. No meu caso, não existe raiva, mas decepção, porque confiamos o país a pessoas que, posteriormente, se revelaram uma quadrilha organizada e com um único objetivo: roubar recursos da Petrobras, Correios, bancos públicos etc.

O meu aborrecimento com o Lula é porque ele fortalece governos vizinhos e enfraquece o Brasil. Por fim, o que me aborrece no Lula é que ele insiste em me tratar como um idiota. Digo isso, porque é irritante ver o líder de um povo tentando resolver problemas básicos com frases de efeito. Por exemplo, ele disse que a Saúde está ótima, que o transporte está fantástico, que o Brasileiro nunca viveu tão bem. Mas ele só anda de jatinho. E quando fica doente, logo corre para o Albert Einstein.

A minha insatisfação com o Lula é baseada no fato de que ele, no melhor estilo Maquiavel, promove o ódio entre as classes para manter a nação divida e com isso poder governar. Ele não cansa de proferir imbecilidades como a que o rico não deseja o sucesso do pobre. Ele se intitula protetor dos menos favorecidos, mas aniquilou o país, fez desaparecer os empregos, escasseou as oportunidades, não investiu na Saúde e deixou a Educação seguir sucateada, por quê? Simples, porque ele sabe que sem educação as classes dominantes seguem dominando.

Todavia, convém destacar que esse dominador não é o industrial e o empresário, mas os vagabundos oportunistas que povoam a política e usam a coisa pública como extensão dos seus quintais. Estou falando dos políticos que ignoram a coletividade e fazem das estatais, instrumentos que deveriam ser fonte de renda e qualidade de vida para o brasileiro, um negócio particular.


Passados 13 anos, eu entendo que o ex-presidente Lula é um líder populista, um senhor feudal que usa os menos favorecidos (de grana e educação) como massa de manobra. Ainda não classifico o Lula como um criminoso, mas um oportunista eu garanto que ele é. Afinal, o tempo todo ele diz que é sustentado pelos amigos (sítio, tríplex, transportadoras) e amigos bem suspeitos, porque boa parte deles está presa. Concluo dizendo ser o Lula um péssimo exemplo, por ser alguém que desdenha do trabalho, há tempos não pega no batente e debocha dos estudos e da Educação escolar.

Baseado em Freud, José Padilha analisa Lula, petistas, PT e a esquerda brasileira

Flávio Azevedo 
No excelente artigo, publicado nesse domingo (06/03), no jornal O Globo, o cineasta, José Padilha, menciona Freud e um escritor estadunidense chamado Upton Sinclair, para explicar a relutância das pessoas em aceitar que o ex-presidente, Lula está metido até o pescoço num monte de sacanagem. Segundo Sinclair, “é difícil fazer com que alguém entenda algo quando o seu salário depende do não entendimento deste algo”. Desculpem parecer repetitivo, mas a lógica usada por Padilha me fez pensar imediatamente nos buxas e puxa sacos do governo municipal de Rio Bonito.

O texto na íntegra:

“Se um paciente inteligente rejeita uma sugestão de forma irracional, então a sua lógica imperfeita é evidência da existência de um forte motivo para a sua rejeição”. Sigmund Freud.

Não resta a menor dúvida, para qualquer pessoa minimamente razoável, de que o Partido dos Trabalhadores e seus principais dirigentes – entre eles José Dirceu, Antônio Palocci, João Vaccari e Luiz Inácio Lula da Silva – estruturaram uma organização criminosa com o apoio de outras facções da política brasileira (facção se aplica melhor à nossa realidade do que partido) com o objetivo precípuo de se perpetuar no poder. Para tal, desviaram recursos de empresas estatais, de bancos públicos e de fundos de pensão, se associaram a grupos de empreiteiros mafiosos, utilizaram laranjas, marqueteiros e doleiros em larga escala, fraudaram o processo eleitoral com recursos provenientes de corrupção e fizeram políticas públicas totalmente irresponsáveis, levando o Brasil à bancarrota. Não resta dúvida também, como disse o capitão Nascimento em Tropa de Elite, que “quem rouba para o sistema também rouba para família”. Isto está claro e transparente – como a luz que incide na cobertura 164 A do único edifício pronto no condomínio Solaris.

No entanto, ainda há quem tente negar a realidade revelada no processo do mensalão e nas provas e testemunhos das operações Lava-Jato e Zelotes. O que nos leva de volta a Sigmund Freud: por qual motivo há tanta relutância por parte da esquerda em encarar a realidade que lhes foi exposta ao longo dos últimos anos? A explicação é dupla. No caso da militância profissional, da UNE, da CUT e do MST, se aplica a máxima de Upton Sinclair, famoso escritor americano: "É difícil fazer com que alguém entenda algo quando o seu salário depende do não entendimento deste algo".

Mas o que dizer dos intelectuais e artistas que não recebem salários por sua “militância”? No caso deles, não se trata de grana, mas de uma questão psicoanalítica. Investiram as suas vidas e reputações em posições pró Lula e pró PT. Agora, não suportam reconhecer o erro que cometeram por uma questão de autoimagem. Freud e sua filha Anna chamaram este fenômeno de negação. Trata-se de uma defesa contra realidades externas que ameaçam o ego. 

Saber lidar com a negação me parece ser a questão básica para a sobrevivência da esquerda brasileira hoje. Se os pensadores de esquerda não tiverem a grandeza de reconhecer o erro que cometeram com Lula e com o PT, se comprarem a tentativa de Lula e do PT de incendiar o país para criar um ambiente irracional posto na vigência da razão não há saída, a esquerda brasileira vai afundar com eles. Lula e o PT se tornarão os arautos da destruição do pensamento marxista no Brasil.

Fonte: O Globo

Escola Municipal Posse em frangalhos

Na última semana, depois de uma postagem sobre o estado de abandono da Escola Municipal Posse, alguém apareceu para classificar como “fofoca”, a reportagem que foi construída conforme as denúncias da professora Maria de Fátima Monteiro Pereira, que faz parte do quadro da referida unidade escolar. Para mostrar que “fofoca” não é uma das nossas ferramentas, a nossa reportagem disponibiliza imagens que retratam a entrada do banheiro feminino da unidade (E); o vazamento d’água na parede ao lado; o pátio da escola cheio de mato; e a nutritiva merenda servida aos alunos. Creio que essas imagens mostram bem que nem a reportagem, tão pouco a professora Fátima mentiram ou fizeram “fofoca”.

Vídeos da página Flávio Azevedo batem novo recorde de visualizações em fevereiro

Com o objetivo de mensurar o índice de visualizações da nossa página, nós fizemos um balanço do número de visualizações em cada vídeo publicado no mês de fevereiro. Os 36 vídeos renderam 137.907 mil visualizações, uma média de 3.830 visualizações, um volume de acessos considerável se consideramos que a página noticia especificamente fatos ocorridos em Rio Bonito. É importante agradecer os nossos seguidores, o prestigio que dão a nossa página e aproveitamos para enumerar os cinco vídeos mais acessados do mês de fevereiro.

O mais visualizado (27.410) foi o vídeo do Fiat Linea que afundou nas águas do valão que margeia a Av. Manuel Duarte, no Centro de Rio Bonito, durante o temporal que atingiu o município no último dia 29 de fevereiro. A reportagem do portão da Escola Municipal Raulbino Mesquita, no Parque Indiano, dando choque, foi o segundo mais visualizado (17.924). Em terceiro lugar, com 7.600 visualizações, ficou a reportagem sobre os alagamentos em vários bairros de Rio Bonito, também no temporal do dia 29 de fevereiro.

Aparece na quarta colocação (7.376), a reportagem que compara o período de Carnaval em Rio Bonito, Tanguá e Silva Jardim. O silêncio das ruas de Rio Bonito em pleno período de festejos de Momo impressionou os nossos seguidores. Com 6.572 visualizações e no quinto lugar ficou as imagens da participação da trupe do Lona na Lua no programa “Como Será” da TV Globo.


E não esqueça, se você ainda não deu a sua curtida, por favor, visite https://www.facebook.com/jornalistaflavioazevedo/ e dê a sua curtida!

sábado, 5 de março de 2016

Para ter sucesso a Lava Jato também precisa combater o sistema

Flávio Azevedo
Na década de 80, eu ainda garoto, comecei a ouvir falar de um sujeito chamado Lula. O Brasil saia do regime ditatorial, o presidente que assumiria (Tancredo Neves) morreu antes de tomar posse (uma morte cercada de teorias da conspiração)... Assumiu Sarney e uma inflação galopante aniquilou o brasileiro. Veio Collor, um bonitão que confiscou a grana das cadernetas de poupança e fez movimentos que culminaram com o seu impeachment (já na década de 90). Nesse interim, as pessoas começam acreditar fielmente que a solução seria dar uma oportunidade ao torneiro mecânico.

Com o impeachment de Collor, assume o comando da nação Itamar Franco, que foi sucedido por Fernando Henrique. A notícia boa foi o Plano Real. Mas uma série de histórias esdruxulas desgastou o “tucanismo” e fez o povo acreditar no Lula e no seu discurso de “Um Brasil de Todos”. Artistas importantes davam a popularidade que torneiro mecânico precisava para se tornar presidente do Brasil. E aconteceu!

Com Lula na presidência, o Brasil realmente passou por transformações sociais “nunca vistas antes na história desse país”. Além do Bolsa Família, pró isso, pró aquilo, Fome Zero e outros benefícios; as classes mais humildes passaram ate acesso a bens e serviços nunca alcançados na história desse país. Esse cenário não pode ser nunca ignorado.

Todavia, nesse período a corrupção foi institucionalizada. Sacanagem sempre houve, mas era tratada na calada da noite. A palavra propina, até ali cercada de tabu tornou-se oficial. Dinheiro ilícito, até ali entregue nos cabarés e prostíbulos de Brasília, passaram a ser depositados em conta como se fossem salários e resultados de operações financeiras comuns. Negociatas e esquemas, antes conservados nos bastidores mais profundos da República, passaram a ser tratadas nas mesas de tomadas de decisão dos três poderes.

Vejo muita celebração no aperto contra a cúpula petista (Lula, Zé Dirceu, Genuíno, Dilma Rousseff), como se somente esse partido estivesse por trás dos absurdos que estão sendo desvendados pela Operação Lava Jato. A detenção de banqueiros, lobistas e altos executivos de empreiteiras importantes também tem sido celebrada, sobretudo por vivermos num país onde a prisão é para negros e pobres. Ver políticos de grife, por exemplo, o senador Delcídio Amaral (PT), sendo levado pela Polícia Federal numa operação que só víamos contra bicheiros e traficante, dá uma sensação de alma lavada.

Nas ruas, movimentos “pró Lula” e “Fora Lula” são arremedos de representação popular, porque ambos mostram um povo manipulado e uma massa alienada. Apesar de ter um pé atrás com o Judiciário, esse Sérgio Moro me transmite confiança e o molde “Mãos Limpas” (operação feita na Itália contra a corrupção) da Operação Lava Jato é o caminho. Todavia, alguns aspectos da Operação “Mãos Limpas” precisam ser pensados. Iniciada em 1992, a operação italiana investigou 872 empresários, 438 parlamentares, quatro primeiro ministros e sepultou os quatro maiores partidos do país. Teve gente que se matou, entre eles o presidente da petroleira estatal (ENI), Gabriele Caggliari, que era o centro da economia italiana. Outro suicídio emblemático foi de Raul Gardini, um dos maiores empresários da Itália. Até o lendário Giulio Andreotti, considerado o maior politico italiano, esteve perto de ser preso.

Há quem se preocupe com os efeitos futuros da Lava Jato, porque, na Itália, a Operação Mãos Limpas abriu um vácuo de poder que teve efeitos devastadores na economia e na política. Até movimentos separatistas (o Norte querendo se separar do Sul) ocorreram. O vazio de poder causado pela destruição dos tradicionais partidos, as velhas e corruptas lideranças e executivos importantes da Itália, abriu espaço para aventureiros e gente muito mais voraz que aqueles que vinham atuando até ali. Algumas correntes entendem que a Operação Mãos Limpas foi um monumental fracasso, porque ela não acabou com a corrupção, apenas trocou os seus atores.

Diante desse cenário e pensando no que está acontecendo no Brasil, o texto final do segundo filme “Tropa de Elite” fica muito nítido e real. Em suas reflexões finais, o capitão Nascimento diz que “o sistema entrega a mão para salvar o braço... O sistema se reorganiza, articula novos interesses... Cria novas lideranças. Enquanto as condições de existência do sistema estiverem aí, ele vai resistir!”.

A forma de fazer política na Itália é muito similar ao que vemos no Brasil. Eles sempre conviveram com a corrupção. O país nunca foi marcado por políticos honestos e para quem não sabe, a propina é uma invenção italiana e, exatamente como acontece no Brasil, é cultural. Há quem defenda a ideia de que é melhor lidar com espertinhos criativos que com honestos burros e medíocres. A explicação é simples: ao longo da história da humanidade, as grandes economias sempre nasceram da ideia criativa de históricos pilantras e nunca de monges franciscanos.

quarta-feira, 2 de março de 2016

Nova Cidade sofre com efeitos da tempestade

Flávio Azevedo

A população de Nova Cidade e Bambu, 2º Distrito de Rio Bonito, segue sofrendo com os efeitos da tempestade que atingiu a Região na última segunda-feira (29/02). A força das águas danificou uma ponte entre Boa Esperança e Nova Cidade. O acesso foi interrompido. O ônibus que atende os moradores da localidade deixa os moradores na ponte. 

Os passageiros são obrigados a caminhar cerca de 40 minutos até as suas casas. Segundo moradores, crianças estariam sem estudar e quem trabalha em Rio Bonito, Saquarema e Araruama; está acordando cerca de 1h30min mais cedo para não perder a hora de pegar no batente.

A Prefeitura ainda não informou o tempo que vai levar para recuperar a estrada. “Tinha um ônibus do outro lado esperando, mas depois parou. Agora à noite, o Ônibus passou pela Prainha. Mas durante o dia nós estávamos nos indo a pé da ponte até Nova Cidade”, revela uma moradora.

Outra moradora que conversa com a nossa reportagem revela que a distância é de aproximadamente cinco quilômetros, o que representa uma caminhada de 40 minutos (SIC).

– Está sendo muito difícil, porque a maioria trabalha em Rio Bonito. Eu, por exemplo, estou saindo de casa às 5h30min para chegar 7h no trabalho. Não existe uma definição, prazos, informações concretas. É muita falta de respeito com a comunidade de Nova Cidade. Alguém tem que tomar uma atitude e consertar a ponte, por favor, que todos tenham saibam do nosso sofrimento para não ficarmos aqui esquecidos – apela.

29 de fevereiro com tempestade

Rio Bonito já foi "Cidade Risonha", hoje, é "Cidade Alagada". O abandono dessa bicicleta representa bem o abandono administrativo que atinge o município. Em ano de eleições, o riobonitense está exatamente igual essa bicicleta: no ponto e a espera. Todavia, se você embarcar no ônibus errado igual vem embarcando nos últimos anos, o abandono continuará! Dia 29 de fevereiro de 2016, o município foi atingido por um dos maiores temporais da história.