sábado, 31 de dezembro de 2016

O "Conexão Flávio Azevedo" analisa últimos Atos da prefeita de Rio Bonito em 2016

Flávio Azevedo
Nesse sábado (31/12), o "Conexão Flávio Azevedo" aborda as últimas publicações oficiais da Prefeitura de Rio Bonito, veiculadas, hoje, no jornal Gazeta Rio Bonito (Edição 504). Eu destaco a sanção do nome de Leir Moraes, para a estrada da Prainha (Lei 2165/16); a sanção da Lei que torna oficial e de responsabilidade do município o Transporte Universitário (Lei 2166/16); e o Decreto que aumenta a tarifa do Transporte Público em território municipal (Decreto 485/16). 

Também chamou a minha atenção a Portaria que determina itinerário específico para o Transporte Alternativo, que deverá passar pelo Green Valley (Portaria 005/2016 do Degetran); a criação de organograma administrativo para a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Decreto 483/2016); a publicação da previsão orçamentária para 2017 (R$ 240 milhões); entre outros temas.

O "Conexão" vai dialogar ainda, sobre a posse do prefeito, vice e vereadores, que em Rio Bonito está agendada para este domingo (01/01/2017), às 9h, na Câmara Municipal de Vereadores.

Programa Flávio Azevedo recebe vereador Marquinhos Luanda

Flávio Azevedo
Entrevistei nessa sexta-feira (30/12), no Programa Flávio Azevedo, pela Rádio Jornal 1340 AM - Leste Fluminense, o vereador Marcos Fernando da Fonseca (PMDB). Conversamos sobre o momento político do país, do Rio de Janeiro, de Rio Bonito; dialogamos sobre o comportamento da classe política e do eleitor, entre outros temas! A entrevista do vereador está disponível em trechos na minha Fanpage e completa no nosso canal no Youtube.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

“Onde está a mãe dessa criança?”

Flávio Azevedo
Nessa quinta-feira (29/12), a notícia de um homem de 56 anos se relacionando com menores, segundo o registro feito na 119ª DP (Rio Bonito), uma menina de 11 e outra de 13 anos, indignou a população de Rio Bonito. No momento que a polícia chegou, Marcos Feliciano Costa Gonçalves estava nu com a menina de 11 anos. O homem foi preso em flagrante sob a acusação de estupro. Os comentários que seguiram a minha reportagem chamaram a minha atenção, sobretudo um questionamento: “onde está a mãe dessa criança?”.

Não é minha pretensão fazer nenhum tipo de julgamento sobre essa mãe, porque as mães da atualidade precisam matar um leão por dia para garantir o sustento de suas famílias. Todavia, entre os comentários alguém também questionou: “cadê o pai dessa criança?”. Eu também não vou responsabilizar esse pai, porque eles também estão matando um leão por dia para garantir a subsistência da família.

Entretanto, na condição de pai de uma menina de 10 anos, uma criança muito viva e mais nova um ano que uma das protagonistas dessa história recheada de contornos inimagináveis, eu fiquei me perguntando: “onde está a minha filha?”. Assim, para iniciar as nossas reflexões sobre o assunto eu te pergunto: “você sabe onde estão os seus filhos?”, “você sabe o que eles estão fazendo agora?”. A minha resposta para minha própria pergunta me deixou gelado. Eu não sabia onde a minha filha estava. E você, sabe onde estão os seus filhos?

O questionamento “onde está a mãe dessa menina?” me pareceu muito simplório diante da complexidade da outra pergunta: “onde está a minha filha?”. A correria do dia-a-dia, a luta pela sobrevivência, a busca pelo pão de cada dia – e um pouco de irresponsabilidade também – tudo isso tem contribuído para que nós não saibamos onde estão os nossos filhos. A verdade é que nós esquecemos que um dia nós fomos crianças. Nós perdemos de vista a nossa rebeldia de ontem, o nosso espírito aventureiro de outrora, a paixão que tínhamos pela transgressão e acreditamos serem os nossos filhos diferentes... E geralmente não são.

Penso que um homem de 56 anos, que mantêm relações sexuais com meninas de 11 e 13 anos; não está com as suas razões dentro da normalidade. Por outro lado, eu não esqueci o último escândalo sexual envolvendo menores em Rio Bonito. Aconteceu, salvo engano, em 2009. No banheiro de um posto de combustível, às margens da BR – 101, alguém filmou meninas mantendo relações sexuais com alguns rapazes. Numa época em que ainda não tínhamos o WhatsApp, as imagens eram compartilhadas pelo Bluetooth dos celulares, à época uma novidade da telefonia móvel.

E com o objetivo de reproduzir uma reportagem sobre o assunto, eu procurei o comandante da 3ª CIA da Polícia Militar de Rio Bonito, o capitão Elder Assis Vieira. Visivelmente desconfortável com o que iria me contar, o comandante revelou que perante a autoridade policial, as meninas responderam que faziam ponto no referido local, disseram que tudo que aconteceu no vídeo ocorreu com o consentimento delas; e fizeram uma alerta: “como esse primeiro vídeo já está visto, nós já fizemos outro, agora, com novidades”, narrou o comandante da PM, contando que diante desse testemunho pouco poderia ser feito.

Não estou dizendo que o caso dessa semana seja igual ao de 2009, mas revisitar esse fato de sete anos atrás serve para entendermos que a percepção que temos dos nossos filhos pode estar equivocada. Ele pode não ser tão santo quanto parece ou pode não ser tão arteiro como aparenta. O olho vivo de papai e a atenção de mamãe sempre são importantes para que as crianças não sejam aliciadas, seduzidas e/ou violadas em sua inocência. Mas os desconfiômetros das famílias seguem desligados e os alertas oferecidos, às vezes, pelas próprias crianças passam despercebidos.

Concluo com um conselho do sábio Salomão, que no livro de Cantares (8.8-9) escreveu: “Temos uma irmãzinha que ainda não tem seios; que faremos com ela, quando dela se falar? Se ela for um muro, edificaremos sobre ela um palácio de prata; e, se ela for uma porta, cercá-la-emos com tábuas de cedro”. Isso quer dizer que a família precisa estar atenta ao comportamento das crianças. No caso das meninas em especial, Salomão afirma ser preciso observar os gestos “da novinha” quanto a sua sexualidade. 

É nítido que há meninas mais dadas que outras. É nítido que algumas meninas têm a sexualidade e a sensualidade mais a flor da pele que outras. Não precisa ser tecnólogo ou especialista no assunto, para entender que o despertar da libido não tem idade e pode aparecer precocemente ou tardiamente. Num mundo onde os estímulos, inclusive, ao sexo, estão expostos em toda parte, é preciso ficar atento. 

Salomão recomenda que se a menina for um “muro”, ou seja, nunca se abre, que sobre ela seja edificado um palácio de prata. Todavia, se a menina for uma “porta”, o caminho por onde todos passam, a orientação é cerca-la com “tábuas de cedro”, uma das madeiras mais valiosas dos tempos bíblicos. Façamos então os primeiros testes, olhe com imparcialidade para a sua filha e responda: ela é um muro ou uma porta? Concluo destacando que é muito melhor quando os pais percebem que a filha é uma “porta”, porque caso eles não enxerguem essa característica, alguém estranho terá essa percepção e poderá se aproveitar desse comportamento.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Indignação e muito calor na “fila da vergonha” em Rio Bonito

Flávio Azevedo
Muita reclamação e indignação na "fila da vergonha" formada por pessoas que no último dia de devolução da taxa de inscrição do "concurso da vergonha" (28/12) esperavam os procedimentos protocolares para rever o dinheiro. O expediente foi encerrado às 16h, mas quem estava na fila foi atendido. Por volta das 18h as últimas pessoas estavam sendo atendidas. Sem dúvida, esse é um dos últimos capítulos da novela "Governo Solange-2012/2016", seguramente o pior da história recente de Rio Bonito.

O Edital que trata da devolução dos recursos define que o dinheiro da inscrição será devolvido em 30 dias a partir de 20/12/2016. A orientação que a equipe de atendimento oferecia ao público, inclusive, para quem chegava depois das 16h, é que esse prazo termina, na verdade, em 20 de janeiro. Segundo a equipe da Prefeitura que atuava no local, “nesses oito dias o governo tentou dar o máximo de celeridade a devolução do dinheiro e a demora aconteceu, porque era preciso respeitar uma série de orientações jurídicas”.

Na fila, porém, composta por pessoas indignadas e que enfrentavam alta temperatura e um prédio da Prefeitura sem ventilação e muito abafado, o clima era de revolta.
– Essa foi uma maneira deles fazerem as pessoas desistirem de pegar o dinheiro, porque muita gente trabalha, o dia está muito quente, aqui não tem uma água para que nós possamos beber e muita gente vai embora e desiste – disse o pai de um jovem que esperava na fila, acrescentando que “além da falta de respeito com os candidatos, principalmente quem passou de forma decente no concurso, ainda tem essa humilhação de ficar esperando horas para conseguir pegar o dinheiro que é nosso”.

Apesar da indignação, quando a câmera e os gravadores estão ligados boa parte do descontentamento desaparece e geralmente o silêncio e sorriso amarelo é a resposta para as perguntas. Apenas o seu Roberto, morador de Tanguá, conversou mais tempo com a nossa reportagem. O Edital que versa sobre a devolução da taxa de inscrição do concurso diz que são 30 dias a partir de 20/12 para a pessoa buscar o dinheiro da taxa de inscrição. No local, a equipe da Prefeitura informava que o prazo de devolução se estenderá até 20/01/2017, “mas como a partir de janeiro começa um novo governo, não temos ideia de como essa questão será tratada por eles”.

Preso por estupro de menores na Praça Cruzeiro, em Rio Bonito

Flávio Azevedo
Marcos Feliciano foi preso em flagrante.
Rio Bonito registrou nessa quinta-feira (29/12), um caso que está gerando grande indignação. Um homem, identificado como Marcos Feliciano Costa Gonçalves, de 56 anos; foi preso sob a acusação de estupro. Ele foi surpreendido pela polícia com uma menina de 11 anos, dentro de um carro, no bairro Praça Cruzeiro, próximo ao Colégio Estadual José Matoso Maia Forte.

Segundo o registro feito na 119ª DP, a Polícia Militar foi informada, através de denúncia feita pelo 190, que um Fiat Pálio, cor vermelha, placa KOV – 6092, tinha no seu interior um homem de cerca de 50 anos e duas menores de idade. Policiais foram verificar a denúncia e flagraram Marcos Feliciano ainda nu, junto de uma menina de 11 anos. 

De acordo com o registro, questionado pelos policiais, ele confirmou que o ato já acontecia há algum tempo. Uma menina de 13 anos também seria vítima do homem, que foi levado para 119ª DP onde foi preso por estupro.

Se o caso for tipificado como “estupro de vulnerável”, Marcos Feliciano pode pegar uma pena que varia de oito a 15 anos de prisão. Segundo advogados consultados pela nossa reportagem, a pena pode ser multiplicada pela quantidade de vítimas.

Presos no Green Valley na noite de Natal

Flávio Azevedo
A dupla foi presa após denúncia de um morador que estranhou a movimentação dos elementos pelo bairro.
A "excursão" que dois malandros de São Gonçalo fizeram a Rio Bonito na noite do Natal não terminou bem para eles. Segundo a polícia, a pretensão dos "excursionistas" era furtar residências. Os malandros foram enquadrados por policiais militares no bairro Green Valley, onde pretendiam agir. A dupla, que transitava pela localidade num Escort azul, chamou atenção de um morador, que desconfiado, acionou a polícia. Eles foram abordados por volta das 21h. 

Diante da autoridade policial, os marginais confessaram a intenção criminosa e foram conduzidos a 119ª DP (Rio Bonito), onde foi descoberto que a dupla seria autora de outros furtos na localidade. Eles também são suspeitos de serem responsável pelos assaltos que estão acontecendo no Centro de Rio Bonito nas últimas semanas.

PS: nos últimos dias, algumas das minhas matérias policiais têm causado insatisfação. A minha sugestão aos insatisfeitos é que disponibilizem os seus endereços para que jovens como esses possam visitar a sua residência. A crise econômica atingiu toda sociedade, inclusive, o mundo do crime. Assim, quem puder dar esse incentivo estará ajudando.

Programa Flávio Azevedo recebe deputado Marcos Abrahão

Flávio Azevedo
Nessa quinta-feira (29/12), o Programa Flávio Azevedo recebe o deputado estadual, Marcos Abrahão (PT do B). Na pauta, a crise do estado do Rio de Janeiro, suas perspectivas para o próximo ano, suas perspectivas para Rio Bonito, que a partir da próxima semana estará sob nova gestão, entre outros temas.

A cultura do fúnebre e do moribundo condena a alegria e as comemorações

Flávio Azevedo
Nós temos o hábito de repetir aquilo que ouvimos sem parar para verificar o sentido das coisas. Então vamos lá! Quem promove a festa Réveillon no Rio não é o governo do Estado, mas a Prefeitura, que não está na pendura que o estado se encontra. Além disso, cancelar os festejos de Réveillon, embora pareça uma teoria muito boa, é tão louco quanto cancelar o desfile cívico escolar de Rio Bonito (2015). 

Milhares de turistas do mundo inteiro passaram esse ano planejando estarem no Rio para a “Festa da Virada”, vários transatlânticos já estão ancorados em nosso litoral para esse momento e tudo isso representa um faturamento de bilhões para os cofres do município e do estado. Isso sem falar a economia indireta dos camelôs, taxistas e autônomos de toda ordem que estão esperando esse momento para ganhar algum dinheiro.

Em nome de investir em Saúde e Educação, que realmente são setores importantes, eu vejo muita gente falando em cancelar eventos, festas e espetáculos, sem analisar o impacto disso. Essa fala é dos políticos porta de funerária, hospital e cemitério. Gente que vive explorando a desgraça alheia, como se a vida consistisse apenas em doenças, infortúnios, desgraças e não tivéssemos momentos de alegria e comemoração.

A forma mais eficiente de mudar esse cenário de roubalheira na coisa pública não é cancelando os momentos de alegria, mas votando com consciência. Se não existe candidato que te represente, ofereça o seu nome, seja candidato, faça uma campanha séria, sem sacanagem e você verá que esse papo de “mudança” não existe na prática e não passa de elucubrações de quem deseja mudança somente para os outros.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

"Crise" e "falta de transição", as muletas de quem sai e quem chega à Prefeitura de Rio Bonito

Flávio Azevedo
Na tarde dessa quarta-feira (28/12), eu conversei com um amigo sobre o bloqueio que o Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Rio Bonito (Iprevirb) pediu que a Justiça faça nas contas da Prefeitura, para que aposentados e pensionistas que são remunerados pelo Instituto consigam receber os salários de novembro, dezembro e 13º. Falei com ele que me preocupava o recurso do Fundeb que chega aos cofres municipais nessa quinta (29). Ele me tranquilizou dizendo que por ser verba carimbada da Educação, esse recurso não pode ser bloqueado a favor do Iprevirb. 

Mais tarde, na Rádio CBN, eu ouvi uma reportagem sobre os recursos da “Repatriação” que o governo federal vai dividir entre os municípios. Fiquei pensando o que a atual gestão poderá fazer com essa grana, que também chegará aos cofres do município ao apagar das luzes de 2016. Segundo o especialista que era entrevistado na CBN, o dinheiro da “Repatriação” será depositado no dia 30/12, “mas como esse dia será feriado bancário, somente em 2017, quando as cidades terão novo comando, o recurso estará disponível para ser utilizado”. 

Diante dessas informações, independente de ter tido ou não a transição, eu acredito que os integrantes do novo governo, sobretudo o futuro chefe do poder Executivo, já deveria ter vindo a público tratar desses assuntos. Já deveria estar falando sobre as suas pretensões com o recurso da “Repatriação”; como irá gerenciar os recursos do Fundeb; se finalmente o profissional de Educação receberá o Piso Nacional; que prosseguimento ele, junto com sua equipe, dará a devolução do dinheiro do “concurso da vergonha”; entre outras ponderações.

Todavia, até aqui o grupo que vai assumir a Prefeitura segue escorado na muleta do “não nos deram transição” e se limitou a colocar seus serviçais nas mídias sociais debatendo a presidência da Câmara de Vereadores do próximo exercício, uma artimanha que tem um claro objetivo: afastar o olhar da população dos assuntos que abordei anteriormente. Apesar de tanto criticar os “fofoqueiros” que apontam as ilegalidades da sua conturbada participação no pleito de 2016, o novo prefeito foi contagiado pela “fofoca” e esqueceu que Rio Bonito precisa de trabalho, respeito ao povo e não de “fofoca”, “mentira” e “conversa fiada”. Feliz 2017!

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Na Serra do Sambê, o guarda roupas também guardava cocaína

Flávio Azevedo
O casal e todo material que foi aprendido com eles.
Unidos no amor, unidos no tráfico e unidos na consequência: a prisão! A história de Sirley Herculano Oliveira Silva, de 33 anos; e Fernanda de Almeida, de 34 anos; presos na tarde dessa terça-feira (27/12), por volta das 18h, no bairro Serra do Sambê; daria um bom enredo para o cinema. A prisão foi mais uma ação de policiais militares da 3ª CIA (Rio Bonito) que, hoje, tiveram um plantão agitado. 

No interior da casa onde Sirley e Fernanda residiam, os policiais encontraram 2.3kg de pasta base de cocaína; 79 papelotes de cocaína, 66 pinos de R$ 5,00; 37 pinos de R$ 10,00; 115 sacolés de cocaína; 04 sacolés de aproximadamente 140 gr; 01 balança de precisão; 200 saquinhos vazios; 01 rolo de plástico; 01 pote de pó Royal e 01 celular.

Segundo o registro feito na 119ª DP (Rio Bonito), após receber denúncia de que no referido endereço residia um indivíduo conhecido como “Wirley”, uma mulher e que estariam endolando, preparando e vendendo entorpecentes, a guarnição procedeu ao local. O casal foi abordado na entrada da residência e os policiais informaram a razão da visita.

De acordo com o registro, “Wirley” assumiu que realmente tinha entorpecentes em casa e levou a guarnição até o quarto, onde no interior de um guarda roupa estava a droga apreendida. O casal foi conduzido juntamente com todo material arrecadado à Delegacia, onde foram autuados conforme o ART 33 e 35 da lei 11343/06 (Lei do Tóxico).

Ladrão é preso no Centro de Rio Bonito na manhã de hoje

Flávio Azevedo
A faca encontrada pelos policiais com o ladrão no momento da abordagem.
Policiais militares da 3º CIA da PM prenderam na manhã dessa terça-feira (27/12), na Av. Sete de Maio, próximo ao antigo Laboratório Santa Teresinha (Gran Medicina Laboratorial), um malandro já conhecido da Justiça e da Polícia. Munido de uma faca de pescaria, ele tentou furtar uma motocicleta nas proximidades do laboratório. “Um elemento moreno, trajando bermuda azul e preta tentando furtar uma motocicleta” foi a denúncia que chegou a CIA da PM. 

Os policiais intensificaram o patrulhamento e transeuntes informaram que um elemento com essas características pulou o muro de uma residência, onde um cerco foi montado. O marginal conhecido como “Macaco”, tentou fugir, mas foi preso. Na revista os policiais encontraram a faca. O bandido foi reconhecido pelos policiais como sendo um marginal que fugiu deles no último dia 24/12. Na ocasião, ele conduzia uma motocicleta Honda 125, da cor roxa, ano 98, que segundo o registro feito na 119ª DP (Rio Bonito), era produto de furto.

Após o registro, policias e marginais foram até a Vila Côrtes, em Tanguá, onde, segundo o bandido, estaria a moto que ele pilotava no dia 24/12. O veículo, porém, não foi encontrado. O ladrão foi trazido de volta a 119ª DP, onde foi autuado no artigo 155 (subtrair, para si ou para outrem, coisa alheia móvel) com qualificadora. Vale destacar que o elemento tem duas passagens pela polícia também por roubo.

Projeto Lona na Lua celebra apoio da Petrobras

“Lona na Lua: Cidadania e Arte”. Este é o nome do novo projeto do Lona na Lua. A iniciativa, que desde novembro oferece oficinas de teatro, música e dança para 100 crianças e adolescentes de Rio Bonito e região, tem patrocínio do Governo do Estado do Rio de Janeiro, através da Secretaria de Estado de Cultura pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro e Petrobras. É a primeira vez que o Lona na Lua tem patrocínio da Petrobras. Quem comemora a novidade é o líder do projeto, o ator Zeca Novais.
– A Secretaria de Estado de Cultura se faz presente através de uma importante ferramenta, que é a Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro. Há sete anos o nosso movimento sociocultural luta por democratização do acesso aos recursos para Cultura. Há sete anos o Lona na Lua trabalha de forma muito séria, digna, com responsabilidade e comprometimento. Estamos muito felizes! Somos um coletivo de uma cidade do interior do país, fazendo arte longe dos grandes centros. Nos enxergaram. Atendemos crianças e adolescentes de Rio Bonito, Tanguá e Silva Jardim. E nos enxergaram – diz Zeca Novais, que não consegue esconder a emoção e a empolgação com as conquistas do projeto.

O projeto tem a duração de 06 meses e as oficinas são realizadas no Espaço Cultural Lona na Lua, que conta com rampas de acesso e banheiros adaptados para deficientes, o que na opinião dos pais é fundamental para garantir direitos básicos, como o da acessibilidade. A Aluna Kemilly Victória, de 10 anos, é cadeirante. Em depoimento a nossa reportagem, sua mãe Giselle Barbosa falou sobre a participação de sua filha nas aulas de dança, “No Lona na Lua a minha filha é tratada da mesma forma que os outros alunos. Aqui ela dança muito, ela mexe os braços, as mãos, a cabeça, dá pulos na cadeira e se diverte. Minha filha é muito feliz aqui”.

Ao falar sobre o Lona na Lua, o brilho que vemos nos olhos de Kemily já responde o seu sentimento pelo projeto. Sem pensar muito ela demonstra seu encantamento com o projeto. “Eu adoro o Lona na Lua! Eu amo esse lugar!”. As oficinas terão como conclusão a montagem de um espetáculo produzido pelos alunos, que será aberto à comunidade. As apresentações estão previstas para abril de 2017.

Um ano inesquecível

O reconhecimento da SEC-RJ e da Petrobras chega num ano de muitas conquistas para o Lona na Lua. Uma breve retrospectiva mostra que o projeto alcançou objetivos que em outros tempos pareciam impossíveis. Entre esses momentos importantes do projeto em 2016, um ano que Zeca aponta como “mágico”, está o Lançamento do livro “Lona dos Sonhos: as histórias do Lona na Lua”, de Rafael Cal; a vitória do aluno Lucas Fernandes, no quadro Click Esperança do Fantástico”; as participações dos loneiros no programa “Como Será?”, da TV Globo, onde trupe Lona na Lua foi entrevistada por Sandra Annenberg. Na mesma ocasião Zeca Novais retornou ao palco do Caldeirão do Huck, onde seria surpreendido pela presença do ídolo Selton Mello. O encontro resultou numa parceria com o ator global e foi fundamental para outra conquista: a inauguração do “Cineclube Selton Mello”, que contou com a presença do ator no Espaço Cultural Lona na Lua.

Também está nessa extensa lista de realizações e conquistas a continuidade de projetos sólidos como “Lona na Lua em Silva Jardim”, onde o projeto é apoiado pela Prefeitura da cidade e a chegada do “Com a Cabeça na Lua”, em que o Instituto PHI atua como parceiro. “Trabalhamos com honestidade de propósito e fé. E por isso o novo sempre vem”, encerra Zeca Novais, que projeta novas conquistas e novos horizontes para 2017.

Presos com arma, munição e drogas em Rio Bonito

Flávio Azevedo
Policiais militares deram mais um bote certeiro na vagabundagem. Foram presos na Rua Dr. Matos, no Centro, de Rio Bonito; Tiago Gomes de Oliveira, de 26 anos; e Wallace Cassimiro Pinheiro, de 30 anos. Com os elementos, eles encontraram 01 pistola 9mm, 15 munições intactas de 9mm, 02 carregadores de pistola, 01 rádio transmissor, 01 carregador de rádio, 190 sacolés de “pó de R$ 10,00”, 800 gramas de maconha, 09 tabletes de maconha de R$ 50,00 e um caderno de anotações do tráfico.

Segundo registro feito na 119ª DP (Rio Bonito), durante patrulhamento os policiais tiveram a atenção voltada para um Renault Clio, cor preta, placa DRE – 7325. Ainda segundo o registro, diante da ordem de parar, os integrantes do carro efetuaram diversos disparos contra a guarnição, que revidou. Um homem saiu do veículo atirando e diante do revide da polícia deitou no chão gritando “perdi, perdi”. Os policiais arrecadaram o material descrito é mais adiante encontraram o carro vazio.
Já na 119ª DP, os policiais que prenderam esse malandro descobriram que outra guarnição prendeu o outro elemento que na fuga largou o Renault Clio. Com ele os policiais encontraram a chave do veículo. Questionados pela autoridade policial sobre o que faziam em Rio Bonito, a dupla confessou estar a serviço do tráfico.

Outra descoberta feita pela Policia ao pesquisar o nome dos bandidos é que Tiago Gomes de Oliveira, que seria morador de Tanguá, possui um Mandado de Prisão em aberto, possivelmente por disparos contra um policial em Itaboraí. O caso corre em “Segredo de Justiça”, não sendo possível a consulta para se descobrir maiores detalhes. O Mandado foi expedido pelo juiz Daniel da Silva Fonseca, da Comarca de Itaboraí, em 19/12/2016.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Rio Bonito tem futuro sombrio por conta do seu passado sórdido

Flávio Azevedo
A imagem do incêndio na Estação Ferroviária em 22/02/2011 é meramente ilustrativa, apenas as chamas nos interessa para mostrar que a partir do dia 01/01/2017 Rio Bonito vai pegar fogo.
Há 24 anos a política riobonitense reproduz os gestos da Guerra Fria no que ela tem de pior: ignorar as pessoas, ignorar os avanços necessários para transformar o município e usar as classes menos favorecidas, exatamente como acontecia no Vietnã, onde vietnamitas e vietcongs eram usados para que Estados Unidos da América (EUA) e União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) alcançassem os seus ardilosos projetos de poder. Em Rio Bonito, a cada ciclo eleitoral ou a cada duas eleições, o poder troca de mãos para que as coisas continuem do jeito que estão. Usando uma alegoria vulgar e nojenta, nós podemos afirmar que as únicas mudanças percebidas é a troca das moscas que sobrevoam o mesmo excremento.

Engana-se quem pensa ser esse texto direcionado aos eternos prefeitos, Solange Almeida ou José Luiz Antunes (Mandiocão), marionetes de um sistema de castas peculiar. Também é importante olhar a Câmara de Vereadores, formada em sua maioria por pessoas escolhidas para serem achincalhadas por uma sociedade que nada entende de política. Os vereadores são “bois de piranha” e convém que sejam assim, porque enquanto a população esculacha os integrantes do poder Legislativo, as classes hegemônicas através dos seus ícones políticos (prefeitos) seguem se locupletando através da exploração ilegal, irregular e abusiva dos nossos recursos naturais, patrimoniais e financeiros.

Sendo assim, é importante, para não quebrar a corrente, que o poder Legislativo seja formado por quem não conhece as Leis, não sabe o que é o Regimento da Câmara Municipal, ignora a existência de uma Lei Orgânica que rege o Município; e detalhe: a ignorância é tamanha que a maioria desconhece o papel de boi de piranha que lhes cabe nesse enredo. Alguns ao descobrir a desconfortável função colocam-se a serviço das forças hegemônicas para compensar o desconforto.

Na Guerra Fria, EUA e URSS decidiram usar o quintal dos outros (Vietnã) para resolver suas diferenças. É como se o seu vizinho brigasse com outro vizinho e fossem resolver a parada dentro da sua casa. No meio da confusão um atira no outro e o bala acerta o seu filho que não tem nada com isso. Segundo dados estatísticos, para cada 10 mil soldados estrangeiros mortos no Vietnã, um milhão de pessoas entre vietnamitas e vietcongs perdiam a vida. É o que acontece em Rio Bonito. Enquanto setores da sociedade, através dos seus ícones políticos, se engalfinham pelo real comando do município, quem sai prejudicado é a população, o servidor municipal e a própria administração pública, que deixa de ser pública porque é gerenciada para atender interesses pessoais.

Um grupo de “vietnamitas” importantes nessa “Guerra Fria” riobonitense é o servidor municipal, que precisa ser mal remunerado, desvalorizado e desrespeitado, para que os políticos vendam para eles funções que têm boa remuneração e direito a incorporação anual de 10% do que ganham a mais. Para alcançar esses objetivos, porém, é preciso se fingir de morto, bancar o idiota, dar razão as ideias tresloucadas; e jamais deixar o todo poderoso chefe perceber que você sabe ser ele apenas uma engrenagem da máquina sórdida que visa enriquecer quem já tem posses e explorar desfavorecidos.

Um passeio pelas mídias sociais mostra que a “Guerra Fria” já começou. Por conta da suposta fraude do concurso público da Prefeitura de Rio Bonito, um dos maiores escândalos da gestão Solange Almeida, as desconfianças sobre o certame estão sendo usadas como pano de fundo para atingir especialmente o vereador Reis, alvo de pesadas críticas que tem apenas um objetivo: desviar o olhar da população do poder Executivo que assume a Prefeitura em 01/01/2017.

Não é segredo para ninguém, que chega ao poder o representante de um grupo hegemônico importante, que não mede esforços para alcançar objetivos (vimos isso esse ano) e que já está, através dos seus “vietcongs”, disparando contra o Legislativo. Saiba que a “Guerra Fria” não está preocupada com idoneidade de vereador. A “Guerra Fria” não está preocupada com o mal que um ou outro parlamentar pode causar ao erário público. O objetivo da “Guerra Fria” é fazer outra vez a Câmara Municipal de “boi de piranha”, como já vimos acontecer no biênio 2011/2012, quando os vereadores brigaram entre si, se dividiram, envergonharam a Casa, foram achincalhados pela opinião pública; e sem ser incomodado o chefe do Executivo fez o que bem quis a frente do município.

PS: por isso, caro Marcos Abrahão e demais candidatos ao cargo de prefeito nessa e em outras eleições, por favor, tirem o cavalinho da chuva! Enquanto vocês não rezarem na cartilha da classe hegemônica que comanda de verdade a nossa cidade, vocês não alcançarão o cargo de prefeito de Rio Bonito!

Os "patos" seguem caindo na lorota dos políticos em Rio Bonito

Não fosse os muitos patos que transitam no mundo político, não teríamos tantos picaretas transitando no setor.
Encontrei um servidor municipal no Centro da cidade procurando o 13º salário da Prefeitura de Rio Bonito. Indignado, ele disse ter recebido a notícia de que o benefício só será pago ano que vem! Eu falei para ele aguentar firme, "porque daqui quatro anos tem mais".

Vale lembrar que esse "procurador" (de 13º) foi um cabo eleitoral dedicado da prefeita nas eleições de 2012. Ao ouvir a minha profecia ele respondeu: "nunca mais!". Ao ouvir essa familiar declaração, eu fui obrigado a refrescar a memória dele. Fiz ele lembrar que em 2011 eu também ouvi ele dizer "nunca mais!".

Entretanto, depois de um encontro com a "sereia", ele foi convencido de que ela estava "cada vez melhor". Aproveitei a ocasião para lembrá-lo que certamente esse filme se repetirá em 2020 e ele novamente cairá igual um patinho. 

Apesar das merecidas críticas ao atual governo municipal, que não cumpriu os compromissos assumidos em campanha, uma promessa foi cumprida. Durante toda campanha, a candidata do palanque vitorioso disse que a sua gestão seria "alinhada aos governos, estadual e federal". Diante da "pindaíba" do Estado, nós podemos concluir que ela está alinhadíssima ao governo estadual. 

Aliás, não fosse o intrometido do "Napoleão", até impeachment nós teríamos por aqui. Acontecesse isso, a promessa de campanha seria completa! Detesto esse "Napoleão"!

Prefeitura de Rio Bonito premia destaques do esporte em 2016

O comandante da Associação de Capoeira Berimbau de Ouro, Márcio Luiz Sardinha, ao lado do secretário de Esporte e Lazer, Ronaldo Oliveira.
Foi celebrado, na noite de ontem (19), no Colégio Rio Bonito (CRB), o Prêmio Destaque Esportivo 2016. O evento foi promovido pela Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Esporte e Lazer, e homenageou pessoas e projetos que, de forma direta ou indireta, contribuíram para o desenvolvimento da prática esportiva na cidade, no ano de 2016.

O prêmio de melhor Projeto Esportivo do ano foi para o Projeto Vida Útil, promovido pelas secretarias de Esporte e Lazer e Saúde. Na modalidade Desporto Amador, foi premiado o esportista Bruno de Faria, responsável pela organização de diversos torneios de futebol no município. O atleta Vagner Menezes, que hoje ocupa a 24ª posição no ranking nacional do Taekwondo WTF Olímpico, foi escolhido o atleta do ano, enquanto o idealizador do Projeto Meninos da Mangueira, o mestre da Associação de Capoeira Berimbau de Ouro, Márcio Luiz Sardinha, foi o premiado da modalidade Projeto Social.

A cerimônia também foi marcada pela entrega da Medalha de Mérito Esportivo Professor Maurício Hanna Badr ao presidente e técnico do Castelo Futebol Clube, Almir Pintas, um dos fundadores do clube.

Fonte: Secom/RB.

domingo, 25 de dezembro de 2016

O efêmero, a simplicidade e o essencial foram expostos na ‘Missa do Galo’

Flávio Azevedo
O Papa Francisco durante a homilia na noite de Natal 2016
Talvez eu seja o único evangélico que acompanhe atentamente a Missa do Galo, aquela que é celebrada na noite de Natal. Por conta das minhas raízes evangélicas, eu não entendo muito os ritos católicos, mas o meu principal interesse é sempre pela homilia, esse ano muito destacada pela mídia pelos apelos que o Papa Francisco fez à paz. Todavia, eu gostaria de destacar outras coisas ditas pelo líder máximo do catolicismo no meio da sua pregação. Ao refletir sobre o nascimento de Jesus, o Papa falou do efêmero, da simplicidade e do essencial.

Reconhecidamente adepto do “franciscanismo”, grupo de religiosos católicos que se destaca por pregar o desapego ao luxo, ao consumismo e por atuarem mostrando que Deus está presente nas coisas simples da vida, o Papa Francisco tratou desses temas mostrando que o apego ao efêmero nos impede de aceitar Jesus. É sobre esse tema que eu gostaria de fazer algumas reflexões. Começo destacando a dificuldade que Maria e José tiveram para conseguir um lugar onde Jesus pudesse nascer. É nítido que, hoje, Jesus segue tendo dificuldade para nascer dentro de nós.

O decreto do imperador romano determinava que cada cidadão retornasse ao seu local de origem para uma espécie de recadastramento. Maria e José deveriam se dirigir a Belém, lugar onde nasceram. Embora os profetas do Velho Testamento, como Miquéias, tivessem profetizado a chegada do Messias em Belém, ninguém prestou atenção nisso. Aliás, jamais os judeus, senhores de si como são, aceitariam o “Messias” nascendo naquele pardieiro.

Belém estava cheia de pessoas. Por conta do tal decreto, os hotéis e pousadas estavam com lotação esgotada. Gente de todo canto regressava naquele dia para se recadastrar. Entre aqueles tantos estavam Maria e José, que chegavam de uma viagem penosa. Num tempo em que as pessoas não dispunham dos confortáveis meios de transportes modernos (ônibus, avião, vans, táxis), qualquer viagem era muito cansativa, sobretudo para quem estava com cerca de oito meses de gestação. 

Com as dores do parto se intensificando, José entendeu que Maria precisava de um lugar para descansar, porque a conceição estava próxima. Mas não havia lugar para Jesus. As pessoas estavam focadas no recadastramento. Cada um estava ligado no seu problema. Os empresários do setor hoteleiro estavam atentos ao conforto dos seus hospedes. Alimento para um, água para outro, combustível para manter acesa a luz daquele quarto, analgésico para aquele hospede que estava com corpo dolorido por conta da longa viagem; e essa correria tornava inviável dar atenção a um casal pobre. Aliás, “pelo tamanho da barriga dessa mulher essa gente vai dar é trabalho e não terão como pagar!”, certamente pensaram vários donos de hotéis.

O engraçado é que esse ambiente que envolve o nascimento de Jesus é uma alegoria do que existe, hoje, quando Jesus quer nascer em nossos corações, mas não há lugar. O apóstolo João escreveu, no Apocalipse, que Jesus deseja ser recebido: “Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele comigo” (Apocalipse 3.20). Há 2016 anos, Jesus não foi recebido, porque as pessoas estavam muito ocupadas. Hoje o cenário se repete. Tentam culpar a modernidade, mas quando ainda não existia tecnologia e internet, o efêmero impedia as pessoas de enxergarem o essencial.

Finalizando essas reflexões eu pergunto: que efemeridade é responsável por eu não receber Jesus? O trabalho? As atividades da vida? O esporte que pratico? A família? As duas esposas que tenho? Práticas condenáveis que mantenho em segredo? Hábitos? Vícios? As relações extraconjugais? Licenciosidade? Costumes? Amigos? Status social? Vergonha de largar tudo e ser chamado de bobo? Sim amigo... Essas e outras situações ainda são as principais responsáveis por não recebermos Jesus, o essencial que se aproxima de nós nas formas mais simples.

Os judeus perderam o ‘time’ porque esperam um “Messias” nascendo num palácio, filho de um rei poderoso e envolto em muitas honrarias. Jesus dificilmente está nesses lugares possuídos pela efemeridade. Como destacou o Papa Francisco, Ele está na simplicidade da vida. Na natureza, nas flores que desabrocham, nos pássaros que cantam, nas palavras do pregador mais humilde, na melodia de uma simples canção e/ou aparece diante de nós como Maria e José, na figura de pessoas que precisam de ajuda.

Que nesse Natal, os nossos olhos estejam bem abertos e nossos ouvidos aguçados a batida diária de Jesus na porta dos nossos corações. Não esqueçamos que ao abrirmos a porta, Ele entrará em nossa casa, cearemos com Ele, e Ele conosco. E nunca percamos de vista o que escreveu João no seu evangelho: “porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por Ele”. Todavia, é preciso esquecer o efêmero e atentar para o essencial que é abrir para Ele a porta do coração. Amém!

sábado, 24 de dezembro de 2016

'Viúva da Mega-Sena' foi solta sem tornozeleira

Foi solta na manhã deste sábado (24) Adriana Ferreira de Almeida, conhecida como "Viúva da Mega Sena", que estava presa no Complexo Presidiário de Bangu, no Rio de Janeiro. A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária. Ela tinha um alvará de soltura expedido desde último dia 19, após ter sido condenada no dia 16 em juri popular a 20 anos de prisão como mandante do assassinato do ex-marido Renné Senna, ganhador da Mega-Sena. O crime foi cometido em 2007.

Adriana foi solta mesmo sem receber uma tornozeleira eletrônica, que era um dos impedimentos impostos após a expedição do alvará de soltura. Ela vai ficar em prisão domiciliar na casa dela no Condomínio Village Ipanema I, em Cachoeiras de Macacu, e terá que ficar no local. Segundo o advogado de Adriana, Jackson Rodrigues, a defesa alegou que ela passava por um constrangimento ilegal ao ficar presa com o alvará expedido.
– A soltura foi determinada no dia 19 pelo juízo de Rio Bonito e ainda não tinha sido concretizada por questões burocráticas. O TJ (Tribunal de Justiça do Estado) foi muito prudente ao reconhecer que havia um constrangimento ilegal e determinar a soltura imediata – afirmou Jackson.

O advogado disse ainda que tentará anular o juri em que ela foi condenada. “Vejo vários vícios no juri que a condenou, como falta de provas. Por isso vou impetrar um recurso visando a nulidade do julgamento”.

Crise impediu chegada de tornozeleira

O alvará de soltura expedido no dia 19 estava pendente porque a crise no estado atingiu o fornecimento da tornozeleira, que não é feito desde agosto. Diante da situação, o governador do Estado do Rio, Luiz Fernando Pezão, publicou, no dia 7 de dezembro, uma lei polêmica que permite que presos do Estado comprem o próprio equipamento para que cumpram prisão domiciliar. 

O que aconteceu

Adriana foi levada para o presídio em Bangu (RJ) no domingo (18) após o julgamento pela morte do companheiro, Renné Senna, ganhador do prêmio de R$ 52 milhões da Mega-Sena em 2007. A condenação levou em consideração que o crime teve motivo torpe (que fere a moral) e que deveria ser cumprida em "regime inicialmente fechado".

A alegação da defesa de Adriana para a soltura, e que foi aceita pela Justiça, é que ela tem endereço fixo e que não oferece risco de fuga. O Ministério Público informou na terça-feira (20) que analisa a possibilidade de recorrer da decisão do juiz Pedro Amorim Gotlib Pilderwasser, que converteu em domiciliar a prisão de  Adriana Ferreira de Almeida.

Renné foi morto com quatro tiros em um bar de Rio Bonito. Os dois assassinos foram descobertos e condenados a dezoito anos de prisão. A promotoria defendeu a tese que os assassinos foram pagos por Adriana. Ela teria planejado o assassinato depois que o companheiro descobriu que ela tinha um amante e ameaçou tirá-la do testamento. O interrogatório da ex-cabeleireira durou mais de cinco horas e o julgamento durou três dias.

Fonte: G1

Ouro, Incenso e Mirra!

Flávio Azevedo
O evangelho de Mateus é o único do relato bíblico que narra reis magos visitando o recém-nascido Jesus. Acredita-se em “reis”, porque o texto bíblico trata os visitantes no plural. Todavia, não se pode afirmar se eram exatamente três. Pode ser que fossem mais. Entretanto, como os ilustres visitantes trouxeram três presentes, ouro, incenso e mirra, convencionou-se que era um trio. Apesar do pouco que se fala sobre isso, os presentes têm significados importantes e trazem mensagens que merecem a nossa reflexão. Acreditando ou não, a humanidade é um dos atores dessa história que é protagonizada pelo bem (mocinho) e pelo mal (vilão). 

O ouro significa que Jesus É Rei, já o incenso representa que Ele é Deus. Ao ser queimado, a fumaça do incenso sobe em direção ao céu, como sobem ao céu as nossas orações que somente são atendidas quando feitas em nome de Jesus. O último presente não é menos importante. A mirra é uma especiaria usada para fazer perfumes, unguentos e tem também potencial curativo. A mirra aponta para um Jesus Reis, para um Jesus Deus; e para um Jesus Homem, que na sua passagem pela terra enfrentaria dores e sofrimentos. 

No Natal, ocasião que se celebra, segundo a tradição cristã, o nascimento de Jesus, a troca de presentes, a ceia, as bebidas, as viagens, as festas, acabam ofuscando a razão da conceição de Jesus. Embora a sua morte seja mais celebrada na Semana Santa, nunca é demais lembrar que Jesus nasceu com uma missão: morrer. A sua crucifixão, inclusive, já havia sido anunciada por profetas do Velho Testamento, com destaque para Isaías, chamado de “Profeta Messiânico”.

O termo “congraçamento” talvez seja a palavra que mais se aproxime de uma expressão mais comum desse período: “espírito natalino”. O significado de “congraçar” é restabelecer a boa harmonia entre desavindos; fazer as pazes; pôr-se bem no conceito de alguém; e por último, simpatizar. Para quem não sabe, a humanidade estava em desavença com Deus, por conta da desobediência no Jardim do Éden, quando o primeiro casal, Adão e Eva, comeram o fruto proibido. Com a desobediência, a relação entre criatura e Criador ficou estremecida e a punição era morte. 

É nesse cenário que entra Jesus, que se ofereceu para morrer no lugar dos condenados. O presente mais valioso que se tem notícia na história da humanidade é a morte de Jesus, porque através do seu sacrifício Ele abriu um caminho que permite a humanidade retornar a glória perdida por ocasião da desobediência de Adão e Eva. A morte de Jesus é a porta de entrada do Paraíso de onde os primeiros moradores da terra foram expulsos. A morte de Jesus contribuiu para que existisse “congraçamento” entre Deus e a humanidade.

Perder Jesus de vista, porém, não é culpa da modernidade. A internet, o secularismo e o relativismo não são as principais razões para não prestarmos atenção em Jesus, o maior presente da história humana. Podemos chegar a essa conclusão, porque os cristãos de Filipos – uma cidade importante do Império Romano – não tinha Facebook, WhatsApp e Instagram, mas sofriam do mesmo mal. Uma das portas de entrada da Europa para quem chegava da Ásia, Filipos foi construída no topo de uma colina, no leste da Macedônia, a 13 km do mar Egeu e próximo ao rio Gangites. 

A frivolidade e acomodação dos cristãos de Filipos preocupou São Paulo e os filipenses levaram um puxão de orelha. No capitulo dois, versos seis a nove, da carta aos cristãos de Filipos, Paulo escreveu: “De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz”.

Nesse Natal, a minha oração e súplica é para que nós tenhamos o mesmo sentimento que havia em Jesus, que mesmo sendo Deus, tomou forma de servo. Que a tecnologia e a vida corrida da modernidade não sejam desculpas para perdermos Jesus de vista, hoje, e sempre! Amém!

Equipamentos públicos abandonados no 2º Distrito de Rio Bonito

Flávio Azevedo
Um complexo com três construções compreendendo um Centro Referência de Assistência Social (CRAS), uma creche e um Posto de Saúde. Essas obras, que deveriam estar beneficiando a população do 2º Distrito, mais precisamente aqueles que moram no Parque Andréa e adjacências, estão paralisadas e fazem integram o conjunto de obras inacabadas que estão espalhadas por Rio Bonito. No prédio que seria o CRAS, a data de início das obras informadas na placa é 16/03/2015. O término é anunciado para 12/09/2015. Nós visitamos o local

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Integrantes do próximo governo de Rio Bonito falam de reconstrução

Flávio Azevedo
Feita a diplomação de prefeito, vice e vereadores de Rio Bonito, solenidade que aconteceu na tarde dessa segunda-feira (19/12), no Fórum da cidade, a nossa reportagem conversou com integrantes da gestão que se inicia em janeiro de 2017. A vice-prefeita, Rita de Cássia (PP) foi a primeira a falar. Entre outros temas, ela discorreu sobre a corrida eleitoral, as dificuldades que a nova gestão terá por conta da falta de transição; a relação com o prefeito Mandiocão (PP), que tem histórico de rompimento com seus vices; a relação entre Executivo e Legislativo, sempre conflituosa nos governos do prefeito Mandiocão; e falou sobre os comentários que apontam ter o Judiciário favorecido a sua chapa nas eleições, por conta do seu esposo ser desembargador do Tribunal de Justiça.
– Precisamos começar de tudo um pouco, mas eu já comecei pela Educação e pela Saúde, onde temos ações que não podem esperar. Nós temos a obra, a limpeza da cidade, a folha de pagamento, que ainda não temos certeza de como vai estar, mas as escolas precisam ser imediatamente recuperadas e na Saúde o povo não pode mais esperar por atendimento digno. Eu estou me dispondo a começar trabalhando nessas áreas – afirmou a vice-prefeita, acrescentando que está tranquila em relação a tudo que tem sido dito sobre ela e o esposo nesse processo.

O advogado Leandro Weber
Outro entrevistado foi o advogado Leandro Weber, que ocupou a Procuradoria Geral do município no último mandato de Mandiocão e teve participação importante a frente do departamento jurídico da campanha do ex-prefeito. Para ele, a polêmica envolvendo a candidatura de Mandiocão era esperada.
– Desde o início nós tivemos muita tranquilidade, porque o processo que foi julgado pela Câmara de Vereadores tinha sim nulidades, a Justiça reconheceu isso e estou satisfeito porque nesse caso houve Justiça e o resultado das urnas também fez Justiça ao prefeito José Luiz – destacou o advogado.

Conhecedor da Prefeitura de Rio Bonito, Weber foi questionado sobre as obras paralisadas, convênios que precisam ser analisados, a falta que a transição fará ao novo governo; e questões nevrálgicas e polêmicas como o Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Rio Bonito (Iprevirb); o pagamento do Piso Nacional dos profissionais de Educação, direito que tem sido negado à categoria pela atual gestão; e o que fazer para tirar o município do Cadastro Único de Convênios (CAUC), a malha fina dos municípios. Ele explica que tudo isso precisa ser revisto e acrescenta que quando ao Piso Nacional, “a vice-prefeita Rita de Cássia é uma defensora da Educação e estou muito animado e acredito que será implementado”.

O advogado também comentou as polêmicas ao entorno da candidatura de Mandiocão ao longo da campanha; as suspeitas de favorecimento do Judiciário e tudo que foi dito, segundo Weber, “acabou motivando Mandiocão a participar do pleito”. As prioridades da nova gestão, afirmou o advogado, “é levantar a autoestima da população, retomando eventos, fazer de Rio Bonito um polo de atração comercial e turística e com essas receitas diminuir o desemprego e aplicar melhor os recursos”.

O ex-secretário , Ronen Antunes
Titular de várias pastas entre os anos de 2005 e 2012, sendo, inclusive, o vice da chapa encabeçada por Matheus Neto em 2012, Ronen Antunes também conversou com a nossa reportagem. Ele mostrou otimismo em relação ao que virá nos próximos quatro anos. Ele também se queixou da falta da transição “importante para termos uma ideia do que iremos encontrar”, afirmou que o governo manterá o perfil de realizações e disse que as principais iniciativas do novo governo é levantar como estão os convênios das obras inacabadas e “colocar o básico para funcionar”. Ainda segundo Ronen, uma das primeiras realizações do prefeito é inaugurar o Bloco B do Centro Administrativo da Prefeitura.
– É vontade do prefeito, já no próximo mês de maio, por ocasião do aniversário de Rio Bonito, inaugurar esse prédio e levar para lá boa parte das Secretarias, ficando apenas a Fazenda, por conta de questões logísticas, no Centro da cidade. As obras do Colégio Municipal Dr. Kingston de Souza Mota também serão retomadas e serão concluídas – disse Ronen, destacando que com a redução de alugueis e outros desperdícios é possível equilibrar as contas da administração.

Abaixo a entrevista na íntegra de Rita de Cássia, Leandro Weber e Ronen Antunes.

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

As luzes de emergência seguem acesas em Rio Bonito

Flávio Azevedo
O folclórico prefeito Mandiocão e suas caras e bocas durante a nossa tentativa de entrevistá-lo. 
Agoniado com esse governo horroroso que graças a Deus termina no próximo dia 31 de dezembro e ciente de que a maioria esmagadora dos meus irmãos riobonitenses passa por igual agonia, eu juro que tentei trazer uma declaração relevante do próximo prefeito depois da sua diplomação na tarde dessa segunda-feira (19/12), no Fórum de Rio Bonito. As entrevistas que o antecederam, com a vice-prefeita, Rita de Cássia; com o advogado, Leandro Weber; e com o marqueteiro, Ronen Antunes; foram excelentes e nos trazem alguma esperança. A fala do prefeito, porém, que eu prefiro acreditar ter sido contaminada pela presença dos puxa sacos, foi deprimente e caricata.

Questionado sobre as primeiras ações que buscará implementar logo nos primeiros dias de governo e qual a sensação de assumir o quarto mandato de prefeito, o que o coloca na condição de riobonitense que mais vezes comandou a cidade, Mandiocão permitiu que a sua veia folclórica aflorasse e deixou claro que não é só a oposição que ainda não desceu do palanque. 
– Eu gostaria de saber a sensação daqueles que tanto criticaram Mandiocão, todos aqueles que falaram que Mandiocão não era candidato... Esses que eu quero saber qual é a sensação! Segura, Segura Mandiocão! Fala de Mandiocão, fala! Vocês são fofoqueiros, fofoqueiros, fofoqueiros! Conversa fiada! Vão trabalhar! Vitória é com trabalho, não é com malandragem, não é com fofoca, não é com conversa fiada, não é com mentira e vamos que vamos – disparou o prefeito que se afastou dando pulinhos em direção aos correligionários, que em êxtase acompanhavam a presepada do chefe.

É claro que depois de sair vaiado ao entregar o mandato em 01/01/2013; depois de ter as contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado e pela Câmara de Vereadores; depois de disputar uma eleição onde apesar do favoritismo, os adversários diziam ser ele carta fora do baralho; é natural que o prefeito deseje soltar o grito da garganta. Todavia, não temos tempo para misancene e gracinha! O palanque não existe mais e diante de nós, sociedade e classe política, uma cidade em frangalhos precisa ser reconstruída. Vale destacar que Rio Bonito sucumbiu à irresponsabilidade administrativa de uma gestão que também é muito boa em frases de feito, misancene e ainda consegue aplausos dos puxa sacos.

Pagamentos atrasados, obras inacabadas (algumas condenadas); o mato tomando conta de vários pontos do município; entulho acumulado em todo canto; escolas mais sucateadas que já estavam em 2013; precariedade na Saúde, na Educação, a insegurança que dá medo, Instituto de Previdência atrasando salários de aposentados e pensionistas; pontos turísticos degradados; comércio frio e lojas vazias em plena semana do Natal; universitários apreensivos quanto ao futuro; estradas vicinais e o homem do campo abandonados; tudo isso mostra que não dá para ficar de presepada e precisamos com urgência nos unir com seriedade para reconstruir Rio Bonito.

E não é só isso! O setor esportivo e cultural ainda se movimenta por conta da iniciativa de particulares; os taxistas são muitos e vagas para eles estacionar são poucas; a tarifa do transporte público é exorbitante; a arrecadação do município está em queda, Rio Bonito segue pendurado no Cadastro Único de Convênios (CAUC); as ruas estão esburacadas; os postes apagados; as pendengas com sindicatos dos profissionais de Educação, guardas endemias, agentes comunitários e guardas municipais; estão aí para serem resolvidas; e não é “jogando pra galera”, dando pulinhos e fazendo graça, que esses problemas, que já eram urgentes em 2013, serão resolvidos. Nada contra você Mandiocão, mas chega de oba, oba; chega de comemoração e vamos descer do palanque, porque Rio Bonito tem pressa!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Posto de Saúde de Boa Esperança é outra obra inacabada em Rio Bonito

Flávio Azevedo
Em Boa Esperança, próximo a Cerâmica Presidente, numa rua pouco movimentada e distante das moradias, o governo Solange Almeida iniciou a construção de um posto de Saúde. O orçamento destinado a esse empreendimento é da ordem de R$ 540 mil. Segundo a placa que a nossa reportagem encontrou no local, os trabalhos foram iniciados em 13/05/2014 e deveriam ser entregues em 13/01/2015.

Quase dois anos depois, em 10/12/2016, o comemorado posto de Saúde está literalmente entregue as baratas e faz parte de uma lista de obras inacabadas, algumas até condenadas, que os recursos desapareceram. É importante destacar que em relação a essa obra, sequer pode se culpar a quebradeira do Estado do Rio, porque os recursos são de origem federal. Acompanhe a nossa reportagem.

Moradores do Parque Andréa seguem a espera do "novo Kingston"

Flávio Azevedo
Ao retornar ao comando da Prefeitura Municipal de Rio Bonito, em janeiro de 2017, o prefeito José Luiz Antunes, o Mandiocão (PP) vai encontrar uma velha conhecida: as obras do Colégio Municipal Dr. Kingston de Souza Motta, no Parque Andréa, no 2º Distrito. As obras do "novo Kingston", como eram chamadas no tempo em que ele ainda estava a frente do município, não foram concluídas na sua gestão e a sucessora do seu governo não reuniu competência para dar continuidade ao projeto.

Maior unidade escolar do 2º Distrito, junto do Colégio Estadual Bernardino da Costa Lopes, o Kingston Motta, está obsoleto, as instalações são insalubres; e como a maior parte das unidades escolares de Rio Bonito, o desconforto (muito calor nos dias quentes e muitas goteiras quando chove) é a principal marca da unidade. Essa é mais uma das muitas obras inacabadas que o próximo prefeito terá que dar conta. Esta reportagem é mais uma da série "Sugestões ao Novo Prefeito", que nós estamos implementando nas últimas semanas.

A empreiteira que tocaria essas obras não deu conta de terminar, o contrato entre as partes (Prefeitura e empreiteira) teria clausulas questionáveis (SIC), mas a atual gestão não demonstrou interesse, competência e vontade política de resolver o imbróglio. Moradores do Parque Andréa, localidade que segue recebendo moradores, sobretudo com a política de distribuição de terrenos implementada pela atual gestão, afirmam que se torna cada vez mais urgente construir um "novo kingston" para dar dignidade aos alunos da unidade.

Novo prefeito assumirá Prefeitura de Rio Bonito no buraco

Flávio Azevedo
No último dia 29 de fevereiro, um cabeça d'água atingiu o 2º Distrito de Rio Bonito. Os moradores das localidades enfrentaram alagamentos e estradas vicinais destruídas, entre elas a RJ - 55, que liga Boa Esperança a Rio do Ouro, passando pelo bairro, Nova Cidade, Mato Frio e Rio Vermelho. A força da água levou o pontilhão, destruiu a via e quase 10 meses depois, a rodovia segue interditada. 

Nesse tempo, o governo do Estado não cuidou dessa recuperação; os representantes do município junto ao Estado (Marcos Abrahão e Paulo Melo), também não se movimentaram; e na Prefeitura Municipal, casa comandada por uma política que se anuncia "parceria de todo mundo", nenhum movimento, no sentido de pressionar o governador, foi percebido.

Essa é mais uma realização urgente que será passada ao próximo prefeito, que vai herdar várias outras obras inacabadas, sendo que algumas delas, aí mesmo nesse 2º Distrito, estavam inacabadas quando a atual gestão assumiu a Prefeitura em 2013. "Deixa o homem trabalhar" é o slogan do próximo prefeito. E tudo indica que ele realmente terá muito trabalho pela frente!

Cantora Rafaela Gremião conta como se identificou com o canto lírico

Flávio Azevedo
A Primeira Igreja Batista de Rio Bonito promoveu nesse sábado (17/12), um recital de música dos alunos que fazem aula de canto e piano no curso oferecido pela igreja. Entre os muitos destaques chamou atenção a cantora lírica, Rafaela Gremião, de 19 anos, moradora do Green Valley. 

Ao contrário do que é natural aos jovens de sua idade, que se identificam com ritmos como Funk e Hip Hop, Rafaela se afeiçoou ao canto lírico, um estilo clássico e muito raro. Para alegria dos presentes no recital, ela cantou “Chanson d'Olympia”, da ópera de Jacques Offenbach, canção popularmente conhecida como “Aria da Boneca”.

Terminado o evento, Rafaela conversou com a nossa reportagem. Ela revelou que se está aprimorando para ser uma cantora profissional, explicou que está fazendo um curso de extensão da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), destacou que está aprendendo muito nesse curso, que será concluído em 2018 e disse que cada dia mais tem estudado mais, “porque desejo depois ingressar na graduação de música”. 

Rafaela abordou a questão dos estilos, lembrou que já tentou se adaptar a outros ritmos e afirmou que no lírico é onde ela se sente mais à vontade. Assista a apresentação de Rafaela no fim da entrevista.