segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Prefeitura de Rio Bonito preocupada com as condições da “Fazenda Mega Sena”

Flávio Azevedo 
Os animais estão morrendo de fome, segundo um veterinário.
O secretário municipal de Meio Ambiente de Rio Bonito, Newton de Almeida, convocou a imprensa local na tarde da última quarta-feira (11/12), para anunciar a preocupação do município com a propriedade que ficou conhecida como “Fazenda Mega Sena”. O local pertencia ao falecido Renné Senna, ganhador da Mega Sena, assassinado em 2007, um caso que teve repercussão nacional. A propriedade, segundo o secretário, está abandonada; esse abandono se tornou um problema de Saúde Pública; e a situação do gado, que está sem receber nenhum cuidado veterinário, pode ser qualificada como “maus tratos”, o que é crime.

Além da companhia do staff da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Newton recebeu a imprensa local ao lado do procurador geral do município, Gustavo Lopes; do chefe de Gabinete, Marcelo Benevides; do secretário de Agricultura, Edilberto Medina; e do presidente da Agenda 21, Mauro Paes, que tem fomentado as discussões sobre os impactos negativos que o abandono da “Fazenda Mega Sena” pode representar para Rio Bonito.
– O município está ciente dos problemas que podem representar o abandono daquela propriedade; não estamos inertes em relação a esse assunto; através da Procuradoria Geral do município, nós já fizemos tudo que estava ao nosso alcance, mas chegamos num momento que não podemos fazer mais nada. Já recorremos ao Judiciário, poder que administra a propriedade, recorremos ao Ministério Público (MP) para informar os riscos que o município enfrenta com o abandono da Fazenda, já informamos a situação ao Estado, as Secretarias de Agricultura e Meio Ambiente; e só nos resta, agora, esperar – comentou Newton na abertura da entrevista.

Desdobramento 
O secretário municipal de Meio Ambiente, Newton Almeida, durante a entrevista.
A “Fazenda Mega Sena”, desde o assassinato do lavrador, Renné Senna, está, como todos os bens do falecido, sendo guardado pela Justiça, porque Renata Senna, filha do milionário; e Adriana Almeida, viúva de Renné; travam, na Justiça, uma briga pelo direito integral a herança. Segundo fontes, a Justiça nomeou um administrador para cuidar da propriedade, alimentar e vacinar o gado, mas nos últimos anos essa prestação de serviço não estaria acontecendo.
– A notícia que temos é de que a fazenda está em total estado de abandono. O resultado disso é que o gado está emagrecido, doente e morrendo de fome. Sem o devido cuidado, os animais reproduziram sem o devido acompanhamento veterinário, não houve manejo das áreas de pastagem; e com isso o pasto está todo pisoteado e sem serventia. A “Fazenda Mega Sena”, hoje, é semelhante àquelas fazendas do Nordeste em época de seca – disse o secretário, que durante a entrevista, contava com a orientação de um veterinário.

O secretário acrescentou que os riscos de contaminação do lençol freático, por conta do volume de animais que está morrendo na propriedade é uma possibilidade que preocupa, por conta da proximidade da fazenda com o rio Bacaxá, manancial usado pela CEDAE para abastecer o município de Rio Bonito. Outra possibilidade é a proliferação de doenças, por exemplo, a aftosa, que pode contaminar o gado de todo município de Rio Bonito e região. “O impacto não é unicamente ambiental, mas econômico e social, porque a Agricultura e a Saúde Pública serão diretamente atingidas”, alertou Newton.

Sobre uma ação mais incisiva da Prefeitura Municipal na solução do assunto, o procurador geral, Gustavo Lopes, esclareceu que as coisas não são tão simples como podem parecer.
– Não se trata de um terreno baldio ou uma casa sem dono! Estamos falando de uma propriedade de grandes dimensões; onde estão cerca de 1,4 mil cabeças de gado, e o mais sério: a propriedade tem um administrador, que é a própria Justiça – frisou Lopes, acrescentando que o Judiciário e o Ministério Público já foram procurados e ficou definido que a Justiça pediria uma inspeção oficial que ateste as condições denunciadas.

Abandono e descaso, palavras mais apropriadas para o que está acontecendo na "Fazenda Mega Sena".
Outro ponto apontado pelo procurador é a finalidade da ação, que não é natural a uma Prefeitura Municipal. Para Lopes, a justificativa dos gastos que não serão poucos, junto aos órgãos fiscalizadores como o Tribunal de Contas do Estado (TCE), por exemplo, seria um problema.
– Quantos veículos seriam necessários para nós transportarmos 1,4 mil animais? Nós temos recursos para isso? E nós levaríamos esse gado para onde? Tudo isso precisa ser pensado! A realidade é que essa propriedade conta com um administrador, nomeado pela Justiça, que tem recursos para cuidar da gestão da fazenda. Será que é justo usarmos recursos do município para cuidar disso? Como o TCE entenderia esse gasto? – questiona o procurador.

Um comentário:

  1. Se a fazenda esta abandonada, que cobrem da justiça local, pois houve nomeação por ela de um administrador!

    ResponderExcluir