terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Prefeitura de Rio Bonito sem luz por falta de pagamento

Texto: Flávio Azevedo
Charge: James Azevedo

Uma ação que não aconteceu pela primeira vez se repetiu nessa segunda-feira (30/01). A Prefeitura de Rio Bonito teve a sua energia cortada pela Ampla por falta de pagamento. Além da sede do governo, a empresa também cortou o fornecimento das secretarias e do Centro Administrativo Municipal, localizado na Praça Cruzeiro, na antiga Nacional Diesel.

Segundo a Ampla, a dívida da prefeitura, que está perto de completar um ano, se aproxima aos R$ 500 mil. Em nota, a empresa informou que “somente tomou a decisão de cortar a energia da Prefeitura de Rio Bonito após tentar negociar o débito em várias oportunidades”.

A concessionária informou ainda que o fornecimento de luz para serviços essenciais, como hospitais, escolas, Guarda Municipal, Corpo de Bombeiros e vias públicas, não foi interrompido.

A Prefeitura não se pronunciou sobre o fato e a energia já foi restabelecida.

Não é a primeira vez

A novela que tem como personagens principais, a Prefeitura Municipal de Rio Bonito e a Ampla (fornecedora de energia elétrica), já havia acontecido no dia 18 de setembro de 2009. Tudo começou por volta das 9h, quando funcionários da Ampla cortaram o fornecimento de energia para o prédio da Prefeitura. A empresa justificou a ação, alegando inadimplência do cliente. A Prefeitura não teria efetuado o pagamento de nenhuma conta daquele ano.

À época, a Procuradoria Geral do Município afirmou existir uma controvérsia entre as partes, porque o município entendia que os valores cobrados pela fornecedora de energia precisavam ser revistos. De posse dessa liminar, um dos componentes da Procuradoria, o advogado Aroldo Freire e o chefe de Gabinete, Edelson Antunes, exigiam o restabelecimento do serviço. Como a resposta foi negativa, a polícia foi chamada. O advogado afirmou que “existe a possibilidade da Ampla ser multada, porque desrespeitou uma ordem judicial. Além disso, os profissionais da empresa não atenderam as ordens da autoridade policial quando se recusaram a religar a energia”.

Em frente ao prédio da Prefeitura, o então secretário de Fazenda, Marcelo Lessa, apresentou a nossa reportagem, a liminar concedida pelo juiz Vitor Moreira Lima, a favor do município, no dia 29 de novembro, de 2007. “Não existe nenhuma liminar que derrube essa. A Ampla já recorreu três vezes, mas sempre o seu argumento foi indeferido. E, qualquer nova decisão sobre esse assunto seria informada a Prefeitura, mas isso não aconteceu”, argumentou o secretário.

Enquanto a discussão acontecia, centenas de pessoas se acotovelavam pelas calçadas próximas ao local. Todos acompanhavam atentamente, a confusão que começou a acontecer em frente ao prédio da Prefeitura, entre funcionários da Ampla, representantes do governo municipal e policiais militares. Para evitar esse tipo de exposição, os policiais convidaram as partes para discutirem o caso na delegacia (119ª DP).

A energia voltou a ser ligada por volta das 12h, mas um advogado da Ampla esteve na 119ª DP, e ordenou a equipe de corte que o fornecimento de energia elétrica para a Prefeitura fosse interrompido novamente, o que aconteceu por volta das 13h. Cumprindo ordens da administração municipal, homens da Defesa Civil e da Guarda Municipal cercaram o veículo da Ampla com duas viaturas. Essa ação fez com que o trânsito da Rua Monsenhor Antonio de Souza Gens (rua de subida da Praça Fonseca Portela) ficasse obstruído durante toda tarde. Enquanto isso a Prefeitura permanecia às escuras. O expediente, que normalmente é encerrado às 19h, terminou às 17h30min. A energia só foi restabelecida por volta das 20h30min.

Caso antigo

Na ocasião a nossa reportagem já apurou ser péssima a relação entre a PMRB e a Ampla. A novela que se arrastava há cerca de dois anos. Em 2007, a empresa já havia tentado interromper o fornecimento de energia para a sede da Prefeitura. Na tentativa de impedir a ação dos profissionais da empresa, o chefe de Gabinete Edelson Antunes, tentou derrubar a escada onde um dos funcionários da empresa subia para efetuar o corte.

Nome da nova escola causa desavença entre Executivo e Legislativo

Flávio Azevedo

Os nossos políticos ao invés de estarem planejando transformar a escola da Caixa D’Água numa referência em Educação, programando para esse espaço, inclusive, no turno da noite e fins de semana, cursos profissionalizantes, estão brigando por conta do nome que darão a unidade.

Explicando o que está havendo: o vereador Carlos André Barreto de Pina, o Maninho (PPS), deu o nome de Maurício Kopke (antigo e respeitado professor da nossa cidade) a essa unidade escolar (isso já foi votado e aprovado). Entretanto, existe um trabalho de bastidores para dois outros nomes: Clara Luiza Moraes e Maurício Hanna Badr.

Penso que a homenagem é justa nos três casos, mas de acordo com o Lei Orgânica do Município, quem dá nome aos prédios públicos é o Legislativo, logo, o decente e correto é que prevaleça a indicação do vereador Maninho (foto), que é integrante da base governista no parlamento municipal.

Em tempo: eu não tenho um bom trânsito com o vereador Maninho e acho que ele é um zero a esquerda. Contudo, ele é parlamentar e está dentro das suas prerrogativas. Por isso, que seja respeitada a sua indicação!

domingo, 29 de janeiro de 2012

Dia do Jornalista - 29 de janeiro


Certamente poucos prestam atenção na figura que existe por trás dos noticiários. São informações no rádio, TV, revistas, jornais, sites, Blogs e, no meu caso, até no Facebook. Entretanto, nem sempre paramos para pensar no “JORNALISTA”, o profissional que está por trás daquele texto que informa você.

Pelos amigos, nós somos chamados de “poetas do cotidiano”. Já pelos inimigos, nós somos classificados como "urubus", "inconvenientes", "curiosos", "fofoqueiros", entre outros termos. Aos amigos, obrigado pelo carinho... Aos inimigos, uma triste notícia: “amo a minha profissão, e continuarei reportando fatos e opinando sobre eles”.

Um abraço a todos os colegas jornalistas pelo dia 29 de janeiro, o DIA DO JORNALISTA!

By Flávio Azevedo.

Padaria assaltada na tarde do último sábado, em Rio Bonito

Flávio Azevedo

Depois da onda de acidentes fatais em Rio Bonito, a cidade agora está vivendo uma rotina de assaltos. A mais nova vítima da bandidagem é a padaria Mister Pão, da Bela Vista, em Rio Bonito, que foi assaltada ontem (28/01), por volta das 17h. Segundo fontes, os bandidos eram homens bem apeçoados, trajavam ternos bem cortados e chegaram ao estabelecimento de carro. Concluído o assalto, que não foi uma ação demorada, os marginais sairam calmamente em direção ao Centro da cidade. Os marginais levaram cerca de R$ 800,00 do caixa, porque o proprietário havia retirado a féria do dia momentos antes do assalto.

Onda assaltos preocupa

Esse é o terceiro assalto que nós temos notícias em menos de uma semana. Na última terça-feira (24), uma quadrilha, entre eles uma mulher, assaltaram, por vota das 16h30min, a joalheria Bela Jóia. A loja fica localizada na Rua Dr. Francisco de Souza (rua do antigo Império da Banha), no Centro de Rio Bonito. Os bandidos entraram, apresentaram as armas e mandaram que as jóias fossem colocadas em mochilas. A ação foi rápida. Feito o assalto, eles seguiram calmamente em direção a Rua XV de Novembro. O prejuízo está calculado em cerca de R$ 70 mil. O caso foi registrado na 119ª DP.

Na noite da mesma terça-feira, o Mercado Opção, na Rua Dr. Francisco de Souza, em frente ao Mercado Municipal, também foi vítima de ladrões. Os bandidos teriam levado R$ 600,00 e mercadorias. Existe a suspeita de que o ladrão tenha entrado no estabelecimento no fim do expediente e se escondido no interior da loja para agir depois do encerramento das atividades do mercado.

Residências também foram roubadas durante a última semana no Centro de Rio Bonito. Segundo fontes, uma casa na Rua Lauro Silva Araújo Júnior (continuação da Rua da Conceição), no Centro, foi alvo da ação de bandidos. Também recebemos a informação que a Escola Municipal Jaudet Curi, no Rio Vermelho, foi novamente (não é a primeira vez que a escola é vítima de furto) arrombada por marginais. Os bandidos teriam levado os equipamentos de áudio e vídeo da unidade.

Tiroteio na Serra

Moradores da Rua Governador Miguel Couto Filho (antigo Loteamento Santa Terezinha ou Recanto da Serra), estão assustados com o tiroteio que aconteceu na noite do último dia 17 de janeiro, por volta das 23h30min, no fim do referido logradouro, próximo a cachoeira que separa a Rua Governador Miguel Couto Filho e a Trav. Eugênio Cândido do Nascimento, na Serra do Sambê, em Rio Bonito.

Segundo fontes, o tiroteio durou cerca de 15 minutos e os tiros teriam sido trocados por traficantes da localidade que estariam brigando pelo comando da “boca de fumo” local. “Ninguém conseguiu dormir mais a noite preocupado com o que poderia acontecer”, disse uma moradora que não quer se identificar.
– Isso aqui era um lugar tão tranquilo quando vim morar aqui. Hoje, porém, infelizmente, não posso dizer o mesmo, porque já estamos vendo tiroteio entre bandidos na nossa porta – lamentou outro morador, dizendo ter medo de se identificar porque pode sofrer ameaças.

Segundo outro morador que pediu para não ser identificado, no mês passado, no dia de Natal, uma pessoa ligada ao tráfico teria ido ao portão de um morador do bairro para cobrar satisfações de uma entrevista que ele teria dado a um jornal da cidade. “O problema é que o homem, coitado, não tinha dito nada. Foram moradores de outras ruas que conversaram com o jornal – eu não sei se foi o senhor – mas colocaram a culpa nele e foram cobrar”, disse cabreiro o morador.

Segundo outra fonte, a guerra deflagrada pelo comando do tráfico de drogas da Serra do Sambê teria como cabeças, o atual chefe do “movimento” e um antigo dono da referida boca, que estaria preso, mas recentemente foi posto em liberdade.

sábado, 28 de janeiro de 2012

Moradores do 3º Distrito insatisfeitos com a CEDAE

Flávio Azevedo

Reunidos na sede da Associação de Moradores do Basílio (AMOBA) na noite do último dia 13 de janeiro, moradores do 3º Distrito, que também inclui as localidades de Parque da Luz, Parque das Acácias, Parque Indiano, Flor dos Cambucás, Braçanã e adjacências, debateram os “péssimos” serviços prestados aos moradores locais pela Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) e outros assuntos. Segundo o presidente da AMOBA, Valderli Caetano, “além de termos um fornecimento de água precário, nós soubemos que a água de Braçanã será desviada para abastecer Tanguá”, reclamou o líder comunitário.

Durante o encontro, a notícia de que a Câmara de Vereadores aprovou por unanimidade a concessão das águas de Rio Bonito para a Cedae gerou indignação. “Nós estamos realmente abandonados! Como que fazem uma coisa dessas sem uma consulta popular? Não seria o caso de fazer uma audiência pública para saber a nossa opinião?”, reclamaram os presentes.

Para o líder comunitário Valderli Caetano, “essa história de que o 3º Distrito será abastecido com a água do Centro da cidade não pode ser levada a sério”. De acordo com ele, “sendo abastecidas com a água de Braçanã, as nossas caixas já ficam secas, imagina com água vinda de Rio Bonito. Nós sabemos que constantemente falta água no Centro da cidade, nos bairros próximos como Mangueirinha, Cidade Nova, Monteiro Lobato, Praça Cruzeiro e até no Green Valley”, criticou.

Morador de Braçanã há mais de 30 anos, o proprietário rural Gutenberg Miranda, de 77 anos disse que a água está acabando. “Estou ouvindo comentários de que a água de Braçanã será canalizada para Tanguá. Mas vão levar o que se os nossos mananciais estão secando? Por causa da ação predatória do homem, os impactos ambientais já são nossos velhos conhecidos, se ficarmos sem água, porém, nós sentiremos os impactos econômicos. Eu confesso que eu não sei o que é pior”, lamentou o sitiante.

Outros problemas

Problemas com o Correio, “que não entrega correspondências por problemas com o endereço”; o Posto de Saúde de Braçanã, “sem funcionar há cerca de três anos”; terreno baldio no Parque da Luz, “que está virando uma lixeira”; estradas sem manutenção; urbanização do Salto de Braçanã, “promessa que não sai do papel”; e a necessidade de uma nova Estação de Tratamento de Água (ETA), são reivindicações que também foram apresentadas. A subsistência, porém, é o que preocupa os determinados moradores de Braçanã.

– Um dos problemas de Braçanã são as carvoarias. Entretanto, os moradores que ainda insistem em morar por lá precisam sobreviver. E, para que não escolham viver do carvão, decidimos fazer um curso de beneficiamento de banana frita e banana passa. O projeto, porém, foi embargado por uma técnica da Emater, sob o argumento de que as instalações estavam inadequadas. Fomos obrigados a parar – denunciou o presidente da Associação dos Produtores Rurais de Braçanã (Apronã), Eduardo Marmo.

Guarda Municipal se pronuncia sobre agressão a munícipe

Texto: Flávio Azevedo
Foto: Newton Almeida

A última sexta-feira (27/01) é mais um daqueles dias que ficarão na história negativa de Rio Bonito. As imagens (foto e filmagem) de um guarda municipal com o uniforme sujo de sangue arrastando um jovem algemado deve ser uma das que mais circularam na Internet e nas Redes Socais nas últimas 24horas. A cena gerou indignação e revolta aos internautas e entre as pessoas que acompanharam o entrevero entre um guarda e um funcionário de uma empresa de Internet.

De acordo com o diretor da Guarda Municipal de Rio Bonito (GMRB), o policial militar licenciado, Márcio Soares, houve uma desavença entre o Guarda Nepomuceno, e o funcionário de uma empresa de Internet, Eden Paixão (24 anos). Segundo ele, o entrevero teve início nos cones que impedem o trânsito na Av. Castelo Branco (rua dos bancos), no lado da Praça Fonseca Portela. “O nosso guarda pediu que o rapaz não estacionasse naquele local. Ele puxou o carro mais para frente, mas ainda em local indevido. Depois de nova abordagem, o guarda teria sido desacatado”, contou Soares.

Segundo fontes, já existiria uma rusga antiga entre ambos. O diretor da GM não confirmou essa versão, mas também não negou em entrevista que concedeu por telefone na tarde de hoje (28/01). “Nós lamentamos profundamente o que aconteceu, repudiamos qualquer tipo de violência e o caso foi registrado na 119ª DP”. Soares também informou que Nepomuceno está afastado das ruas e além da investigação que será feita pela Polícia Civil, também haverá um processo administrativo para apurar a sua ação.

Entrou de gaiato

Preocupado com a repercussão do fato, o guarda municipal Ubiratan Vargas (ao fundo de camisa branca) disse em entrevista na tarde de hoje, que está sendo acusado “injustamente de agressor”. Ele revelou que estava em outro local e apenas deu apoio ao colega de farda quando viu o tumulto. “Eu não sei o que provocou a desavença. O colega diz que ele jogou o carro em cima dele; o rapaz, que já estava sangrando, disse que levou uma estocada do colega, mas eu só cheguei para ajudar. Eu não posso dizer mais nada, porque eu não vi o que aconteceu”, contou Vargas.
– Infelizmente, eu acabei me envolvendo, mas apenas para apoiar o colega. Eu nem sei direito o que aconteceu. Só vi o rapaz correndo, o guarda atrás dele e a população atrás do guarda. O problema é que como eu apareço nas fotos e filmagens, muitos estão depositando a agressão na minha conta. Eu tenho oito anos de serviços prestados à Guarda Municipal, não tenho histórico de violência no meu histórico e estou, inclusive, muito sentido com o que houve com o rapaz, que é uma pessoa que conheço – declarou Vargas.

Segundo Vargas, ele tem recebido muitos telefonemas de amigos e familiares que estão preocupados com ele. “Muita gente me ligando perguntando o que eu fiz, o que deu na minha cabeça, querendo saber o que aconteceu e isso me preocupa, porque o meu histórico é de bons serviços. Eu já ajudei recuperar carro roubado; e outra vez eu ajudei a prender um cidadão que colocava “chupa cabra” nos caixas eletrônicos dos bancos”, ponderou Vargas, para quem esse foi um caso isolado e não representa a postura de todos os guardas.

A nossa reportagem ainda não conseguiu fazer contato com Eden ou com Nepomuceno para reportar aos nossos leitores a opinião deles sobre o ocorrido.

Reflexão

Na verdade, não me preocupa saber quem tem razão, porque a nossa reflexão não específicamente sobre esse fato, mas sobre um conjunto de desmandos que há anos acontecem em nossa cidade sem que ninguém tome providências. Esse não é o primeiro fato que acontece entre guardas e munícipes (e a culpa sempre acaba sendo de ambos). Mas continuo acreditando que Rio Bonito precisa de um gestor com perfil de síndico (eu sei que isso não é fácil, mas é o que precisamos). Ou seja, alguém que se preocupa com irregularidades menores, fatos que parecem simples e corriqueiros, mas que na sua essência servem de base para corrigir irregularidades maiores e episódios desagradáveis.

A Guarda Municipal de Rio Bonito precisa de uma estrutura hierárquica, com funções específicas, como acontece com a polícia. A truculência, infelizmente, em alguns momentos se faz necessária. MAS A MAIOR PARTE DO TEMPO, UMA GUARDA MUNICIPAL PRECISA ATUAR NA PREVENÇÃO. PRECISA TER UMA POSTURA PEDAGÓGICA. Em nossa cidade, porém, isso significa “tirar leite de pedra”, PORQUE NÓS RIOBONITENSES SOMOS CARENTES DE EDUCAÇÃO, RESPEITO E BOM SENSO.

Para chegar a essas e outras conclusões, não precisamos ouvir duas, três ou 15 partes. Basta analisar os acontecimentos dessa natureza que aconteceram na cidade nos seus últimos 50 anos. Não descartamos a possibilidade de que tenha acontecido o desacato, que é inadimissível; mas também é flagrante a truculência do guarda, ato que também é inadimissível.

Concluindo, para agredidos e agressores, o que temos a dizer é que GENTILEZA GERA GENTILEZA, o que certamente faltou em ambas as partes! Truculência de um... Desacato do outro... Simplesmente retratam uma flagrante realidade do nosso país: “o respeito ao ser humano tem passado distante das nossas relações”. Para comprovarmos isso, basta lermos as postagens nas redes sociais sobre o assunto!

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Mais um episódio de truculência mostra o despreparo da Guarda Municipal de Rio Bonito

Texto: Flávio Azevedo
Fotos: Newton Almeida

Mais um caso de truculência envolvendo um munícipe e integrantes da Guarda Municipal de Rio Bonito figura na mídia local. Tomo conhecimento do fato através de relatos de quem assistiu as tristes cenas. O entrevero aconteceu na Av. Castelo Branco (rua dos bancos), na tarde desta sexta-feira (27/01). Os guardas Nepomuceno e Vargas, que aparecem nas fotos, segundo relatos, teriam agredido o técnico de informática, Eden Paixão, de 24 anos. Depois da lamentável história que aconteceu no dia 22 setembro de 2011, envolvendo a nossa estimada professora Nazareth Melo e o próprio diretor da Guarda, as minhas reflexões não mudaram e escrevo sobre o assunto, praticamente a mesma coisa.

Em setembro, eu escrevi que Rio Bonito precisa de um gestor com perfil de síndico. Ou seja, aquele cara que se preocupa com irregularidades menores, fatos que parecem ser simples e corriqueiros, mas que na sua essência servem de base para corrigir irregularidades maiores e episódios desagradáveis. Algumas pessoas não gostaram... Outras concordaram... Mas eis que surge uma nova história, porque o síndico fez ouvido de mercador.

Naquela oportunidade, eu escrevi que ser um Guarda Municipal, Patrimonial ou o raio que o parta, não é o mesmo que ser Policial Militar ou Civil. Entretanto, aqueles que nomeiam essas pessoas e gerenciam o município pensam que é. Na verdade, a intolerância domina a nossa sociedade. A truculência é uma das marcas da sociedade brasileira, logo, é muito natural que o cidadão que ocupa determinados cargos – seja gari, médico, astronauta, jornalista, catador, político ou guarda municipal – leve consigo essa tendência.

Já escrevi isso e volto a repetir: “a Guarda Municipal de Rio Bonito precisa de uma estrutura hierárquica, com funções específicas, como acontece com a polícia. A truculência, infelizmente, em alguns momentos se faz necessária. Mas a maior parte do tempo, uma Guarda Municipal precisa atuar na prevenção. Precisa ter uma postura pedagógica. Em Rio Bonito, porém, isso significa “tirar leite de pedra”, porque nós riobonitenses somos carentes de educação, respeito e bom senso.

Penso que esse novo caso desagradável envolvendo um cidadão e um guarda municipal poderia servir de ponto de partida para uma discussão ampla e apartidária sobre o assunto. Por exemplo: fica muito nítido que Rio Bonito precisa de uma Secretaria Municipal de Segurança Pública ou Ordem Pública. Mas por que não tem? Seria porque a cidade é um exemplo de organização? Seria Rio Bonito uma Noruega, onde os problemas não acontecem? Ou o verdadeiro motivo é o fato de nós não querermos ser “importunados” por “ridículos” guardas e/ou fiscais, quando estivermos cometendo pequenas e “inofensivas” irregularidades?

Talvez, porque se tornaria mais difícil para os “políticos de porta de delegacia”, conseguir abafar prisões e histórias que deveriam ser apuradas e corrigidas. Geralmente isso acontece em troca de voto. A falta de respeito com o semelhante, coisa que é muito natural em Rio Bonito e cidades de menor porte como a nossa, são deformidades sociais que só poderão ser corrigidas com Educação e conscientização. Mas existe alguma campanha educativa e/ou de conscientização em nosso município?

Defendemos a ideia de que essas iniciativas devem nascer da Prefeitura e seus órgãos, mas as entidades representativas de classe bem que poderiam cobrar e também fazer a sua parte. Enquanto isso não acontecer, o cidadão continuará sendo desrespeitado, quem está no poder continuará sendo olhado com desconfiança e aqueles que demonstram civilidade no seu dia-a-dia continuará sendo tratado como um alienígena!

Se você não sabe o que aconteceu, leia a historia narrada pelo nosso leitor Newton Almeida. Ele postou o texto e fotos no seu Blog.

Guarda Municipal de Rio Bonito Agride Trabalhador

Eu (Newton Almeida) fui ao centro de Rio Bonito para resolver problemas inadiáveis e ao conversar com seu Francisco da Prainha (vulgo Chico Sapo) percebi que um Guarda Municipal discutia com um jovem a uns dez metros de distância. O Guarda foi andando na direção do jovem que fazia gestos com as mãos de quem não entendia o que se passava.

O Guarda Municipal, da Prefeitura de Rio Bonito, pegou o cassetete e desferiu um golpe que abriu um corte na cabeça do trabalhador, que continuou andando para longe do guarda e não esboçava qualquer reação violenta. Pelo contrário, tentava se desvencilhar da ira do Guarda Municipal. O Guarda perseguiu o trabalhador, que estava com uniforme de uma empresa de informática, e com auxílio de outro Guarda Municipal jogou o rapaz ao chão e algemaram-no. Isso bem na frente da Agência da Receita Federal, na rua dos bancos.

Os guardas municipais foram arrastando o trabalhador pela rua em direção à Praça Fonseca Portela, sob gritos de populares que ficaram insatisfeitos com a violência desproporcional. Os dois Guardas Municipais levaram o trabalhador para dentro da Prefeitura, e mediante a insistência dos populares acabaram tirando as algemas que humilhavam mais ainda aquele jovem trabalhador. O Guarda Municipal agressor dizia que o rapaz havia ameaçado de bater nele e de tentar atropelá-lo, na semana passada. Ao que o rapaz negava insistentemente e dizia que não havia feito nada ao Guarda Municipal.

O rapaz foi conduzido, dentro de viatura da Guarda Municipal, para o Hospital Regional Darcy Vargas, para prestarem atendimento médico ao trabalhador agredido. Uma multidão se formou em torno da viatura e muitos gritavam que aquilo era um ato de racismo. Eu conversei com um policial militar que me disse que todos seriam conduzidos à delegacia para esclarecimentos.

Caso algum leitor(a) tenha mais detalhes sobre o ocorrido, eu estou ao inteiro dispor para divulgar, aqui nesse humilde espaço de mídia (http://limpezariomeriti.blogspot.com/), assim como a Guarda Municipal de Rio Bonito, ou a Prefeitura. Sei que todos nós cometemos erros e meu objetivo não é macular a imagem de ninguém, apenas retratei uma cena de violência que presenciei.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Capotamento na BR – 101 deixa duas pessoas feridas

Flávio Azevedo

A população de Rio Bonito ainda não estava refeita da notícia do atropelamento de duas funcionárias do Hospital Colônia Rio Bonito (HCRB), ocorrido, hoje (24/01), nas primeiras horas da manhã, quando ocorreu outro acidente, também na BR – 101. A colisão aconteceu entre o Fiat Pálio, placa DHO 1241, de Maricá/RJ e uma carreta (de caçamba) de Bom Jesus/RJ, placa LPR 2991, que seguiam em sentido Silva Jardim.

O acidente aconteceu embaixo da passarela do Parque Indiano, no 3º Distrito de Rio Bonito. Duas mulheres que viajavam no carro ficaram feridas e foram levadas por viaturas da Autopista Fluminense e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), para o Hospital Regional Darcy Vargas (HRDV).

De acordo com o motorista da carreta, que estava no local aguardando a perícia, a motorista do Pálio foi fechada por um carro que saiu inesperadamente da pista da direita para esquerda, para acessar o retorno. “Acho que ela se assustou com o movimento do outro carro, bateu no meu pára-choque, perdeu a direção, bateu na mureta e capotou. O Pálio capotou por vários metros, arrebentou a tela de proteção da pista e só parou na pista de descida”, narrou o motorista.

Ainda segundo o motorista, a carreta estava vazia porque estava indo para Barra de São João, 2º Distrito de Casimiro de Abreu, onde pegaria um carregamento de aréola que seria transportada para São Gonçalo.

O Fiat Pálio ficou muito danificado e as duas ocupantes foram socorridas no HRDV.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Mais uma da CEDAE em Rio Bonito!

Flávio Azevedo

E a Companhia Estadual de Águas e Esgostos (CEDAE) continua aprontando! Na serra do Sambê, segundo o nosso leitor Márcio Peclat, a tubulação da referida estatal, que passa por dentro do sítio de propriedade da sua família, rompeu. “O desperdício de água está acontecendo em grandes proporções”. Ainda de acordo com ele, “manutenção da tubulação não existe e água está literalmente indo pelo ralo”.

Enquanto isso, em vários bairros da cidade, como o Conjunto Monteiro Lobato, por exemplo, a água é escassa. Aliás, até em determinados pontos da Serra do Sambê falta o produto!

Alô CEDAE!

Reflexão

Um dos problemas de Rio Bonito é que a cidade cresce, mas não desenvolve! Quando isso acontece, apenas os impactos negativos são percebidos. Assaltos, acidentes de trânsito, desordem urbana, domínio das drogas, tiroteio entre facções rivais e falência da Segurança Pública. Além disso, também vemos jovens ostentando armas de fogo nos bairros do município, prostituição sem controle, ilegalidades empurradas para baixo do tapete em nome de velhas amizades e por aí afora!

Já ensino profissionalizante, qualificação profissional, emprego, geração de renda, iniciativas voltadas ao Esporte, Cultura, Educação, Transporte, Habitação, Agricultura e Turismo, que são investimentos que impulsionam o desenvolvimento e o ordenamento do município, não são percebidos. Aliás, quando acontece são muito tímidos!

O que fazer? Sinceramente, eu não sou especialista na matéria para mostrar uma solução (dou palpites), mas de uma coisa eu tenho certeza: não é trocando o voto por R$ 50,00 que nós conseguiremos mudar esse cenário!

Mais um acidente! E... Não tem Ortopedista!

Flávio Azevedo

O setor de Ortopedia em Rio Bonito continua sendo um problema para os munícipes, sobretudo quando o caso envolve atendimento emergencial. Ontem (22/10) aconteceu de novo! Uma pessoa (Carlos Alberto, um motoboy também conhecido como Galo) sofreu um acidente de moto na BR – 101 por volta das 13h, no trecho que margeia a localidade da Mangueira (Rio do Ouro/RB). Ele foi socorrido pela viatura da Autopista Fluminense, levado ao Hospital Regional Darcy Vargas (HRDV), que por não contar com um médico ORTOPEDISTA, não pode receber o acidentado.

A viatura seguiu para São Gonçalo, para o Hospital Estadual Alberto Torres, onde ocorreu nova luta para que atendessem o motoboy. O atendimento só foi concretizado, segundo fontes, por interferência da ex-prefeita Solange Almeida. Aqui vale uma reflexão: se não havia médico ou vaga, como que quando o político entra em cena (seja lá que santo for!), a vaga e o médico aparecem?

Segundo informações de pessoas próximas a Carlos Alberto, ele foi submetido a uma cirurgia na perna fraturada, não houve intercorrências durante o procedimento e ele está se recuperando bem.

É sempre a mesma história!

Se alguém está indignado com essa notícia, aconselho que transforme a sua indignaçao em ação, porque a história não é recente. Aliás, durante os 15 anos que eu trabalhei como técnico de enfermagem (não atuo na profissão desde 2009), o setor de Ortopedia, ao lado da Neurologia, já eram os mais problemáticos da Saúde em nossa cidade e em todo o país.

O problema é que, talvez, por desconhecimento de causa, as pessoas criminalizam os médicos plantonistas (que não são ortopedistas) e a intituição (HRDV) como se o paciente não tivesse sido acolhido por negligência. Pode até parecer, mas não é bem assim. O caso é muito mais sério. Explicar o motivo de não atender é uma conversa comprida e cheia de termos juridicos que prefiro deixar para uma outra hora.

Ouso dizer que para esse problema que nos aflige ser solucionado nós precisávamos de uma representação política mais importante e, sobretudo, pressão da sociedade. Todavia, nós estamos mais preocupados em conhecer a Luisa, que acabou de chegar do Canadá.

Vale lembrar que o fato de Rio Bonito ser cortado por duas rodovias importantes (RJ – 124 e BR – 101), já deveria ter sido motivo para que as nossas autoridaes deixassem de lado as picuinhas partidárias e se debruçassem sobre essa questão. Não para fazer política, mas para acabar com esse desespero quando alguém precisa de um atendimento ortopédico.

Além disso, nos fins de semana, o volume de carros aumenta nas respectivas estradas. Também não é segredo que, movidos a drogas lícitas e ilícitas, o volume de jovens se acidentando dentro da cidade cresce assustadoramente. Bem, se os investimentos em prevenção não acontecem, resta remediar, o que também não ocorre.

Será que vamos ficar esperando o filho de alguém influente e importante morrer para que as medidas sejam tomadas? Por que tem que ser assim? Fica então a pergunta: até quando? Por que será que entra governo, sai governo e o cenário não muda? Em 2013... Será diferente? Será...?

Outra questão

A Ortopedia não é um serviço médico oferecido pela UPA, seja em Rio Bonito ou em Bangu. No HRDV existe serviço de Ortopedia, mas internamente. A minha reflexão, porém, cobra ação das autoridades para que nós tenhamos Ortopedia no Plantão diário, como já acontece com Clínico Geral, Cirurgião e outras especialidades. Mas como será o financiamento disso?

Por outro lado, os ortopedistas, assim como os neurologistas, são espécimes em extinção. É difícil encontrá-los! Como a demanda é grande, a maior parte prefere atuar no consultório particular, que é muito mais rentável!

É uma boa discussão!

Atenção: a imagem utilizada é ilustrativa. Não é do acidente mencionado no texto.

ESCLARECIMENTO em 24/01/2012: feito contato com a Ouvidoria do Hospital Regional Darcy Vargas sobre a falta de atendimento ao acidentado Carlos Alberto, no útimo domingo (22/01), recebo a informação de que o paciente em questão não foi RECUSADO. “O que aconteceu foi que depois de uma avaliação conjunta entre o médico plantonista e o médico da unidade móvel, eles concordaram que o paciente deveria ser atendido numa unidade que disponibilizasse de mais recursos”.

Ainda segundo o HRDV, dada a gravidade do caso, além de um Ortopedista, também seria necessária a presença de um Angiologista, porque a circulação do paciente estava prejudicada. Nesses casos, segundo a direção do HRDV, a referência é São Gonçalo, para onde ele foi encaminhado sob os cuidados do médico da Autopista Fluminense.

sábado, 21 de janeiro de 2012

Outros vão morrer! Até quando seremos coniventes?

Flávio Azevedo - Reflexões

No dia 21 de outubro de 2011 eu escrevi um artigo exatamente com esse título: “OUTROS VÃO MORRER”. À época, o que motivou o texto foi o assassinato de um jovem na Serra do Sambê. O crime aconteceu dois dias antes. Bem antes disso, no dia quatro de janeiro de 2009, durante a solenidade de posse dos conselheiros tutelares de Rio Bonito, o padre Eduardo Braga, presente ao evento, ao ser convidado para fazer uso da palavra, aproveitou a ocasião e fez comentários para os conselheiros, para as autoridades e principalmente para as famílias.

Durante a sua fala, o padre Eduardo também abordou os inúmeros casos de acidentes de trânsito envolvendo jovens e adolescentes da cidade.
– Eu quero comentar outras coisas que acontecem no município, por exemplo, o número de acidentes com adolescentes. Isso é algo que deve ser pensado, porque todo fim de semana nós somos chamados para ir ao Hospital Regional Darcy Vargas ou ao cemitério – lamentou o pároco, frisando que essa situação deveria ser pensada e debatida com frequência.

Pouco mais de um ano depois, em abril de 2010, eu escrevi um artigo sobre um pitoresco e consentido evento chamado “Churralcool”. No site de relacionamentos Orkut, as comunidades dos tais eventos são povoadas por menores de idade. De acordo com os organizadores do “Churralcool” de Rio Bonito, a ideia surgiu entre amigos e “veio para tirar o tédio da cidade”.

À época, alguém escreveu que o primeiro “Churralcool” contou com a participação de 130 pessoas. O segundo, porém, foi muito mais legal, “pois os 300 participantes se deleitaram com 23 caixas de cerveja”. As caixas das bebidas foram fotografadas e postadas no Orkut(foto). Os organizadores prometiam a terceira edição do evento, diziam assim: “é galerinha, o próximo vem aí... A minha casa vai ser pequena. Vamos para o clube!”.

Dois anos depois, eu não sei em que edição está o tal “Churralcool”, mas confesso que me surpreende a rejeição que os discursos do padre Eduardo provocam, sobretudo entre aqueles que se dizem católicos. Em 2009, depois que a matéria com os apelos do padre circulou, não foram poucos os adultos que eu ouvi criticando pároco: “ele deve cuidar das ovelhas, da Bíblia e não se intrometer em assuntos que pertencem às autoridades constituídas”, comentou uma senhora enquanto lia o jornal.

Mas eu também recebo críticas e não são poucas! Todas as vezes que comento a falta de pulso dos pais e a ausência de limites para os mais jovens, eu recebo inúmeros e-mails malcriados. Muitos, com a carapuça enterrada até o pescoço, me escrevem tremendos desabafos. Outro dia uma pessoa me classificou como “Sônio Abrão”.

Todavia, diante das últimas mortes – todo fim de semana acontece um acidente fatal que poderia ter sido evitado – não é possível não se indignar com a flagrante omissão dos pais e a irritante inoperância daqueles que integram os poderes constituídos (Executivo, Legislativo e Judiciário). Os nossos jovens e adolescentes estão morrendo como moscas, mas não ousamos dizer nada por medo de magoar alguém!

Esse cenário caótico já foi identificado pelos padres, pelos veículos de comunicação, pelos Conselhos Comunitários, por instituições como OAB e Hospital Darcy Vargas, mas aqueles que poderiam fazer alguma coisa estão cegos pela ganância, impressionados pela covardia, seduzidos pelo poder, embriagados com o vinho do dinheiro fácil e brigam apenas pelos seus próprios interesses.

Volto a escrever que esse é um cenário que não será mudado apenas com “Caminhada Pela Vida”, com “Mobilização da Sociedade Civil Organizada” ou com “Iniciativa Política”. Essa página só será virada se nós (cidadãos) fizermos a nossa parte. Precisamos voltar o nosso olhar para o nosso umbigo. As últimas mortes não foram as primeiras e, infelizmente, não serão as últimas. Que Deus tenha piedade de nós!~

Reflexão dentro da reflexão

Gosto da ideia de chamar os pais à responsabilidade, porque os jovens em qualquer época sempre aprontaram. Sempre foram irreverentes! O primeiro jovem que existiu em nosso mundo, segundo a Bíblia, foi um sujeito chamado Caím. Ele matou o irmão, Abel, e com isso, diz a Bíblia, ele foi marcado por Deus!

Séculos depois, a Bíblia conta a história de Noé, que tinha três filhos. Um deles, de nome Cão, foi amaldiçoado pelo pai, porque o velho, por conta de um pileque, ficou despido. Enquanto os irmãos caminhando de costas, cobriram as vergonhas do pai, o ‘Cão’ zombava do velho.

Mais adiante, o relato sagrado conta que o rei Davi foi fugitivo do seu filho Absalão, que queria usurpar o trono do pai. Além disso, ele foi ao harém do rei e se deitou com as mulheres do pai (o que era uma afronta). Absalão foi morto.

Posteriormente, no livro de Reis, encontramos a história de meninos debochados que zombavam do profeta Elizeu. Eles chamavam o profeta de careca. Diz a Bíblia que uma ursa apareceu e devorou aqueles meninos.

O Livro 1822, conta a história de D. Pedro I, um jovem tremendamente irresponsável e promíscuo. D. Pedro morreu antes de completar 40 anos!

Enfim, jovens sempre foram problemáticos, mas os pais tinham pulso, agiam com firmeza e sabiam impor limites, coisas que não vemos em nossos dias. Resultado, infelizmente, eles estão morrendo cada vez mais cedo!

Foto do acidente: Ricardo Abrahão Flores.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Drogas, cinismo, mídia e política

Flávio Azevedo - Reflexões

Sempre defendi a ideia de que o Brasil, depois de 25 anos de ditadura, acabou ficando carente de debates (as pessoas ficaram com medo de se manifestar e externar as suas opniões). Penso que a mídia tem a obrigação de fazer essas provocações, mas com inteligência e provocando a reflexão, mas os empresários do setor promovem é o entretenimento barato que apenas aliena!

Eu sempre tento provocar esse debate quando falo de todos os setores, exatamente por acreditar que quando isso acontece, nós crescemos como país e como cidadão! NÃO É O INTERESSE PELAS FUTILIDADES QUE ME INCOMODA, MAS O DESINTERESSE PELAS COISAS SÉRIAS! Só para você ter uma Ideia, em São Paulo, a famosa Parada Gay arrasta mais de um milhão de pessoas, já uma passeata contra a corrupção contou com 25 mil participantes!

Não é estranho?

Em nome de um suposto “medo de mordaça”, não existe controle (eu prefiro a palavra regulamentação) sobre os conteúdos que estão invadindo as nossas casas através da televisão. Sou contrário a qualquer tipo de censura e defendo o “Controle Remoto” como o melhor amigo do telespectador. Entretanto, a partir do momento que as emissoras abusam da liberdade e emporcalham a mente da sociedade, sobretudo das nossas crianças, precisamos pelo menos debater esse assunto. Mas em nome do “medo da mordaça”, nem o debate é promovido!

A sociedade é cínica e os políticos oportunistas! Já reparou que “maconheiro e cheirador” é sempre o filho do vizinho? O problema da falta de combate as drogas no Brasil começa em casa. O cínico cidadão se recusa a acreditar que o filho dele, junto com o tal filho do vizinho estão usando drogas! Para ele, drogado é só o filho do vizinho. E classe política amigo, não quer meter a mão nesse vespeiro, porque tem medo de perder votos, porque para resolver essa questão o cara não tem como não ser deselegante em alguns momentos. Por outro lado, há os políticos que lucram politicamente e financeiramente com esse cenário de horror!

Na busca por culpados, eu classifico esse assunto drogas da mesma maneira que classifiquei a concessão da água de Rio Bonito para a CEDAE. Não vejo inocentes. Todos os políticos da nossa cidade (atuais e antigos) têm culpa no cartório! Também faltam representatividade política e interesse. Não existe sequer um debate!

Impera o cinismo e a desfaçatez, talvez porque muitos filhos de bacana e de doadores de campanha estejam encarcerados no vício das drogas. Todo mundo sabe que o jovem é dependente químico, mas como os pais fingem não saber, os amigos também preferem fingir – na frente do amigo, claro – que desconhecem o problema.

Isso além de deixar as drogas sem controle, também impede que a questão seja encarada com seriedade e respeito. Enquanto, cinicamente, os adultos preferem não se indispor ao tratar desse “polêmico assunto” (como alguns já classificaram ao conversar sobre a questão comigo), o pobre viciado não tem acompanhamento e nenhum tipo de auxílio para se livrar vício.

Slackline... Pode? Não pode? E porque não pode?

Flávio Azevedo

Eu estou pasmo... Estarrecido... Fiquei boa parte da noite de ontem (19/01) pensando na questão, mas não encontro nada razoável que possa justificar a proibição da prática do Slackline naquele espaço gramado que foi urbanizado próximo ao Rio Bonito Atlético Clube (RBAC). Aliás, o local já era freqüentado pelos praticantes desse esporte antes de ser embelezado. Mas o texto do jovem Arthur Machado, de apenas 18 anos, escrito no Facebook, demonstra que ele tem uma qualidade rara entre os jovens atuais: espírito de liderança.

De acordo com o texto de Arthur, por volta das 13h50min, enquanto ele praticava o Slackline, ele foi abordado por Guardas Municipais que o informaram estar proibida a prática do esporte no local. A determinação seria da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano. A justificativa seria a danificação da grama. Arthur comenta também, que o Slackline é praticado sobre uma fita e que os seus praticantes quase não usam a grama, que é tocada apenas para descansar enquanto outro praticante realiza as piruetas naturais ao esporte (sobre a fita).

Indignado, ele informa aos amigos e colegas praticantes do Slackline, que “a partir de hoje estamos proibidos de praticar o SLACK na pracinha (local da foto), com o intuito de preservar a grama do local. E, agora, praticantes do Slack e adolescentes de Rio Bonito, vamos deixar por isso mesmo? Não podemos mais fazer o esporte que gostamos em lugar publico? Compartilhe e curte (no Facebook) se você é contra esta injustiça”.

Bem, como eu disse anteriormente, o nosso Arthur Machado, através desse relato corajoso e arrojado, mostra uma coisa rara nos jovens modernos: espírito de liderança. Parabéns!

Mas vejam bem: há algum tempo eu estou tentando fazer uma matéria com os praticantes de Skate (eles pleiteiam, inclusive, a construção de uma área para a prática do esporte), mas não consigo falar sobre o assunto, porque os praticantes têm vergonha de falar (com quem conversei até agora) e não há uma organização, uma liderança que se pronuncie oficialmente sobre o esporte em nossa cidade, embora o número de praticantes esteja crescendo a olhos vistos.

Concordo que lá no fundo, todo esporte é uma grande brincadeira, um momento de recreação, mas organizar é importante. Para quem acha isso desnecessário, vale dizer que se os praticantes de Slackline, de Skate ou de Peteca, tiverem algum tipo de organização, eles serão olhados pelo poder público de maneira diferente. Eu não tenho dúvidas que existindo organização, episódios desagradáveis como esse que aconteceu com o simpático Arthur, certamente seriam evitados.

Diante dessa questão, eu não posso me furtar de abordar duas coisas. A primeira: que ninguém rotule o legítimo manifesto do Arthur Machado como picuinha partidária, pelo fato dele ser filho de Vencerlau Machado (político)! Arthur é cidadão e reivindica legitimamente o direito de praticar um esporte. Segundo ponto: Arthur, você não deve convocar apenas os adolescentes e praticantes do Slackline. A sociedade também tem que ser convocada, sobretudo os pais de cada praticante. E tenha certeza que o grupo de mídias “O TEMPO EM RIO BONITO” (jornal, rádio e mídias sociais) também está nessa luta.

O que é o Slackline?

Segundo sites que falam sobre essa modalidade esportiva, o Slackline é um esporte de equilíbrio sobre uma fita de nylon, estreita e flexível, praticado geralmente a uma altura de 30cm do chão. Sua origem vem da escalada, popularizou-se como treino de equilíbrio. O esporte teria nascido em meados dos anos 80 nos campos de escalada do Vale de Yosemite (EUA). Os escaladores passavam semanas acampando em busca de novas vias de escalada e nos tempos vagos esticavam as suas fitas de escalada, através de equipamentos, para se equilibrar e caminhar.

Também conhecido como corda bamba, o Slackline significa “linha folgada” e pode ser comparado ao cabo de aço usado por artistas circenses, porém, sua flexibilidade permite criar saltos e manobras inusitadas. O esporte é indicado para todas as idades. Desde crianças a partir de cinco anos à adultos com 80 anos. Muitos escaladores, skatistas e surfistas praticam o Slackline como uma forma divertida de treinar seu esporte, já que os movimentos e músculos usados são semelhantes aos realizados no Slackline.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Protesto anti-Globo cobra novo marco da mídia


Mesmo sem comprovação de que de fato tenha havido estupro, a polêmica levantada pelo programa Big Brother Brasil (BBB) serviu até agora para reacender, em setores da sociedade, um sentimento anti-Globo e o debate sobre a necessidade ou não de um novo marco regulatório para TVs e rádios, regidas hoje por uma legislação que, em agosto, vai completar 50 anos.

Nesta sexta-feira (20/01), entidades que lutam pela democratização da comunicação no país vão promover um protesto contra a Globo, em frente a sede dela em São Paulo, a partir das 12 horas. Além de criticar a conduta da emissora, a manifestação vai cobrar do ministério das Comunicações que tire da gaveta e discuta publicamente a proposta de regras mais atuais na radiodifusão.

A proposta de um novo marco regulatório começou a ser elaborada na reta final do governo Lula, depois que, em dezembro de 2009, houve a I Conferência Nacional de Comunicação (Confecom). Conduzido na época pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência, o trabalho resultou em uma proposta que, no governo Dilma Rousseff, foi encaminhada ao ministério das Comunicações.

Em 2011, o ministério decidiu refazer o trabalho, com o objetivo de ampliar seu escopo – em vez de englobar apenas a radiodifusão e o Código Brasileiro de Telecomunicações, o plano foi avançar até a Lei Geral de Telecomunicações (LGT), que em 2012 completa 15 anos.

O ministro das Comunicações, Paulo Bernando, pretende colocar o novo regulatório em consulta pública, antes de fechá-la para envio ao Congresso. Ele recebeu uma proposta de marco e consulta pública no fim de 2011. Segundo Carta Maior apurou, o texto ainda não andou por falta de vontade política da presidenta Dilma Rousseff. Ela não cobra o projeto de Bernardo e, ao menos por ora, não o considera uma prioridade.

Na convocação do ato contra a Globo, a Frente Paulista pela Liberdade de Expressão e pelo Direito à Comunicação (Frentex), o Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) e Rede Mulher e Mídia afirmam, porém, que há necessidade de aprovação de “um novo marco regulatório do setor com mecanismos que contemplem órgãos reguladores democráticos”.

No cenário vislumbrado pelos defensores do novo marco, o país teria uma agência de regulação de conteúdo de rádio e TV com poderes para, de forma mais ágil, julgar casos como o do BBB, em que se suspeitou de sexo não consentido – em depoimento à polícia, porém, a vítima não apresentou queixa e disse que, ao menos enquanto esteve acordada, concordou com o que acontecia.

Independentemente disso, no entanto, o grupo que vai protestar contra a Globo considera a emissora culpada por não contar à suposta vítima que ela poderia ter sido estuprada, por prejudicar as investigações da polícia e por, via BBB, enviar ao país uma mensagem de permissividade feminina. Além de responsabilizar a emissora, pressiona para que os patrocinadores do BBB parem de anunciar, sob pena de boicote do público.

Nesta quinta-feira (19/01), o grupo que organiza o protesto, formado por diversas entidades de defesa dos direitos da mulher, entrou com uma denúncua no Ministério Público Federal em São Paulo cobrando a responsabilização da Globo e um direito de resposta coletivo em nome das mulheres que se sentiram ofendidas, agredidas e que tiveram seus direitos violados.

Em nota, o Ministério Público informou que vai investigar o caso do ponto de vista dos direitos da mulher. “O objetivo do procedimento é que a Rede Globo, emissora de alcance nacional, não contribua para o processo de estigmatização da mulher, mas para a promoção do respeito à mulher e a desconstrução de ideias que estabelecem papéis estereotipados para o homem e a mulher”, afirma o MP.

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados encaminhou ao diretor do BBB, Bonifácio Brasil de Oliveira, o Boninho, pedido de informações sobre providências tomadas. Segundo o ofício assinado pela presidente da Comissão, Manuela d’Ávila (PCdoB-RS), o colegiado quer ter informações suficientes para “formar opinião qualificada sobre episódio que possa, ou não, se caracterizar como violação da dignidade humana num veículo com ampla influência na formação da população brasileira”.

Fonte: Carta Maior

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Silva Jardim, Zelão e Fernando, e as reclamações

Flávio Azevedo - Reflexões

Dia desses, navegando pelo Facebook, eu encontrei um pequeno texto do meu amigo Fernando Augusto Bastos, vice-prefeito de Silva Jardim, onde ele comentava as reclamações de alguns cidadãos silvajardinenses em relação aos absurdos preços das passagens do recém-criado Serviço Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) – “Expresso Capivari”, uma autarquia municipal que tem o objetivo de transportar pessoas e bens nas áreas urbanas da cidade.

Os queixosos e reclamantes estariam, de acordo com o texto, insatisfeitos com o valor simbólico e “exorbitante” que é cobrado aos passageiros: R$ 1,00. Eu acompanhei os comentários que se seguiram, muitos deles elogiosos (em vários momentos até de mais) e alguns mais críticos e firmes. Depois de saber que a descobrir que as passagens da Rio Ita ultrapassam os R$ 3,00, eu resolvi – uma velha mania que não perco – escrever algumas reflexões para a meditação dos amigos Marcello Zelão (Prefeito) e Fernando Augusto (vice).

Eu quero dizer para os senhores, que eu sou jornalista e defendo com unhas e dentes a LIBERDADE DE EXPRESSÃO, fenômeno social democrático evocado por quase todos os críticos da atual administração de Silva Jardim. Por isso, em nome dessa tal liberdade, eu gostaria de pedir que a dupla Zelão e Fernando, por obséquio, considerassem a possibilidade de deixar a Prefeitura Municipal de Silva Jardim, em 31 de dezembro de 2012.

Penso que seria salutar se os senhores não fossem reeleitos esse ano. Que tal se os senhores deixarem a cidade voltar aos tempos anteriores a 2009? Que tal os senhores permitirem o retorno daquela antiga fofoca de cassa prefeito, volta prefeito; cassa de novo, volta novamente? Acho que seria interessante trazer de volta aquele município que só aparecia na grande mídia por conta dos seus “ilustres” cidadãos que eram presos por mau uso dos recursos públicos!

Tenho outras sugestões: que tal encerrar as atividades do Expresso Capivari e dividir a grana desse serviço com os “boca abertas” que sempre sorveram os cofres silvajardinenses em administrações anteriores? Não seria melhor, em vez de construir escolas, uma nova rodoviária, entre outras coisas, reservar esses recursos para manter as ‘viúvas’ que foram forçadas a deixar a boca quando o poder mudou de mãos?

É possível (não estou afirmando) que ainda exista muita coisa a ser corrigida na administração da dupla Zelão e Fernando. Acho, inclusive, que alguns elementos deveriam ser convidados a se retirar da administração municipal o quanto antes (não deveriam sequer ter entrado!). Apesar disso, desde 2009, eu não vejo a cidade ser notícia por conta de improbidade administrativa e outros escândalos.

Se existe alguma desconfiança de má administração da cidade, eu pergunto: “o Ministério Público (MP) já foi acionado”? Aliás, se existe um órgão atuante em Silva Jardim é o MP! Aproveito, inclusive, a oportunidade, para pedir um favor: “se as tais denúncias já foram encaminhadas ao MP, eu gostaria que me mandassem as cópias”! A não ser que os supostos insatisfeitos estejam apenas reclamando da tribuna do “balcão do botequim” e do “banco da praça” (isso acontece em todo lugar!), na expectativa de que a tal reclamação chegue aos ouvidos do prefeito para que ele chame o insatisfeito para um “acertinho”.

Concluídas essas reflexões, eu devo lembrar que eu não tenho nenhuma boquinha na Prefeitura de Silva Jardim, não moro na cidade, mas todas as vezes que estou andando por lá distribuindo o jornal O TEMPO EM RIO BONITO, os insatisfeitos dizem que queriam um emprego (nunca trabalho) na Prefeitura, mas não conseguem, porque, infelizmente, não tem vaga para todos, ou seja, alguém tem que ficar de fora! O curioso é que isso representa 99,9% das reclamações!

Em fim, eu vejo pouca gente pensando em qualificação profissional e geração de renda; quase ninguém reclama a importância de investimentos mais significativos para a Cultura e o Esporte local; poucos são os que cobram incentivos ao produtor rural e criação de cooperativas. Ou seja, a maior parte quer uma boquinha, fenômeno que considero o principal responsável pela desigualdade social do nosso país!

Ministério da Saúde inclui novas vacinas para as crianças brasileiras


Duas novas vacinas serão introduzidas no calendário básico de vacinação infantil. Serão introduzidas, a partir do segundo semestre, a vacina injetável contra a poliomielite (conhecida como Salk) e a vacina pentavalente, que reúne em uma única dose imunizações contra cinco doenças. O anúncio foi feito na tarde desta quarta-feira (18/01), pelo Ministério da Saúde. As duas novas vacinas serão utilizadas a partir do próximo mês de agosto. A dose injetável contra a pólio, porém, será aplicada apenas nas crianças que estão iniciando o calendário de vacinação.

Segundo o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, a introdução da vacina injetável contra a pólio, feita com o vírus inativado, reduz riscos de possível contágio pela doença. No ano passado, informou, foram registrados dois casos suspeitos de paralisia supostamente causados pela aplicação da vacina oral (conhecida como Sabin). “Com a aplicação da dose injetável, o risco é quase nulo”, afirmou. Ao todo, serão oito milhões de doses da nova vacina, que já começaram a ser compradas em dezembro de 2011.

Por enquanto, a aplicação da dose injetável não irá retirar do calendário de vacinação as doses orais, já aplicadas nas campanhas de imunização. Será aplicado um esquema sequencial, com as duas vacinas até que a doença seja totalmente erradicada. A imunização injetável será aplicada aos dois e quatro meses de idade. Já imunização oral será usada nos reforços, aos seis e aos 15 meses de idade.

A vacina pentavalente reunirá em uma única dose imunizações contra difteria, tétano, coqueluche, haemophilus influenza tipo B e hepatite B. Atualmente, a imunização para estas doenças é oferecida em duas vacinas separadas.

Novo calendário

Outra mudança será feita no calendário básico de vacinação a partir do segundo semestre. Antes, a criança precisava ser vacina do nascimento até os seis meses, sem intervalo, e com doses de imunizações diferenciadas contra as doenças. Agora, a vacina BCG e contra a Hepatite B será feita ao nascer e depois somente com dois meses, onde receberão a dose da nova vacina pentavalente e da poliomielite inativada.

As outras duas vacinas que antes eram aplicadas aos dois meses – vacina oral Rotavírus Humano e vacina pneumocócica 10 – seguirão mantidas de forma igual no calendário. As segundas doses das vacinas de poliomielite inativada e da pentavalente serão realizadas aos quatro meses. A vacina pentavalente ainda terá uma terceira dose de aplicação, aos seis meses. Neste período, a criança também receberá a dose da vacina oral contra a poliomielite e a vacina pneumocócica 10.

Fonte: G1

Carro do Google Street View em Rio Bonito

Flávio Azevedo

O carro do Google Street View voltou a ser visto passeando calmamente pelas ruas de Rio Bonito, no mês de dezembro. O veículo foi flagrado pela equipe de reportagem de O TEMPO EM RIO BONITO no bairro de Rio do Ouro, próximo a Escola Municipal Maria Lydia Coutinho, de onde rumou para a localidade da Mangueira. Não é a primeira vez que o veículo fotografa as ruas da cidade.

O Google Street View é uma ferramenta integrada ao Google Earth e Google Maps, onde é possível visualizar imagens 3D com zoom, em todos os ângulos a 360º, das ruas e estradas por onde ele passa. Você pode visualizar os lugares como se estivesse no próprio local e viajar por vários países, conferir flagrantes e muitas cenas engraçadas, além de pontos turísticos e outras paisagens.

Tiroteio assusta moradores da Serra do Sambê

Flávio Azevedo

Moradores da Rua Governador Miguel Couto Filho (antigo Loteamento Santa Terezinha ou Recanto da Serra), estão assustados com o tiroteio que aconteceu na noite de ontem (17/01), por volta das 23h30min, no fim do referido logradouro, próximo a cachoeira que separa a Rua Governador Miguel Couto Filho e a Trav. Eugênio Cândido do Nascimento, na Serra do Sambê, em Rio Bonito.

Segundo fontes, o tiroteio durou cerca de 15 minutos e os tiros teriam sido trocados por traficantes da localidade que estariam brigando pelo comando da “boca de fumo” local. “Ninguém conseguiu dormir mais a noite preocupado com o que poderia acontecer”, disse uma moradora que não quer se identificar. “Isso aqui era um lugar tão tranquilo quando vim morar aqui. Hoje, porém, infelizmente, não posso dizer o mesmo, porque já estamos vendo tiroteio entre bandidos”, lamentou outro morador.

Segundo outra fonte, a guerra deflagrada pelo comando do tráfico de drogas da Serra do Sambê teria como cabeças, o atual chefe do “movimento” e um antigo dono da referida boca, que estaria preso, mas recentemente foi posto em liberdade.

Vamos aguardar as cenas do próximo capitulo dessa novela ‘dantesca’!

Concurso Tribunal de Justiça/ RJ - 2012


O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro já disponibilizou todos os 11 editais de seu mais recente concurso público, visando a renovação parcial do quadro funcional do órgão, em especial, os postos de Técnico de Atividade Judiciária e Analista Judiciário. No total, são 284 oportunidades à espera habilitados (inclusive candidatos com deficiência), os quais poderão fazer jus a uma remuneração de R$ 2.821,74 a R$ 4.647,33.

Vale destacar que para todos os cargos oferecidos haverá formação de cadastro de reserva de candidatos, os quais poderão ser convocados após serem preenchidas as vagas declaradas, desde que tal ato seja considerado viável pela Administração.

Parte das vagas oferecidas neste concurso abrange os 11 Núcleos Regionais do Estado do Rio de Janeiro, que englobam cidades como Itaboraí, Maricá, Niterói, Rio Bonito, São Gonçalo, Silva Jardim, Tanguá, Barra do Piraí, Barra Mansa, Itatiaia, Pinheiral, Porto Real-Quatis, Resende, Rio das Flores, Valença, Volta Redonda, Araruama, Armação de Búzios, Arraial do Cabo, Cabo Frio, Casimiro de Abreu, Iguaba Grande, Rio das Ostras, Saquarema, São Pedro D'Aldeia e diversas outras. Outra vagas serão especificamente ocupadas na 1ª Região, que compreende a Comarca da Capital e suas Varas Regionais.

Cargos

Ensino Médio Completo
Técnico de Atividade Judiciária sem Especialidade

Ensino Superior Completo

Analista Judiciário sem Especialidade
Analista Judiciário - Especialidade Psicólogo
Analista Judiciário - Especialidade Assistente Social
Analista Judiciário - Especialidade Comissário de Justiça da Infância, da Juventude e do Idoso
Analista Judiciário - Especialidade Execução de Mandados
Analista Judiciário - Especialidade Contador
Analista Judiciário - Especialidade Analista de Sistemas
Analista Judiciário - Especialidade Biblioteconomia
Analista Judiciário - Especialidade Comunicação Social
Analista Judiciário - Especialidade Médico

Inscrições

Este concurso está sob os cuidados organizacionais da Fundação Carlos Chagas e as inscrições serão feitas exclusivamente pelo site da instituição (www.concursosfcc.com.br), no período de 16 de janeiro a 06 de fevereiro de 2012.

A fim de que seja atendida toda a demanda, a Fundação Carlos Chagas credenciou Postos de Inscrição, que foram listados em cada edital. Nesses locais, os interessados poderão efetuar a inscrição, em dias úteis, horário de Brasília, das 9 às 12 hs e das 13 às 17 h.

O candidato terá que pagar uma taxa que pode se diferenciar em função do cargo escolhido/nível de escolaridade: R$ 55,00 ou R$ 65,00.

Cada participante poderá acompanhar o processamento de sua inscrição no site da Fundação, a partir de 18 de janeiro de 2012.

Provas

A aplicação das provas objetivas e discursivas está prevista para o dia 11 e 18 de março de 2012, no período da manhã ou da tarde, conforme o cargo, nas seguintes cidades: Rio de Janeiro, Niterói, Petrópolis, Duque de Caxias, Volta Redonda, Vassouras, Itaguaí, Campos dos Goytacazes, Itaperuna, Cabo Frio e Nova Friburgo.

O gabarito das provas objetivas será divulgado no primeiro dia útil subsequente à aplicação das mesmas.

No dia 15 de maio de 2012 será publicado o resultado final do concurso no Diário de Justiça Eletrônico, e divulgados nos sites www.concursosfcc.com.br e www.tjrj.jus.br.

Outras informações

Além de ler atentamente o edital relativo ao cargo que interessar, todos candidatos devem acompanhar as informações sobre o certame no site da Fundação Carlos Chagas. Havendo alguma divergência adicional, poderá ser feito contato com Serviço de Atendimento ao Candidato da Fundação Carlos Chagas, pelo telefone (11) 3723-4388.

O prazo de validade do concurso será de um ano, a contar de sua homologação, podendo ser prorrogado por igual período a critério do Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro.

Editais

■Analista Judiciário
■Analista Judiciário - Psicólogo
■Analista Judiciário - Assistente Social
■Analista Judiciário - Comissário de Justiça da Infância, da Juventude e do Idoso
■Analista Judiciário - Execução de Mandados
■Analista Judiciário - Contador
■Analista Judiciário - Analista de Sistemas
■Analista Judiciário - Biblioteconomia
■Analista Judiciário - Comunicação Social
■Analista Judiciário - Médico
■Técnico de Atividade Judiciária

Tanguá realiza 1º Encontro de Folia de Reis


Resgatar tradições culturais e religiosas! Este é o objetivo do I Encontro de Folia de Reis de Tanguá, que acontecerá no próximo dia 21, às 20h, no Observatório de Talentos, Centro. O evento, realizado através da Secretaria Municipal de Cultura e Lazer, contará com a apresentação de cinco grupos de Folia de Reis, entre eles estão grupos de Tanguá, São Gonçalo e Rio Bonito.
– Nossa intenção é potencializar o que temos de cultura de raiz, valorizando e incentivando as diversas manifestações populares para que essas tradições não se percam ao longo do tempo. O povo brasileiro tem história e características próprias bem marcantes. Não podemos deixar que o nosso passado se a pague – ressaltou Reginaldo Garcia Serrano, subsecretário de Cultura. A expectativa é que o evento reúna centenas de pessoas no Centro de Tanguá.

A Folia de Reis

A folia é considerada uma expressão do Brasil agrário, que tem características próprias, expressas em coreografias, ritmos e canções. Evento popular que transcende a esfera religiosa de sua origem e alia aspectos profanos e regionais. Essa festa comemora o nascimento de Cristo. O enredo lembra a viagem que os três reis magos – Baltazar, Belchior e Gaspar – fizeram a Belém para encontrar o Menino Jesus.

Os palhaços, vestidos a caráter e cobertos por máscaras, representam os soldados do rei Herodes, em Jerusalém, e na Folia têm a função de animar a festa e espantar os maus espíritos.

Fonte: Ascom/Tanguá

Lona na Lua entre os finalistas do Prêmio Rio Sociocultural

Flávio Azevedo

O Projeto “Lona na Lua” está entre os 10 finalistas da 3ª edição do Prêmio Rio Sociocultural. Os cinco vencedores serão conhecidos em março em solenidade que acontece no Rio de Janeiro. Os dez projetos finalistas serão contemplados com R$ 3 mil e os cinco vencedores ganharão mais R$ 5 mil cada. Serão distribuídos também notebooks e certificados especiais do Sebrae para os cinco Pontos de Cultura de destaque.

Os selecionados buscam soluções simples, inovadoras e que dispensem grandes investimentos. Devem ter também potencial multiplicador para outras cidades, e ainda incluir segmentos culturais marginalizados, valorizar grupos culturais locais, e promover o desenvolvimento sustentável.

Em sua terceira edição, o Prêmio Rio Sociocultural contou com todos os 92 municípios fluminenses representados, entre as mais de 320 ações inscritas. É um recorde em relação às edições anteriores. Os dez finalistas foram escolhidos por uma comissão formada por representantes das instituições parceiras do Prêmio.
O Prêmio Rio Sociocultural conta com patrocínio da Ceg Rio e da Secretaria de Estado de Cultura, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro, e apoio do Sebrae.

Os 10 finalistas

Projeto Mestre Fantoche Escola, de Macaé;
Oficinas Grupo Teatro Novo, de Niterói;
Cordel com a Corda Toda, de Nova Iguaçu;
Livro no Ponto, de Petrópolis;
Educando e Musicalizando São Sepé, de Pinheiral;
Projeto Lona na Lua, de Rio Bonito;
Mandala dos Saberes – Uma tecnologia Social, do Rio de Janeiro;
Projeto 5 Visões – Formação Técnica em Audiovisual (P5V), do Rio de Janeiro;
Projeto Dançarte, de São Fidélis;
Plantando Ideias, Colhendo Soluções; de São José de Ubá.

O que é o prêmio?

De acordo com o site do Prêmio Rio Sociocultural, o projeto marca presença como um importante reconhecimento às ações socioculturais do Estado do Rio de Janeiro e tem a certeza de contribuir para consolidar a identidade do povo fluminense. A realização é do RIOSOLIDARIO e do Instituto Cultural Cidade Viva, apoiada pelo SEBRAE/RJ, com o patrocínio da Ceg Rio e da Secretaria de Estado de Cultura, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, ele já contabiliza, em apenas duas edições, um total de 438 ações inscritas representando 80 municípios.

O Prêmio Rio Sociocultural tem o objetivo de identificar, premiar e dar visibilidade às ações inovadoras, criando potencial para que projetos que tenham esse perfil se multipliquem. Cinco representantes das instituições parceiras formarão um Comitê Técnico, responsável pela seleção das dez ações finalistas, das quais cinco se consagrarão vencedoras (sem ordem de classificação) por julgamento de um Júri de excelência, especialmente convidado.

Dirigentes, produtores de renome, patrocinadores, alunos de escolas de gestão e produção cultural, formadores de opinião, entre outros, serão convidados a formar uma Comissão Especial, dando parecer sobre os finalistas, constituindo assim, um vasto acervo de depoimentos que será fundamental para o futuro dos premiados. Dessa forma que os vencedores saem do anonimato, ganham respeito, conquistam apoios e crescem na carreira.

sábado, 14 de janeiro de 2012

FLA x FLU e Thiago Neves

Flávio Azevedo - Refexões

O Fluminense dá como certa a contratação do apoiador Thiago Neves. Ontem o tricolor recebeu a resposta positiva dos árabes. A diretoria mantém silêncio absoluto sobre o caso, mas o atleta já teria assinado o contrato de trabalho (com clube) e o de imagem (com a Unimed). Os compromissos têm quatro anos de duração. Detalhes burocráticos ainda impedem o anúncio oficial, mas tudo pode estar resolvido na próxima terça-feira.

Estou vendo um monte de tricolor “boca de sabão” – aqueles que criticavam o jogador quando ele estava no Flamengo – comemorando como se o FLU estivesse contratando Messi. Já muitos flamenguistas que se derretiam em elogios ao apoiador (alguns, inclusive, dizendo que a temporada dele foi melhor que a do R10), por conta do desfecho das negociações, já metem o pau no jogador (outros “boca de sabão”).

A postura do torcedor, nesse e em muitos outros casos, mostra que o torcedor é doente. Aliás, mais doente ainda é grande mídia, que estimula e promove a ‘babaquice’ do torcedor. Eu afirmo que o futebol brasileiro está uma bagunça, simplesmente porque o consumidor desse produto, esse tal torcedor, não pensa com o cérebro, mas com o fígado!

Quem quiser dizer que “futebol é assim mesmo”, que continue se enganando! Enquanto muitos espertos ganham dinheiro com o espetáculo chamado futebol, muitos doentes (nem sempre desavisados, o que é pior) ficam se matando e fazendo carinha feia quando alguém faz uma reflexão apontando o que está mais do que na cara: “futebol é um grande negócio”.

Aos entusiasmados, eu relembro a história do argentino Dario Conca, que foi embora para a China e o patrocinador, que fez um negócio do China, não moveu uma palha para que ele ficasse. O mesmo pode acontecer com Thiago Neves, Deco ou qualquer outro atleta. A Unimed não está no Fluminense por amor “às três cores que traduzem tradição”, mas pelo grande negócio que é o futebol!

Continuando o assunto...

Com duas passagens pelo Fluminense, entre 2007 e 2009, Thiago reencontrará velhos amigos como Fred, Rafael Moura e Ricardo Berna. Na noite da última sexta-feira, o reforço comemorou com amigos próximos o desfecho da negociação, e, empolgado com a volta, ele já teria até ligado para o capitão Fred para dar as boas notícias. Em entrevista ao globoesporte.com, o artilheiro tinha aberto as portas para o retorno.
– Estamos esperando por ele. Somos muito amigos, passamos o fim de ano juntos: eu, ele, Rafael Moura, Marquinho... Thiago vai ser muito bem recebido no Fluminense. Mesmo que ele não fosse querido como pessoa, todos iriam respeitá-lo, afinal de contas estamos falando de um dos melhores jogadores em atividade no Brasil. As portas das Laranjeiras estão abertas pra ele. Thiago também é ídolo do Fluminense. Fez história e tem identificação com o clube – disse o capitão tricolor.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Banco de Sangue de Rio Bonito convida população a doar sangue no período de férias

Flávio Azevedo

A coordenação do Centro Municipal de Hemoterapia Dr. Edson José da Silva, de Rio Bonito/RJ convida população da cidade e região, a realizar doações de sangue para o mês de janeiro. Segundo informações do Hemonúcleo, as doações são bem vindas para manter os estoques preparados para o período de férias, quando as pessoas viajam e estão expostas aos acidentes, o que faz do sangue um “ativo” muito procurado.

O município de Rio Bonito é cortado por rodovias importantes, sendo que uma delas, a RJ – 124 (ViaLagos) é a principal via de acesso à Região dos Lagos, local muito procurado nesse período por conta das suas praias. As cidades litorâneas de Cabo Frio, Arraial do Cabo, Rio das Ostras, Praia Seca, Saquarema, entre outras, são os destinos mais concorridos, mas a maior parte da ViaLagos está dentro do território riobonitense que por oferecer duas portas de entrada para acidentes (Hospital Regional Darcy Vargas e Unidade de Pronto Atendimento/UPA) precisa apresentar o estoque de sangue abastecido para as emergências.

Já a Rodovia BR – 101 corta o território riobonitense e também os municípios de Itaboraí, Tanguá e Silva Jardim, que também são abastecidos pelo Banco de Sangue de Rio Bonito, o que faz ser necessária a doação dos residentes nessas cidades.

Curioso

Os tipos de sangue mais comuns são os sangues “positivos”. Entretanto, se o número de doadores é maior, a demanda também é maior. Já os sangues “negativos”, considerados mais raros, embora sejam utilizados em menor escala são os mais difíceis de serem coletados, porque o volume de doadores “negativos” é menor.

Os interessados em exercer esse ato de solidariedade devem procurar Centro Municipal de Hemoterapia Dr. Edson José da Silva, que fica situado na Av. Martinho de Almeida, nº 222, na Mangueirinha, em prédio anexo ao Ambulatório Municipal Manoel Loyola Silva Júnior. Outras informações pelo telefone (21) 2734-9505.

Doador

Para ser doador é necessário ter entre 16 e 68 anos. No ato da doação é preciso estar bem alimentado e não ter consumido qualquer tipo de bebida alcoólica nas últimas 12 horas. O doador deve apresentar um documento com foto (carteira de identidade, trabalho ou habilitação). Menores de idade só podem doar mediante autorização dos pais ou responsáveis.

Antes da coleta de sangue as pessoas têm de responder um questionário de saúde. As respostas devem ser verdadeiras e as informações são mantidas em sigilo pelo profissional entrevistador, geralmente um enfermeiro (nível superior). O sangue coletado sempre passa por exames preliminares.

Homens podem doar até quatro vezes ao ano, com intervalo de dois meses de uma doação para outra. Já mulheres podem doar, no ano, até três vezes, respeitando uma pausa de três meses entre as doações.

"O Brado Retumbante"

Texto: José Armando Vannucci
Adaptação: Flávio Azevedo

A TV Globo passa a partir da próxima terça-feira (17/01), a minissérie “O Brado Retumbante”. Tem tudo para ser mais um “tapa na cara” da sacanagem que transita nos bastidores dos três poderes (Judiciário, Legislativo e Executivo) sem ser importunada, inclusive pelo subserviente provo brasileiro. Se for do nível de “Na Forma da Lei”, será interessante assistir!

Escrita por Euclydes Marinho com a colaboração de Nelson Motta, a minissérie vai falar de poder e dos defeitos e virtudes do ser humano através de um olhar crítico do próprio país. “O Brado Retumbante” conta a história de Paulo Ventura, presidente de um Brasil que não existe somente na ficção (será?). No posto máximo de poder ele encontra sujeira, falcatruas e ameaças, mas promete a seu povo mudar o cenário.

Na história do Paulo Ventura, ele vivia uma fase desanimada como homem público, mas acaba sendo eleito presidente da Câmara dos Deputados por uma manobra dos congressistas. O objetivo era fazer dele um fantoche do sistema, mas algo dá errado.

Além de mostrar às sacanagens que permeiam o poder – responsável pela interessante desigualdade social – a minissérie mostra o que homens e mulheres são capazes de fazer por dinheiro e poder. Também vai deixar muito nítido aos espectadores que os grandes inimigos estão bem próximos: nos gabinetes da República.

É nesse clima que os oito episódios da minissérie serão levados ao público. “O Brado Retumbante” provocará e fará uma crítica ao país, mas será dramaturgia de ficção e no final de cada capítulo terá a frase “esta é uma obra de ficção coletiva baseada na livre criação artística e sem compromisso com a realidade”.

kkkkkkkkkkkk

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Eleições que definirão novos conselheiros tutelares tanguaenses acontecem dia 12 de fevereiro


A Prefeitura Municipal de Tanguá, através da Secretaria Municipal de Assistência Social, Trabalho e Habitação (SEMASTH) avaliou, no último da sete de janeiro, o conhecimento sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) dos 16 pré-candidatos ao Conselho Tutelar em Tanguá. A avaliação aconteceu na Escola de Qualificação Profissional Padre Cláudio Bourgeois. No próximo dia 12 de fevereiro a população irá às urnas escolher os novos conselheiros.

Sob a fiscalização do Ministério Público representado pela promotora, Rhamile Sodré de Oliveira Teixeira dos Santos, membros do Conselho Municipal dos Diretos da Criança e do Adolescente (CMDCA) distribuíram as provas com questões objetivas aos pré-candidatos. Para ser aprovado o candidato deveria acertar no mínimo 50% das questões.

Mudanças nos locais de votação

Para os que votam no CIEP 252 – João Baptista Caffaro, no Colégio Estadual Antônio Francisco Leal ou na Escola Municipal Profª Paulina Porto, nada muda. Os eleitores da Igreja de Santana na Posse dos Coutinhos e da Escola Municipal de Mutuapira deverão se dirigir para a Escola Paulina Porto, no Rodo da Posse. Já os eleitores da Escola Municipal Profª Dearina Silva Machado, no Pinhão, deverão se encaminhar para o CIEP 252. Neste ano, o eleitor deverá votar em apenas um candidato.

Quem são os candidatos?

Alfeane Barboza da Conceição, Angélica Valoz Pereira Barcelo, Cheila Ledovino Franco Conceição, Elane Aparecida Barboza, Elizabeth Fraga, Lucivalda de Sousa Silva, Márcio Valério Loreno, Marilene Brandão da Silva Belarmino, Michele Máximo de Paula, Paulo de Tarso Fernandes de Souza, Rute Duarte Nicking Marinone, Silvana Cardoso Ayres de Souza, Vanderleia da Silva Coelho Moura, Vera Lúcia da Silva Souza, Vinícius da Silva, Wanderson Faria Teixeira (Wanderson Cachinho).

Fonte: Ascon/Tanguá

Estado do Rio de Janeiro regulamenta Lei da Ficha Limpa para o seu alto escalão


Foi publicada no Diário Oficial do estado desta terça-feira (10), a regulamentação da Lei da Ficha Limpa para o alto escalão de cargos públicos no Rio de Janeiro. Com isso, servidores que perderam mandatos serão proibidos de, num prazo de oito anos, ocuparem cargos em comissão de administração direta e indireta, como ex-parlamentares, ex-governadores e vice-governadores. A lei foi aprovada na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) em dezembro.

Também serão impedidos de ocupar vagas no alto escalão servidores que já tenham contra si representações julgadas procedentes pela Justiça Eleitoral, em processo por abuso de poder econômico ou político ou condenados por crimes diversos. A lei também vai proibir a nomeação de ex-gestores que tiveram suas contas rejeitadas.

Entre os cargos para os quais os funcionários que se enquadrarem na Lei da Ficha Limpa do estado não poderão ser nomeados estão: secretário e subsecretário de estado; procurador de justiça; defensor público geral; presidente do Tribunal de Contas do estado; presidente do Tribunal de Justiça e conselheiro de agências reguladoras; presidente, vice, superintendente e diretores de órgãos públicos; chefe de Polícia Civil; titulares de delegacias; comandantes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros; reitores e vice de universidades públicas; entre outros cargos de chefia, controle, fiscalização e gestão de órgãos públicos.

Fonte: G1

Emoção, consternação e tristeza no adeus a Dóia

Flávio Azevedo

Na presença de centenas de amigos e parentes, o funcionário público Edgar Rogério, o popular Dóia, 48 anos, foi sepultado ontem (10/01), no Cemitério Central de Rio Bonito, às 17h. Há meses ele lutava contra um câncer. Dóia estava internado há alguns dias no Instituto Nacional do Câncer (INCA), mas piorou nas últimas 48h e às 5h20min de ontem faleceu.

Uma cena que sensibilizou a todos foi o momento em que a esposa, Ana Lúcia, se aproximou do caixão, já na sepultura, e jogou uma rosa vermelha. Amparada por parentes e pelo secretário municipal de Esporte e Lazer, Ronen Antunes, em meio às lagrimas ela murmurava “quem agora vai tomar conta do nosso filho?”. Também estava presente, e amparada por parentes e amigos, dona Abigail, mãe de Dóia. Colocado na tumba, o falecido recebeu uma salva de palmas como último adeus.

“Perdemos um amigo”...

“Uma figura alegre, amiga, um companheiro para todas as horas”. É a definição mais apropriada para Dóia (foto ao lado), que possuía uma constelação de amigos. Desportista, ele era lotado na Secretaria Municipal de Esporte e Lazer da Prefeitura de Rio Bonito, “onde desempenhava as suas atividades com muito amor, dedicação e profissionalismo”, definiu o secretário Ronen Antunes, destacando que se tornou amigo particular de Dóia depois que chegou a Secretaria em março de 2010.

Além de desportista, com passagens por equipes com Rio Bonito, Motorista e Cruzeiro, Dóia também curtia uma roda de samba e era peça importante na organização do Carnaval riobonitense. Ele teve participação importante no Festival da Canção, evento realizado pela Prefeitura Municipal ano passado. Também era uma das mentes organizadoras do “Projeto Amigos” que acontecia no Mercado Municipal nas noites de sexta-feira.

O carinho dos amigos e saudade que Dóia vai deixar pode ser medido pelas mídias sociais. A foto e a notícia da sua morte, postada no Facebook, recebeu dezenas de compartilhamentos e comentários lamentando a sua partida.

Alguns depoimentos nas mídias sociais

“As vezes a vida nos faz algumas surpresas e coloca algumas pessoas especiais na vida da gente. Pessoas especiais, únicas. Irmãos mesmo! Sabe aquelas pessoas que você sabe que pode contar, mas que não estará para sempre por perto ? Pois é. O nosso amigo DÓIA é uma delas. Era assim meu amigo DÓIA. Um cara único. Ímpar. Uma pessoa humilde e honesta... De garra, fibra, persistência. Uma pessoa de família simples e muito boa, ao qual eu pude conviver o suficiente para ver o amor no coração. Obrigado por tudo meu irmão, com certeza hoje o céu está em festa com a sua chegada, vai com Deus!” Leonardo Martins.

“Saudades vai deixar no coração de todos aqueles que tiveram o privilegio de conhecê-lo! Descanse em PAZ!”. Douglas Belchior.

“Adorava ver esse camarada jogando futebol. Bom de mais! Além disso, um grande homem amigo. Camarada vai com o senhor! Descanse em paz!”. Fabiano dos Santos.

“Grande Dóia! O conheci na época do Pelerman, como puxador de samba. Trabalhei junto com ele na Bosh Nadisa, e, neste mesmo ano, também era inspetor de alunos no meu turno, da noite, no Colégio Municipal, tudo isto em 94. Nossas conversas eram sempre recheadas de bom humor, característica marcante de nosso já saudoso amigo, futebolista e sambista de coração. Sempre irreverente e bem humorado! Grande Dóia! Que o Senhor o tenha em sua misericórdia e meus sentimentos a sua esposa e familiares. Nunca os amigos te esquecerão”. José Luiz Ribeiro Neto.

“Além de grande desportista, Dóia interessava-se e atuava também na área cultural. Lembro-me dele participando de festivais da canção com grupos de samba; mais recentemente foi um dos organizadores da última edição do Festival da Canção de Rio Bonito, e organizava também, juntamente com seus companheiros de secretaria, os shows de MPB no Mercado Municipal. Uma grande pessoa! Rezemos para que neste momento ele já esteja com Deus!”. Guto Prevot.

“Sensibilizado com a notícia. Dóia jogou futebol conosco, tocou samba, foi um excelente amigo... Não esperava esta notícia! Que Deus o receba confortando a ele e aos seus familiares”. Guilherme Cordeiro.