segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Loucos invadem reportagem do Jornal Hoje, da TV Globo


Duas vezes em menos de dois dias. Depois de ter o áudio invadido em uma passagem ao vivo do "JN" de sexta-feira (28), na porta do Hospital Sírio Líbanês, em São Paulo, a Globo passou por outro perrengue no ar.

Na segunda-feira (31), durante o "Jornal Hoje" (Globo), no link ao vivo da porta do hospital Sírio Líbânes, acompanhando o problema de saúde do ex-presidente Lula, a repórter Monalisa Perrone foi quase agarrada por dois homens, que queriam passar em frente às câmeras. Monalisa chegou a ser empurrada e quase caiu.

A transmissão logo foi cortada e quando Monalisa voltou ao ar, estava ofegante e logo passou a bola para Roberto Burnier, que falou sobre o estado de saúde de Lula.

Na sexta-feira, ao mostrar imagens da porta do hospital, foi possível ouvir claramente "Cala boca, Globo. É RedeTV!" dito aos berros no "JN". A frase vazou no áudio quando José Roberto Burnier fazia sua primeira entrada ao vivo do "Jornal Nacional", na frente do Hospital Sírio Libanês.

Temendo mais ataques, a Globo deve reforçar sua equipe de jornalismo ( com seguranças) na cobertura do caso de Lula. Não quer mais ser alvo desse tipo de brincadeira.

Fonte: Internet/Confira o Vídeo: http://youtu.be/p5IkNKZwQjc

Refletindo sobre o caso: não é novidade a minha antipatia pela TV Globo. Entretanto, eu não posso concordar com o que aconteceu com a jornalista Monalisa Perrone. Imagine você que é pedreiro, gari, pintor, publicitário, vendedor, comerciante, pastor, artista, policial, padre, enfermeiro, entre tantas outras ocupações, ter o seu ambiente de trabalho invadido por um (ou mais) débil mental que queira se promover através da sua função ou da empresa que você representa!

Isso não é correto e não é respeitoso, sobretudo com os telespectadores. Se o invasor tem alguma razão, ele, além de perdê-la, não conseguiu dar o seu recado. Penso, inclusive, que ele apenas angariou antipatia! Na verdade, o que eu particularmente entendi desse ataque que vitimou a equipe de reportagem do Jornal Hoje é que, em nosso país, o volume de pessoas desequilibradas - talvez estimuladas pela própria Globo - grande.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

O comentarista da palavra fácil!

Flávio Azevedo - Reflexões

Eu sempre me perguntei: “o que acontecerá por ocasião das mortes dos reis, Pelé e Roberto Carlos?”. Sempre apostei que quando isso acontecer haverá uma comoção nacional! Quiçá, internacional! Se você não acompanha futebol e/ou não tem o hábito de ouvir as transmissões pelo rádio, é possível que não conheça Luiz Mendes, o comentarista da palavra fácil.

Se você não conhece Luiz Mendes, certamente não conhecerá mais, porque às 10h15min do último dia 27 de outubro, aos 87 anos, ele morreu por complicações decorrentes de uma leucemia linfocítica crônica, como informou a assessoria do Hospital São Lucas, onde o comentarista estava internado desde o último dia 18 de outubro, no Centro de Tratamento Intensivo (CTI). Ele estava casado há 64 anos com a atriz e radialista Daisy Lucidi, com quem teve um filho, netos e uma bisneta.

Luiz Mendes tinha setenta e um anos de carreira e foi um dos fundadores da Rádio Globo. Aquele tradicional “minha gente” que ele sempre falava na introdução dos seus comentários, não será mais ouvido. Calou-se para sempre. Para nós jornalistas, Mendes, que era gaúcho de Palmeiras das Missões – torcedor do Botafogo no Rio, e do Grêmio, nos “pampas” – é uma espécie de Pelé. Ou seja, um craque, um fora de série!

Em mais de 70 anos de carreira, o radialista narrou fatos marcantes da história do futebol brasileiro, como a final da Copa de 1950, no Rio, quando o Brasil perdeu a final para o Uruguai; e a Copa do Mundo de 1958, a primeira das cinco conquistadas pela seleção brasileira.

Reconhecimento dos quatro grandes cariocas

O Botafogo divulgou uma nota oficial lamentando a morte do comentarista e decretou três dias de luto por conta do falecimento de Luiz Mendes, além de querer homenageá-lo com um minuto de silêncio antes da partida contra o Cruzeiro, neste sábado, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro, no Engenhão.

Por meio de nota oficial, o presidente do Fluminense, Peter Siemsen, prestou condolências aos familiares de Luiz Mendes, ressaltando a "correção, simplicidade e ética profissional" do radialista. O Flamengo também divulgou uma mensagem de pesar no site do clube exaltando a "simplicidade, inteligência e cultura deste profissional exemplar".

O presidente do Vasco, Roberto Dinamite, foi mais um a lamentar o falecimento de um dos radialistas mais conhecidos do Brasil. “É uma perda e não digo apenas no aspecto da comunicação, mas também da história do futebol. Ele é um cara que merece todos os elogios. O apelido de "Palavra Fácil" não é a toa. Sabia usá-las para criticar ou elogiar, mas nunca precisou ofender ninguém. É uma referência que precisa ficar para todos no jornalismo. O Vasco sente muito. Precisamos de mais pessoas como ele”, disse o presidente vascaíno.

Vida dedicada ao jornalismo esportivo

No site G1, encontro um trecho interessante sobre esse monstro sagrado do jornalismo brasileiro (gênero esporte), que fica órfão de uma mente privilegiada. No livro "Minha gente – Luiz Mendes, o mestre da crônica esportiva do Brasil" (editora 7 Letras), a jornalista Ana Maria Pires narra a trajetória do radialista em 70 anos de carreira, desde o início como locutor de um serviço de auto-falante na cidade de Ijuí (RS), passando pela contratação pela Rádio Globo do Rio, no final de 1944, o casamento com a atriz Daisy Lúcidi, uma estrela das radionovelas nos anos 50, e suas experiências de cobertura 'in loco" de 13 copas do mundo de futebol.

Em depoimento no livro, Mendes descreve sua narração no famoso gol do Uruguai. "Eu próprio fiquei tão perplexo na hora do gol, que dei nove inflexões diferentes ao gol. Eu fui narrando normalmente, “Gol do Uruguai!”. Depois, Gol do Uruguai? Gol do Uruguai, senhores! Gol do Uruguai... Gol do Uruguai... E fui assim, trocando de inflexão, até chegar à nona. Acho que fiz aquilo para despertar a mim mesmo e começar a falar como havia sido o gol, o que tinha acontecido e o que poderia acontecer, pois faltavam poucos minutos para o final da partida. Naquele momento, senti que a Copa do Mundo estava indo embora como água que corre pelos vãos dos dedos, algo que não se consegue segurar. O sentimento era cristalino. (...) Foi uma coisa terrível", disse o radialista em trecho do livro.

Na obra, Mendes descreve também sua maior alegria com o futebol. "A cobertura da conquista da primeira Copa do Mundo pela seleção brasileira, em 1958, na Suécia, foi a emoção mais forte que vivi em minha vida profissional. Tanto que meus olhos se encheram de lágrimas tão logo gritei “Brasil, Campeão do Mundo de 1958.” Como dizem por aí, a primeira vez a gente nunca esquece!"

Além da Rádio Globo, Luiz Mendes trabalhou também na Rádio Farroupilha,TV Rio, TV Globo, Rádio Continental, TV Educativa e TV Tupi e escreveu quatro livros sobre futebol: "As Táticas do Futebol Brasileiro – Da Pelada à Pelé (1963), "As Táticas do Futebol (Antigas e Atuais) (1979), "Futebol Regras e Táticas (1979) e "Sete (7) Mil Horas de Futebol" (1999).

O nosso adeus e o nosso muito obrigado a Luis Mendes, o Comentarista da Palavra Fácil!

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Rio Bonito/Marajó vence Fluminense/Rio e arranca para a classificação no Estadual de Futsal feminino

Flávio Azevedo

Uma vitória suada, sofrida, mas que permitiu ao Rio Bonito/Marajó continuar sonhando com a classificação para a próxima fase do Campeonato Estadual Feminino de Futsal adulto. Esse é o balanço da excelente partida entre Rio Bonito/Marajó e Fluminense/Rio, em jogo válido pela 6ª rodada da competição, que aconteceu no Ginásio Antônio Figueiredo, no Rio Bonito Atlético Clube (RBAC), no último dia 19 de outubro (quarta-feira).

Desfalcado de Karen, que disputa o Pan-Americano com a Seleção Brasileira de futebol de campo; e Larissa, suspensa pelo terceiro cartão amarelo; o Rio Bonito/Marajó contava com a inspiração de Stella, o oportunismo de Samara, a habilidade de Teka, e superação de Mari que jogou com o tornozelo machucado e ao lado de Stella teve grande atuação.

O jogo foi pegado, com oportunidades para ambos os lados, mas o Rio Bonito/Marajó saiu na frente com Samara, que raspou a cabeça numa bola alçada na área da excelente goleira Stephanie (1x0). A equipe desceu para os vestiários, no intervalo do primeiro para o segundo tempo vencendo. No segundo tempo, logo no início, Fernanda igualou o marcador.

O gol do empate não desanimou o Rio Bonito/Marajó que esbarrava na atuação impecável da goleira Stephanie, que fez inúmeras defesas. Aos 5 minutos, porém, não teve jeito, em jogada individual, Stella, que mandava na partida, marcou o segundo gol da equipe alvianil. O Fluminense não se entregou e continuou levando perigo à meta da goleira Nathalia, que fez defesas importantes. Aos 18 minutos, em nova arrancada pela esquerda, Stella fez o terceiro gol do Rio Bonito/Marajó.

Quando a partida parecia estar definida, um bate rebate na área do Rio Bonito/Marajó terminou com o segundo gol do Fluminense, marcado por Tatiane, aos 19 minutos. Com os nervos a flor da pele e com os gritos de Larissa, que acompanhava a partida nas arquibancadas, o Rio Bonito/Marajó chegou a primeira vitória na competição e mantém viva a esperança de chegar à próxima fase.

Terminada a partida, questionada sobre o que foi determinante para a vitória, a pivô Samara comentou que “dessa vez nós jogamos apenas contra o Fluminense, porque nas partidas anteriores, nós enfrentamos o adversário e a arbitragem”. Já o treinador Júlio César Freitas, o Cabeça, estava mais preocupado com a recuperação das atletas.
– Tem muita gente machucada. Samara com problema no joelho; Mari o tornozelo, ela nem ia jogar, mas foi para o sacrifício e ajudou muito. Ainda bem que temos quase um mês para recuperar. Na próxima partida o time vai estar inteiro e já vai contar com a presença de Karen, que está no Pan-Americano – comemorou.

Artistas do espetáculo

O Rio Bonito/Marajó jogou e venceu com Nathalia, Salsicha, Stella, Mari e Teka. Na suplência estavam Samara, Jaqueline, Kerla, Deisy, Lais e Camila. O treinador é Júlio César Freitas, o Cabeça.

Já o Fluminense jogou com Stephanie, Aline, Ana Paula, Ariana, Elisangela, Fernanda, Tasia, Tatiane, Diana e Mônica. A equipe é orientada por Luiz Henrique Vianna de Mattos.

A Arbitragem foi de José Antonio Lourenço, que atuou auxiliado por Flávio Salvador Sarmento. A cronomestrista era Michele Monteiro e a cronomestrista, Patrícia Saldanha.

O outro jogo da rodada

Na outra partida da 6ª rodada, disputada entre Fluminense de Niterói e Bradesco, o placar ficou igual: 4x4. O jogo aconteceu no dia 22 de outubro. Se no primeiro tempo a equipe da casa, o Fluminense, venceu por 3x1, no segundo tempo o Bradesco reagiu e chegou ao empate. Para o Fluminense marcaram Bruna (2), Gabriela e Camila. Já para o Bradesco os gols foram marcados por Rebeca (3) e Alessandra.

Próximos jogos

Com três pontos na tabela de classificação, o Rio Bonito/Marajó volta à quadra no dia 9 de novembro, quando vai receber o Fluminense/Niterói, às 20h30min. Três dias depois a equipe volta a jogar. Dessa vez o adversário é o Bradesco, fora de casa, às 16h. O alvianil riobonitense termina a sua participação no Campeonato Estadual de Futsal, em casa, contra um adversário bem conhecido, o Mackenzie, que vem a Rio Bonito no dia 15 de novembro, às 10h.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Lona na Lua faz balanço positivo de 2011 e projeta novas parcerias para 2012


E o Lona na Lua encerra com chave de ouro a temporada 2011. Depois de divertir o público riobonitense com “Dona Flor e seus Dois Maridos”, “O Bem Amado”, “Romeu e Julieta no Sertão” e uma série de espetáculos infantis apresentados para as escolas, o Grupo se consolida como o movimento cultural mais atuante do município e vai representar a Região no “Grande Festival Novas Cenas”. O evento, que é promovido pela Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro, selecionou 16 grupos de diversas regiões do Estado que irão se apresentar no Teatro Laura Alvim, em Ipanema.

A atriz Raphaela Dias, protagonista do espetáculo “Quem casa quer casa”, fala sobre a empolgação do grupo em estrear na tradicional casa de espetáculo da Zona Sul do Rio. “O Lona na Lua é a prova de que quando se acredita de verdade no que se faz as coisas dão certo. O nosso grupo é uma verdadeira família, onde dividimos nossas alegrias e nossas angústias. Mas, acima de tudo, somos unidos por um sonho: ver a nossa cidade sendo referência de ARTE”.

Entre atores, músicos e técnicos, o espetáculo, que é dirigido por Zeca Novais, tem as participações de Raphaela Dias, Victor Hugo, Bruno Siqueira, Lauany Fabbreschi, Rodolfo Freitas, Lucas Madureira, Ana Ariel Perrone, Raíssa Trindade, Nathan Duarte, Larissa Moraes e Maria de Fátima.

O Grande Festival Novas Cenas acontecerá entre os dias 3 e 6 de Novembro e têm como tema o escritor Martins Pena. Cada grupo recebeu um texto de autoria do idealizador da comédia de costumes no Brasil e coube ao Lona na Lua trabalhar a comédia “Quem Casa quer Casa”.

Intercâmbio

Com o envolvimento dos atores do Lona neste grande projeto, o Espaço Cultural Lona na Lua vai promover apresentações de Companhias de outros municípios. As apresentações começaram nesse mês e terão continuidade em novembro.
– Interagir com grupos que tem mais experiência em nosso Espaço Cultural colabora com o amadurecimento artístico de nossos alunos, que podem ter contato com atores, atrizes, diretores, cenógrafos, figurinistas que trabalham com outra linguagem. Isso faz parte do aprendizado – explica o diretor e idealizador do projeto, Zeca Novais.
Na oportunidade ele faz uma série de agradecimentos. “Se hoje o projeto é uma realidade e tem um futuro promissor é porque algumas pessoas acreditaram de verdade.

Os nossos mais sinceros agradecimentos ao comércio de nossa cidade, que sempre nos apoiou e confiou em nossa proposta sociocultural. Aos companheiros que divulgam nosso projeto na mídia local, e claro, ao nosso “anjo da guarda” Seu Bebeto do Posto, porque se não fosse ele o Lona na Lua estaria procurando terreno pra instalar o Espaço Cultural até hoje”, concluiu.

Na tarde da última sexta-feira (21), os integrantes do projeto foram recebidos pelo prefeito de Silva Jardim, Marcello Zelão (PT). A expectativa é reeditar, na terra do Capivari, as apresentações itinerantes que o projeto realizou em Rio Bonito. “Investir em Educação e Cultura é uma das prioridades da nossa administração. Além de investirmos em projetos locais, a nossa expectativa é estimular a Cultura, sobretudo nas localidades mais distantes”, comentou Zelão.

O grupo também foi recebido pelo vice-prefeito e secretário de Educação e Cultura, Fernando Augusto Bastos (PT), que recebeu do diretor Zeca Novais, um projeto idealizado para Silva Jardim.

Próximas atrações

29 e 30 de outubro, às 19h – Fefê e Pipoca contra Dom Sujão, espetáculo Infantil da Cia Combi Teatro – RJ;
12, 13, 19 e 20 de novembro, às 20h – Pequenas Sagas Nordestinas, Cia. Círculo Teatral – RJ;
26 e 27 de novembro/03 e 04 de Dezembro, às 20h – O Diário de uma pobre, Cia. Show de Cenas – Angra dos Reis.

Solange Almeida defende Royalties do Petróleo e classifica como “massacre o que estão fazendo com o RJ”

Flávio Azevedo

Em entrevista ao programa “O TEMPO EM RIO BONITO” do último domingo (23/10), a deputada federal Solange Almeida (PMDB), abordou entre outros temas, a questão da partilha dos Royalties do Petróleo com os estados não produtores, situação que segundo ela, “irá prejudicar muito o desenvolvimento econômico do Rio de Janeiro, que tem crescido mais que o estado de São Paulo”. A deputada classifica a questão como um “massacre”.
– Só para que as pessoas tenham ideia, entre os anos de 2011 e 2012, a Petrobras está investindo no Rio de Janeiro, cerca de R$ 112 bilhões, entre perfuração, refinarias e exploração de poços. Apesar disso, a empresa não quer abrir mão de R$ 2 bilhões para completar o fundo que vai para distribuir recursos para os estados não produtores – disse Solange.

Ainda de acordo com a deputada, que está no seu segundo mandato, existe uma compreensão equivocada do que são os Royalties do petróleo. “Não podemos classificar esses Royalties como tributo, porque segundo a Constituição Federal, esses Royalties são uma compensação aos estados produtores”. A congressista comentou que com a criação do Fundo de Participação dos Municípios e do Estado (FPM e FPE), o Rio de Janeiro é o segundo em contribuição ao fundo e o 21º em receber os benefícios. “Ou seja, nós já fizemos uma distribuição de tributos para os estados que tem as diferenças regionais”.

Lei da Partilha

A deputada também comentou que o Rio de Janeiro foi prejudicado quando os impostos referentes ao petróleo e a energia elétrica passaram a ser cobrados no destino e não na origem. “Todos os outros produtos são tributados na origem, menos o petróleo e a energia elétrica que estão sendo tributados no destino. Como isso, nós que produzimos cerca de 80% do petróleo do país perdemos recursos”, comentou.
A Lei da Partilha conta com o apoio da deputada, sobretudo porque o petróleo tornou-se um bem do país, “uma riqueza nossa”.

– A Lei da Partilha é fantástica, porque quando vigorava o regime de concessão, a empresa era dona do petróleo. Hoje, não! O petróleo pertence ao Brasil. O governo é quem decide quanto a empresa vai explorar. O produto é mantido em nossa mão. Imagine se acontecer uma crise entre os Estados Unidos e os países árabes? A Shell simplesmente viria aqui tiraria todo o nosso petróleo, levaria para o exterior e nós ficaríamos com nada – ponderou.

Os critérios e postura de alguns deputados federais, responsáveis pela criação da Lei da Partilha, foram questionados pela parlamentar. Para ela, a iniciativa foi interessante, “mas alguns deputados aproveitaram para fazer média e jogar para platéia. Argumentaram que tem estados e municípios produtores torrando o dinheiro público com festas, em algumas cidades a Câmara Municipal está quase toda presa, e decidiram dividir o recurso, esquecendo que o maior número de prefeitos cassados está no Nordeste”, disparou Solange, lembrando que criaram uma lei onde os Royalties são distribuídos no FPM. “Com isso, o estado do Rio que ganha R$ 10 bilhões em Royalties vai ganhar R$ 1 bilhão”.

Vontade de enfraquecer o Rio

De acordo com a deputada, em Brasília existe uma vontade de impedir o enriquecimento do Rio de Janeiro. Para ela está declarada a guerra entre os estados. “Algumas pessoas não sabem, mas existem outras maneiras de se atender os não produtores, por exemplo, com a participação no lucro, uma ideia que foi pensada pelo senador Francisco Dornelles, um economista competente”. Os 66 deputados, sendo 56 fluminenses e 10 capixabas, estão em minoria e são vítimas do que a deputada chama de “rolo compressor”.
– É muito difícil conversar porque a discussão saiu do campo político para os interesses particulares. Não há dialogo! Estão jogando para a plateia! Cada um defende o seu estado esquecendo que fazemos parte de uma federação e os estados não são independentes. Em Brasília, a frente parlamentar pela democratização dos Royalties é composta por deputados que parecem ter sangue na boca – comentou.

Segundo Solange Almeida, o Rio de Janeiro tem as suas dívidas com a União negociadas sobre os Royalties. E, ela questiona: “Como o estado vai ficar sem esses recursos?”. Ainda segundo a deputada, o governador Sérgio Cabral, “que está fazendo um governo muito bom”, elevando a empregabilidade e o desenvolvimento econômico do estado. Atualmente, o Rio compete em crescimento com São Paulo. Estamos nos preparando para Copa do Mundo, Olimpíadas, e como nós daremos conta disso sem os recursos dos Royalties?”, analisa a deputada.

“Democratizar tudo”

No seu trânsito em Brasília, a deputada comentou com o líder do governo no Congresso Nacional, que quando o Código de Mineração vier para o Congresso ele será compartilhado com todos os estados da federação como estão fazendo com os Royalties. “Por que somente Minas Gerais e Pará serão beneficiados? Além disso, vamos trazer para os demais estados, os incentivos fiscais da Zona Franca de Manaus. Ou seja, acontecerá uma guerra entre estados e o Supremo Tribunal Federal (STF), que já se manifestou contrário a essa situação”, completou Solange.

Programa “O TEMPO EM RIO BONITO” vai realizar debate sobre mudanças na Escola José Reis

Flávio Azevedo

A polêmica envolvendo a transformação da Escola José Reis em Centro de Educação Especial esteve na pauta do programa “O TEMPO EM RIO BONITO” de ontem, que recebeu a deputada federal Solange Almeida, como presidente do diretório municipal do PMDB, seguindo aquela série de entrevistas com os presidentes de partido da cidade!

O projeto que transforma o José Reis em Centro de Educação Especial está emperrado na comissão da vereadora Rita de Cássia (PP) e o único debate público sobre o tema até agora, aconteceu no nosso programa, que no dia 18 de setembro entrevistou a diretora do espaço, Mauricéia Alves, que externou as aflições dos profissionais que atuam no segmento.

Demonstrando preocupação com a unidade, sobretudo com as crianças que são atendidas no José Reis, entidade criada na sua administração quando foi prefeita de Rio Bonito, a deputada fez algumas ponderações e disse ter algumas dúvidas. Via telefone, Garrolici Alvarenga, uma das coordenadoras do setor em âmbito municipal, também abordou o tema e se colocou a disposição da congressista para explicar o que motiva a mudança.

Diante das dúvidas e incertezas, o jornalista Flávio Azevedo sugeriu um debate com todos os atores envolvidos no processo! Ficou combinado, que no dia 6 de novembro o programa "O TEMPO EM RIO BONITO" vai promover uma mesa redonda para debater o assunto, logicamente, sem permitir que a conversa seja transformada num comício.

Reflexão

A escola José Reis não vai mudar de nome. Vai se tornar Centro de Educação Especial José Reis, e o principal: com muito mais recursos para atender as pessoas com necessidades especiais que são usuárias do espaço. Quanto a boa e velha politicagem, isso já está acontecendo há muito tempo. Existe algum outro motivo para o projeto está emperrado na Câmara?

Vale ressaltar que todos os vereadores, inclusive os colegas de grupo da vereadora Rita de Cássia, querem que o assunto seja colocado na ordem do dia, mas ela continua aguardando o prazo regimental para liberar a matéria!

Onde está o poder de mobilização dos pais e das famílias dos usuários do José Reis? Uma senhora falou comigo “que não fala nada porque não quer se indispor com ninguém”. Essa covardia me dá ânsia!

sábado, 22 de outubro de 2011

Chefe do Detran de Rio Bonito continua foragido

Flávio Azevedo

Continua foragido da Justiça, junto com outros acusados de fraudar o processo de emissão de Carteiras Nacional de Habilitação, o chefe do Detran de Rio Bonito, Francisco Furtado Pinheiro (foto), que escapou da Operação Contramão II, deflagrada na última sexta-feira (21/10), quando cerca de 400 agentes da Corregedoria do Detran, da Polícia Civil e do Ministério Público (MP) estadual cumpriram pelo menos 30 dos 42 mandados de prisão temporária contra integrantes da quadrilha.

Na operação foram apreendidos R$ 145 mil em dinheiro. A maior parte, cerca de R$ 120 mil, foi encontrada em Niterói, na casa do chefe do Detran de Rio Bonito. Durante os dois anos de atuação, o bando ajudou cerca de 7 mil pessoas a obter permissão para dirigir. Em alguns casos, até moldes de silicone com as digitais dos candidatos foram usadas para driblar a fiscalização biométrica. As fraudes renderiam até R$ 10 milhões por ano aos falsários.

Entre os integrantes da quadrilha estão 13 funcionários do Detran-RJ, uma policial militar, donos de 21 auto-escolas, despachantes, examinadores e ‘zangões’ (espécie de despachantes informais). Onze acusados de envolvimento com a máfia, entre eles Francisco Furtado, conseguiram escapar da ação e estão foragidos.

A operação foi realizada em 11 municípios. Na capital, a ação se estendeu a 27 bairros. Os acusados vão responder pelos crimes de formação de quadrilha (até três anos de prisão); falsificação de documento público (até seis anos); falsidade ideológica (cinco anos); corrupção passiva (12); emissão de dados falsos em sistemas de informação (até 12 anos); e corrupção ativa (12 anos).

A polícia e o Detran, agora, vão atrás dos motoristas que utilizaram o esquema do bando. Eles terão as habilitações cassadas e responderão criminalmente por falsidade ideológica e corrupção ativa. Estima-se que 7,2 mil motoristas receberam suas carteiras de habilitação dessa forma e estejam nas ruas, pondo em risco a vida de pedestres e de quem dirige.

Final antecipada na etapa feminina da 3ª rodada do Indústria e Comércio

Flávio Azevedo

Provocações, nervosismo, jogo pegado, muitos gols, chances perdidas, torcedor inflamado, atletas desequilibrando. Essas foram apenas algumas das principais atrações da 3ª rodada do VI Circuito de Futsal da Indústria e Comércio de Rio Bonito, que aconteceu na noite da última sexta-feira (22/10), no Ginásio Antonio Figueiredo, no Rio Bonito Atlético Clube (RBAC). A partida mais pegada foi na categoria feminina, entre Pé Bacana e Cerâmica Marajó.

As equipes reeditaram a final da competição de 2010, quando a Cerâmica Marajó venceu a então Passo Fácil por 6x3. O placar de ontem, porém, foi diferente. Lideradas por Deisy (foto 2), em noite inspirada, as meninas da Pé Bacana golearam as adversárias pelo placar de 8x4. Deisy (3), Leandra (2), Rayanna, Caroline e Verônica marcaram os gols. Para a Cerâmica Marajó, que não fez uma boa apresentação, Marcela (2) e Salsicha (2) fizeram os gols.

A pivô Samara Salgado, uma das estrelas da Cerâmica Marajó, não conseguiu reeditar as suas boas apresentações. Por conta de uma contusão no joelho, lesão sofrida na partida que disputou pelo Campeonato Carioca de Futsal, do último dia 19 (quarta-feira), ela teve uma atuação discreta. As boas apresentações de Salsicha e Marcelinha não foram suficientes para enfrentar a boa equipe da Pé Bacana.

Polêmica

A jogadora Danieli comentou que a Pé Bacana entrou em quadra com os brios mexidos porque as atletas da Cerâmica Marajó teriam postado mensagens provocativas no Facebook. “Hoje tem treino, às 20h30min”, seria uma das postagens. Entrevistada pela nossa reportagem, Marcelinha disse desconhecer essa provocação.
– Que eu saiba isso não aconteceu! No meu Facebook não tem nada disso. O campeonato está só começando, elas comemoraram como se tivessem vencido a final, mas vamos treinar, acertar os erros, ir para a final – se Deus quiser estaremos lá – e vamos ser campeãs – disparou.

Já a jogadora Deisy comentou que o trabalho e o empenho das atletas do Pé Bacana foi fundamental para definir a vitória. Quanto a provocação das meninas da Cerâmica Marajó, ela comentou que a atitude foi fundamental para que as meninas se empenhassem e unissem ainda mais para buscar a vitória”.

A Pé Bacana entrou em quadra com Lorinha, Karina, Patrícia, Suellen, Rayanna, Maria Tereza, Leandra, Danielli, Deisy, Caroline, Natany, Verônica e Fernanda. O treindor é Everaldo Azevedo. Já a Cerâmica Marajó disputou a partida com Lili, Marcela, Verônica, Kerla, Salsicha, Samara, Jaqueline, Camila I, Camila II, Letícia, Sabrina, Thaiane e Tainá.

No masculino

Na partida que antecedeu o jogo feminino, a Luminare derrotou a Arteferro pelo placar de 10x2. Para o Luminare marcaram Renan (2), Murilo (2), Tiago (2), Xeroca, Jorge, Diego e Lívio. Descontaram para a Arteferro, Eduardo e Lucas. Com grande atuação de toda a equipe, a Luminare entrou em quadra com Matheus, Tiago, Xeroca, Renan, Jorge, Murilo, Jadilson, Diego e Xeroquinha. A equipe é treinada por Guerreiro. Já a Arteferro atuou com Thiago, Flávio, Eduardo, Gilmar, Maxuel, Rodrigo, Felipe, Joel, Rodrigo e Lucas. O time é orientado por Valdeci.

A última partida da noite foi entre Supermercado Mano/Esperança x Ollé Esporte. O Mano venceu pelo placar de 8x3. O Mano/Esperança atuou com Paulo, Rui, Cláudio, José Jaime, Marcos Vinícius, Joel, Nadinho, Gabriel e Ítalo. A equipe é treinada por Raphael Silva. Já o treinador Alex Queiroz, da Ollé Esporte mandou a equipe para a quadra com Tiago, Vanderson, Gabriel, Luis Fernando, Rafael, Welinton, Ailton, Dionatan, Leonardo e Marlon.

A arbitragem da noite ficou por conta do quarteto Tiago Duarte, Fernando Lima, João Carlos Barbosa e Ossian Silva.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Outros vão morrer!

Por Flávio Azevedo - Reflexões

Depois de escapar de uma tentativa de homicídio, no último mês de março, quando levou um tiro na cabeça, um jovem morador da Serra do Sambê, conhecido como “Darinho”, foi assassinado por volta das 11h30min, da última quarta-feira (19). O crime aconteceu próximo a escola do bairro. No local, policiais militares contaram seis cápsulas de pistola 380.

O crime foi o assunto das redes sociais! As opniões são muitas. Bastante coisa tem sentido, outras nem tanto. Entre os muitos comentários postados no Facebook, chama a minha atenção aqueles que tentam avaliar a dor da família enlutada. Destaco a reflexão de uma jovem que lamenta a impotência dos pais, “que embora estejam preocupados com os filhos, muitas vezes não conseguem tirá-los do mundo das drogas”, comenta.

Eu concordo, mas sinceramente... Vejo poucos pais se esforçando para não deixar os filhos entrarem nesse terrível caminho! Eu costumo dizer que um dos problemas dos pais da atualidade é a falta de tempo. Alguns não sabem que os filhos cresceram. Entretanto, fica muito nítido que para vigiar os filhos do vizinho não existe falta de tempo. A realidade é que muitos pais só vão se lembrar do filho, quando um traficante já o adotou!

Tem ainda aqueles que querem culpar as autoridades. Contudo, embora essa minha tese seja classificada como inconveniente, as famílias (com raríssimas exceções) estão contribuindo significativamente para que histórias como a de “Darinho” continuem acontecendo! Concordo que as políticas públicas são pífias, os políticos são omissos ou corruptos (os bons são minoria), a polícia tem falhas, mas a inoperância política não pode nos fazer culpar apenas o poder público, porque papai e mamãe também tem culpa no cartório!

Nas redes sociais, outra internauta comentou que “hoje em dia os pais são bem mais esclarecidos que os de antigamente... A sua maneira, eles orientam e tentam proteger seus filhos, mas muitos fazem de forma errada. Um exemplo disso está na permissividade e na ausência de limites. Filhos acostumados a terem de tudo crescerão acreditando que podem tudo, inclusive, banalizar os seus semelhantes e usar drogas”.

Ela escreveu mais: “Os pais, quando têm seus filhos pequenos, conseguem manter os portões fechados. Assim, conseguem protegê-los das vicissitudes do mundo. Um dia eles crescem e os pais não terão mais condições de mantê-los fechados em casa... E os portões são abertos para eles”. Novamente eu concordo com a nossa internauta, mas a impressão que eu tenho é que esse portão esta sendo aberto cada vez mais cedo (o leitor pode até discordar de mim!).

Eu costumo dizer que não é o jovem que está saindo para a rua! Quem está saindo para a rua sem hora para voltar e sem dizer para onde estão indo são as crianças. Os vícios raramente começam aos 20 anos. Os pais, exatamente por não conhecer os filhos, muitas vezes descobrem o problema do filho quando ele já tem 20 anos... Mas o garoto começou usar drogas com 11 ou 12 anos. Fica a pergunta: onde esses pais estavam nesse intervalo?

Amigo leitor, nem sempre esses pais estavam fazendo coisa errada! A maioria estava trabalhando, buscava uma vida melhor para DAR aos filhos – alguns estavam até na igreja –, mas esqueceram, por conta da luta diária, de priorizar o SER. Muitos conseguem TER dinheiro, TER imóveis, TER carros, porém, não TEM mais o filho, que não foi orientado a valorizar o SER. O garoto não TEVE os pais, e, agora, ele É um drogado.

Esse é um cenário que não será mudado com “Caminhada Pela Vida”, com “Mobilização da Sociedade Civil Organizada” ou com “Iniciativa Política”. Essa página só será virada se fizermos a nossa parte. Se abandonarmos o hábito de olhar a vida alheia para olhar o nosso próprio umbigo. Penso que esses seriam os primeiros passos para mudarmos histórias como a de “Darinho”, que infelizmente, não foi o primeiro e, certamente, não será o último.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Jovem assassinado na Serra do Sambê

Flávio Azevedo

Depois de escapar de uma tentativa de homicídio, no último mês de março, quando levou um tiro na cabeça, um jovem morador da Serra do Sambê, conhecido como “Darinho”, foi assassinado hoje (19/10), por volta das 11h30min, atrás da escola do bairro. Enquanto o corpo aguarda a perícia para ser removido, dezenas de curiosos se dirigem para o local. Entre eles, a polícia e a nossa reportagem conseguiram apenas uma informação: um silêncio profundo e o costumeiro ninguém sabe de nada. No local do crime, a polícia contou seis cápsulas de pistola 380.

Em março, numa noite de quinta-feira, Darinho havia sofrido uma tentativa de homicídio próximo ao Ginásio de Esportes do bairro. Alvejado na testa, ele foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e hospitalizado. Cerca de 10 dias depois estava de volta às ruas do bairro dizendo, inclusive, que tinha “aceitado Jesus”, embora o comportamento não demonstrasse tal transformação. À época, segundo a polícia, a motivação do crime seria um suposto envolvimento do rapaz com o tráfico de drogas local.

Os alunos da Escola Municipal Serra do Sambê, em sua maioria, foram poupados de ouvir o som dos tiros e acompanhar a correria que se seguiu, porque estavam no projeto “Lona na Lua” assistindo o espetáculo infantil dedicado aos estudantes do ensino fundamental.

Histórias semelhantes

A vítima de hoje é o segundo filho assassinado de três irmãos. Há cerca de 10 anos, o irmão mais velho, conhecido como “Pedro”, também foi morto. Ele também teria, segundo a polícia, envolvimento com tráfico de drogas.

Uma breve reflexão

Vejo nas redes sociais alguns comentários dizendo que os pais NÃO CONSEGUEM TIRAR OS FILHOS DO MUNDO DAS DROGAS E DA BANDIDAGEM. Acho interessante essa colocação, mas sinceramente – lá venho eu com aquelas colocações inconvenientes –, penso que o esforço (e isso é raro!) deveria ser não permitir que ELES ENTREM NESSE CAMINHO.

O problema é que a maioria dos pais não percebe que o filho cresceu. Ficam prestando atenção nos hábitos e costumes dos filhos do vizinho e esquecem dos seus filhos dentro de suas próprias casas! Quando o pai vai perceber, o traficante já tomou o seu lugar e, quase sempre, não tem mais volta!

As famílias, com raríssimas exceções, são as grandes culpadas por cenas como essa! Concordo que as políticas públicas são pífias, os políticos são omissos ou corruptos (os bons são grande minoria), mas papai e mamãe têm culpa no cartório e não podem ficar de fora do processo!

Petrobras assina termos ambientais para Comperj e Reduc


A Petrobras, a Secretaria de Estado do Ambiente (SEA) e o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) assinaram, ontem, terça-feira (18/10), no edifício-sede da Companhia, o Termo de Compromisso Ambiental (TCA) do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) e o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) da Refinaria Duque de Caxias (Reduc).

Com investimento de R$ 100 milhões, o TCA do Comperj trata da implantação dos projetos de revegetação em áreas internas e no entorno do empreendimento, previstos nas condicionantes do licenciamento. O diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, falou sobre a abrangência do projeto, que prevê recuperar uma área total de 4.584 hectares, maior que a área do Parque Nacional da Floresta da Tijuca (3.953 hectares). “Será um marco na histórica de acordos ambientais”, afirmou o diretor.

Algumas ações já começaram a ser implantadas. Em 2010 e 2011 foram adquiridas e plantadas mais de 150 mil mudas na área interna do Comperj. Para produção de mudas, foi implantado no empreendimento um Viveiro Florestal com a capacidade de produção de até 300 mil mudas por ano.

O prazo de vigência do Termo de Revegetação é de 10 anos, tempo previsto para que as áreas de reflorestamento dentro e fora do Comperj estejam recuperadas. Serão sete anos de plantio e mais três de manutenção para garantir a restauração florestal. Serão utilizadas mais de 80 espécies nativas da Mata Atlântica, como pau-brasil, orelha de negro, guapuruvu, pitanga, sapucaia, maricá e vários tipos de ipês.

O TAC da Reduc propõe a implantação de projetos de melhorias ambientais na refinaria e no seu entorno, com previsão de investimentos de mais de R$ 1 bilhão. Estão programados 24 projetos no interior da Reduc para redução das emissões atmosféricas e melhoria do tratamento de efluentes.

No âmbito do TAC também estão previstos projetos externos, como a construção de uma Unidade de Tratamento no Rio Irajá, que contribuirá para a despoluição da Baía de Guanabara, e a drenagem da região de Campos Elíseos para evitar inundações. Além disso, a Petrobras se comprometeu a comprar biogás do Aterro de Jardim Gramacho, no Rio de Janeiro, e a enviar material reciclável recolhido na refinaria para as cooperativas de catadores de Gramacho, com o objetivo de gerar renda para esta população, uma vez que o aterro será desativado.

Tanto o o secretário de Estado do Ambiente, Carlos Minc, como a presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Marilene Ramos, estiveram presentes no evento e ressaltaram a importância dos projetos previstos no TAC da Reduc para a despoluição da Baía de Guanabara.

Fonte: Agência Petrobras

Ginásio lotado e jogos disputados marcam a 2ª rodada do Circuito de Futsal da Indústria e Comércio de RB

Flávio Azevedo

Ginásio lotado, muitos gols e partidas disputadas marcaram a 2ª rodada do VI Circuito de Futsal da Indústria e Comércio de Rio Bonito. As partidas aconteceram na noite de ontem (18/10/2011), no Ginásio Antônio Figueiredo, no Rio Bonito Atlético Clube (RBAC). Se enfrentaram Kilomania x VipTur e Textura Rio x Sfai. A tradicional competição é organizada pela Secretaria Municipal de Esporte e Lazer.

A primeira partida, entre Kilomania x VipTur, terminou com o placar de 5x0 para o Vip Tur, gols marcados por Guilherme (2), Lucas (2) e Ruan. A Vip Tur contou com Carlos, Guilherme, Frederico, Bruno, Filipe, Luciano, Lucas, Ruan e Renan. A equipe é treinada por Tiago Moraes. Já o Kilomania jogou com Maicon, Henrique, Clailton, Douglas, Fábio, Aécio, Guilherme, Allan, Vitor, João Vitor e Lucas. A equipe é orientada por Luiz Antônio Braga.

A segunda partida foi marcada pela goleada do Textura Rio sobre a Sfai (11x4). Os gols do Textura Rio foram marcados por Everton (3), Fernandinho (2), Weliton Pequeno (2), Luis Cláudio, Guigui, Cláudio Kiochi e Ederlon. Para o Sfai descontaram Cristiano (2), Mário José e Mônaco. No fim da partida Britio, do Textura Rio acabou expulso pelo árbitro João Carlos Barbosa.

O textura Rio jogou com Felipe, Fernandinho, Paleta, Luis Cláudio, Everton, Caio, Britio, Filipe, Guigui, Weliton Pequeno, Cláudio Kiochi, Ederlon e Lucas Marchon. O treinador é Júlio César Costa (Cabeça). Já o Safai foi para o jogo com Lando, Mário José, Felipe, Rafael, Alexandre, Maurício, Cristiano, Anderson, Mônaco e Reginaldo. A equipe é dirigida por Sérgio Santos.

A arbitragem da Liga Niteroiense de Futsal contou com o quarteto Washington Feliciano, Thiago Lasmar, Lúcia Cuppulille e João Barbosa.

Outros jogos

Na próxima sexta-feira (21/10) acontece a 3ª rodada da competição, às 19h30min, no Ginásio Antônio Figueiredo, onde acontecerão três partidas: Arteferro x Iluminare, Marajó x Pé Bacana (feminino) e Mercado Mano x Ollé Sports. As três equipes estarão estreando na competição e a expectativa é grande quanto a equipe que foi montada pela Iluminare.

Na última sexta-feira (14), na estreia do campeonato, três empates e muitos gols: Shekinah 6x6 Enzo Kids; Shekinah 3x3 Olé/Esperança (feminino) e MultMix 8x8 Produtos Castrinho.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Mais 22 medalhas para o Taekwon-Do ITF de Rio Bonito

Flávio Azevedo

Nos dias 10 e 11 de setembro, o Centro Municipal de Educação Integral de Búzios sediou o 8º Campeonato Brasileiro de Taekwon-do ITF, primeira seletiva para o Mundial de 2013 na Espanha. Os atletas disputaram medalhas nas categorias de forma (TUL) e combate (MATSOKI). Estiveram presentes mais de 120 participantes (competidores, técnicos e árbitros) representando os estados: Bahia, Ceará, Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina.

No primeiro dia foi realizada a abertura do evento, às 9h30min, em seguida teve início as disputas de faixas coloridas, e formas de pretas, com premiações de faixas coloridas. No segundo dia foram feitas as lutas de faixas pretas tendo início às 10h e finalizando às 15h.

A equipe riobonitense conquistou 22 medalhas, sendo seis de ouro, sete de prata e nove de bronze. Os atletas são alunos do projeto social comandando pelo professor Marcelo Mollica em Boa Esperança e Boqueirão. Os atletas tiveram o patrocínio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer.

Classificação dos atletas

Emanoel Diniz: ouro (luta) e bronze (forma), Geovane Policarpo: ouro (luta) e bronze (forma), Natã Pinto: ouro (luta) e bronze (forma), Felipe dos Santos: ouro (luta) e prata (forma), Lucas Barbeito: prata (luta) e bronze (forma), Rodrigo Souza: prata (luta e forma), Hallan Peixoto: bronze (luta e forma), Leaonardo Froes: bronze (luta) e ouro (forma), Matheus Ramos: prata (luta e forma) e Sidnei da Costa: bronze (luta e forma).

As aulas acontecem todas terças e quintas-feiras, às 19h30, no primeiro andar do PSF de Boqueirão, e todas as segundas e quartas-feiras ás 19h no Salão Paroquial de Boa Esperança.

Valeu Tikko! É possível agir sem ser partidário!

Flávio Azevedo - Reflexões

“Venho aqui agradecer em nome de todos os boleiros de Rio Bonito! O Que vocês aí do Bate Bola Tupi fazem pelo esporte em nossa cidade. É Sem Palavras! Agradeço por todo acompanhamento de vocês na Copa Ollé! Que... Deus continue abençoando o trabalho de vocês! Pelo menos vocês jornalista se empenham pelo futebol em Nossa Cidade! Já os demais, eu prefiro nem comentar! É só clássico bom de ver e jogar! (Nas semifinais, se o Rio Vermelho passar, eu to voltando, hem!) Valeu Flávio Azevedo! Estamos Juntos! Abraços!”.

Esse depoimento foi escrito por Tiko, jogador de futebol do Rio Vermelho – um dos melhores times de Rio Bonito – em uma das minhas postagens no Facebook, onde eu promovo os campeonatos amadores da nossa cidade. Aliás, aproveito a oportunidade para agradecer aos meus leitores, seguidores, amigos admiradores e desafetos, pelo volume de acesso no meu blog e no blog do jornal O TEMPO EM RIO BONITO.

Nos últimos meses tenho sido muito pressionado, sobretudo pelos meus amigos e admiradores, para que eu seja candidato a vereador nas eleições do próximo ano. Dizem que eu representaria bem a população. Mas eu insisto! Adoro política, mas do meu jeito. Sinceramente, eu ainda acredito que posso interferir positivamente em vários problemas da nossa cidade sendo jornalista.

As palavras do meu amigo Tiko – para mim o melhor lateral direito de Rio Bonito – vem ao encontro da ideia que eu defendo. Não é preciso ser vereador para interferir, promover, estimular, apoiar, incentivar ou criticar, qualquer setor da administração pública ou comportamento do nosso povo. Sendo jornalista eu faço isso e tenho alcançado o meu objetivo: FORMAR OPINIÃO E CIDADÃOS CRÍTICOS!

Um abraço a todos!

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Clássicos marcam quartas de final da Copa Ollé, nesse domingo

Flávio Azevedo

Cerca de 45 dias depois de iniciada, a Copa Ollé de Futebol Amador 2011 entra nas quartas de final. Entre os quatro jogos que acontecerão no próximo domingo (23), destaque para o tradicional clássico Cruzeiro x Esperança, que se enfrentam no Estádio Alfonso Martinez, no Cruzeiro, na Praça Cruzeiro. A partida começa às 11h.

Também chama a atenção do torcedor, o clássico do segundo distrito: Só Primos x Castelo. A partida será disputada domingo, no campo de Mário (Prainha), às 10h. Destaque também para Recanto e Rio Vermelho, que mais uma vez fazem uma das quartas de final de uma competição local. A partida acontece no campo do Hospital Colônia Rio Bonito (HCRB), domingo, às 15h. Concluindo a rodada, o Nova Geração recebe o Flamix, domingo, às 15, no Parque Andréa.

No domingo seguinte, dia 30/10, acontecem as partidas de volta.

Classificados

Grupo A
Esperança
Castelo

Grupo B
Só Primos
Cruzeiro

Grupo C
Recanto
Flamix

Grupo D
Rio Vermelho
Nova Geração

sábado, 15 de outubro de 2011

Rio Bonito/Marajó continua sem vencer no Estadual de Futsal Adulto

Flávio Azevedo

Em jogo válido pela 3ª Rodada do Campeonato Estadual de Futsal Feminino adulto, a equipe do Rio Bonito/Marajó, foi derrotada pelo Fluminense de Niterói, por 5x3, na tarde do último dia 12 de outubro. Atletas e comissão técnica do Rio Bonito/Marajó novamente reclamaram bastante da arbitragem.

Para o Rio Bonito/Marajó marcaram Teka, Larissa e Samara, para o Fluminense os gols foram de Gabriele (2), Sara, Danielle e Altamires. Pela mesma rodada, em jogo realizado no dia 24 de setembro, o Mackenzie venceu o Fluminense, do Rio, pelo placar de 7x5.

O Fluminense entrou em quadra com Danielle, Ana, Bruna, Altamires, Cristiane, Camila, Sara, Kelly, Gabriele, Raissa e Maria. O treinador é Davison Oliveira. Já o treinador Júlio César, do Rio Bonito/Marajó contou com Nathália, Mari, Salsicha, Teka e Larissa. Completaram a equipe, Salsicha, Lais, Andressa e Daisy. O preparador Físico é Rodrigo Barreto.

A arbitragem foi de Evandro Barbosa, que atuou auxiliado por Raphael Ramos. A anotadora foi Sheila Alvares e o cronomestrista Juçara Freitas.

O Rio Bonito/Marajó volta a quadra na próxima quarta-feira (19/10), às 20h30min, no Ginásio Antonio Figueiredo, no Rio Bonito Atlético Clube, em jogo válido pela 6ª Rodada, que também terá o confronto entre Fluminense de Niterói e Bradesco, que acontece às 19h, do sábado seguinte (22), em Niterói.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Professores... Obrigado por existir e resistir!

Por Flávio Azevedo

Ainda está bem vivo na minha memória o meu primeiro contato com a escola. Hoje, 29 anos depois, permaneço estudando e pretendo continuar. Mas, antes de falar sobre o tema, quero convidar o amigo leitor para um passeio pela minha infância e adolescência. Aprendi a ler em 1981, com a minha prima Adriana Fogaça. Depois dela foram muitos educadores. Em 1982 – já sabendo ler e escrever – fui matriculado na então Escola Estaual Barão do Rio Branco. Lá estudei, no primário, com as professoras Nazaré Lima, Ana Rosa e Virgínia Tavares, 1ª, 2ª e 3ª serie, respectivamente.

De 1985 a 1990, estudei no Colégio Rio Bonito (CRB), onde comecei na 4ª série, com a professora Maria Aparecida Pintas. No CRB, tive aulas de Nelinho (Matemática), Rita de Cássia (Português), Maria Nazareth Pintas (História e Geografia), Sueli de Paula (Educação Artística), José Artur Kleinsorgen e Genivan Gouvêa (Educação Física), Eunice Badr (Educação Moral e Cívica), Solano (OSPB), Naílo (Desenho), Bebeto (Física e Química), entre outros. Não posso esquecer de seu Enildo, o inspetor de alunos.

Já no Centro Educacional de Ensino Navega Creton, hoje, Colégio Muncipal Dr. Astério Alves de Mendonça (qual a razão para a troca do nome), onde cheguei em 1991, a disciplina era por conta do saudoso professor Wagner Navega. Ali, ainda convivi com Izaqueu José Vieira (Matemática), Otávio (Português), Ricardo Cardoso (Geografia), Lodebar (Literatura) e Aloísio Borges (Química). A partir de 1992 ingressei no Curso Técnico de Enfermagem. Coordenado por Rosália Machado, o curso contava, no seu quadro de educadores, com as irmãs Ângela e Verônica Chehab, os professores-enfermeiros Tereza Cristina Abrahão, Rogério Moura, Marta Novo, e outros.

Eu não poderia deixar de falar de outras especializações: o primeiro foi o tradicional curso de datilografia com o professor Alessandro Souza, no extinto CCAA. Depois, eletricista residencial, no extinto Senac Rio Bonito (hoje a 3ª Companhia de Polícia Militar de Rio Bonito), com o professor Francisco Calil. Teve até curso de inglês, com a professora Carla Miranda.

Foram professores e professoras de todos os tipos. Alguns bem simpáticos e outros nem tanto! Entretanto, todos eles colaboraram para minha formação. Mas, ao longo dessa minha trajetória eu percebi que todos os educadores têm o mesmo sofrimento: vários direitos negados, salários defasados, a necessidade de ter vários empregos para poder viver com um mínimo de conforto, centro de pesquisas sofríveis e o mais frustrante: DESVALORIZAÇÃO.

O que me deixou intrigado é que não é apenas o Estado ou proprietários de escolas, colégios e universidades, que desvalorizam os profissionais. Mas, por incrível que pareça... Colaboram para isso os alunos, que chegam à escola mimados e infantilizados pela televisão e, sobretudo os pais, que estão fugindo da responsabilidade de educar.

Isso gera uma preocupação, porque de acordo com o sociólogo Émile Durkheim existem dois tipos de socialização ou educação: a primária, que acontece na família e a secundária, que ocorre nos demais núcleos sociais que o indivíduo estará inserido – vizinhança, escola, trabalho etc. O sociólogo chegou a uma conclusão importante: “a socialização primária é a base da socialização secundária, logo, o sujeito que não tiver aprendido bons valores na socialização primária, não será bem socializado nos núcleos secundários”.

Destroçadas pelo abandono e o descaso do Estado, que só pensa em arrecadar, as famílias, em sua esmagadora maioria, estão delegando a socialização primária dos seus filhos. É, por isso, que quando olhamos ao nosso redor percebemos a inversão dos valores, onde a vida e a morte são coisas banais. Onde crianças saem de casa sem hora para voltar, e muitas vezes não voltam, pois morreram despedaçadas e embriagadas enquanto dirigiam em alta velocidade. Crianças que agridem o semelhante e argumentam: “pensei que era uma prostituta ou um mendigo”, como se esses dois atores sociais não fossem gente. Menores que a cada dia presenciam a corrupção sorver dos cofres públicos, o dinheiro que deveria custear a sua formação.

PARA NOSSA SORTE ELES – OS PROFESSORES – AINDA ESTÃO AÍ. Nas escolas, colégios e universidades dos grandes centros, e também no interior do Brasil. Existem casos de professores que caminham quilômetros para alfabetizar alguns alunos... Em muitas ocasiões, exercendo o papel de mãe, pai, irmão, amigo, psicólogo, médico, cabeleireiro, padre, pastor etc.

POR ISSO PROFESSOR... OBRIGADO POR SUA EXISTÊNCIA! Obrigado por ter abraçado a função de educador! Inclusive, eu discordo do sujeito que definiu o dia 15 de outubro como Dia do Mestre. Pois como acontece com o Dia das Mães e dos Pais, todos os dias é Dia do Professor. Talvez seja por isso, que já há algum tempo, tem sobrado para esse profissional, mais uma responsabilidade: a socialização primária do indivíduo, que é obrigação dos pais.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Copa Hand Riba de Handebol 2011 começa nesse sábado

Flávio Azevedo

Pelo sexto ano consecutivo, o Rio Bonito Atlético Clube (RBAC) vai sediar a Copa Hand Riba de Handebol. Os jogos acontecem nesse fim de semana (Sábado e domingo), a partir das 9h. De acordo com o organizador da competição, o professor de Educação Física, Luis Gustavo Machado, o Popó, “equipes de todo o estado irão participar da competição e não medirão esforços para conquistar o título do torneio que é realizado desde 2006”.

No sábado (15/10), os atletas da categoria juvenil (sub-17), nas modalidades, feminino e masculino, entram em quadra para uma das competições mais competitivas de todas as edições da Copa. No masculino, destaques para o Niterói Rugby/Handebol, equipe que revelou Bruno Souza, atualmente, o maior jogador de Handebol do Brasil de todos os tempos.

Expectativa também para a apresentação do Colégio Estadual Antônio da Silva, de Nova Iguaçu, que em várias oportunidades conquistou o Campeonato Estadual de categorias de base e o Brasileiro Escolar.

O município de Rio Bonito, como em competições anteriores, estará representado pelo Colégio Cenecista Monsenhor Antônio de Souza Gens, que na categoria masculino, é o atual campeão do torneio. Já no feminino, destaque para a equipe do Centro Educacional Alfredo Prado, de Seropédica, que participou de todas as edições da Copa Hand Riba. Em 2010 a escola se sagrou campeã invicta.

No domingo (16), entram em quadra os atletas da categoria infantil (sub-14), que contará apenas com a competição masculina, porque segundo o organizador, não houve inscrições suficientes para a competição feminina. Nessa categoria, destaque para o Niterói Rugby/Handebol e o Colégio Cenecista Monsenhor Antônio de Souza Gens, que defende o título da competição, conquistado de forma invicta.

Participantes:

Juvenil

Colégio Cenecista Monsenhor Antônio de Souza Gens (Rio Bonito)
Prefeitura Municipal de Cachoeiras de Macacu (Cachoeiras de Macacu)
Colégio Odete São Paio (São Gonçalo)
Centro Educacional San Martinz Perez (Itaboraí)
Prefeitura Municipal de Paty dos Alferes (Paty dos Alferes)
Niterói Rugby/Handebol (Niterói)
Centro Educacional Alfredo Prado (Seropédica)
Colégio Estadual Antônio da Silva (Nova Iguaçu)
CEC/ Sec. Municipal de Esporte/Prefeitura Municipal de Itaboraí (Itaboraí)

Infantil

Colégio Cenecista Monsenhor Antônio de Souza Gens (Rio Bonito)
Colégio Odete São Paio (São Gonçalo)
Niterói Rugby (Niterói)
Escola Municipal Joaquim Ribeiro (Rio de Janeiro).

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Com golaço do riobonitense Marcelinho, Friburguense termina a 1ª fase na liderança do Grupo B

Flávio Azevedo

Com grande atuação do riobonitense Marcelinho, o Friburguense goleou o Macaé por 4x2 e garantiu o primeiro lugar do Grupo B, na Taça Rio. O resultado confirmou o Frizão como melhor time do seu grupo, com 13 pontos. Ao contrário do Macaé, o treinador Gerson Andreotti mandou a campo todos os seus jogadores titulares. O objetivo é realizar os jogos decisivos, das próximas fases da competição, em Nova Friburgo.

A disposição e a vontade do Friburguense logo foram recompensadas, porque aos 12 minutos do primeiro tempo, Diego Santos colocava o Frisão na frente. A vantagem deu tranquilidade e Marcelinho, em tarde inspirada, sempre levava perigo a defesa do alvianil praiano. No fim da primeira etapa, aos 44, Jorge Luiz fez o que quis com dois adversários e tocou na saída de Reryson: 2x0.

O placar favorável permitiu que o treinador poupasse alguns jogadores pendurados (Diego Guerra e Diego Santos). Com a mesma precisão da primeira etapa, o terceiro gol não demorou a sair. Aos três minutos, Victor Hugo marcou. O lance capital, porém, ainda estava por vir. Aos 11 minutos, Marcelinho marcou o quarto gol depois de executar uma jogada de cinema. O meia tocou entre as pernas do marcador e em seguida encobriu o goleiro com um leve toque. O lance tão cedo não será esquecido pela torcida tricolor.

O Macaé esboçou uma reação com Norton, de pênalti e Charles Chad, mas o Frisão, em tarde inspirada, garantiu a vitória e a liderança do grupo. O Friburguense já conhece seus adversários da próxima fase e aguada apenas a confirmação das datas. Volta Redonda, Madureira, Serra Macaense e America serão os próximos obstáculos do Frisão rumo à Copa do Brasil.

Ficha Técnica

Friburguense: Adilson; Crispin (Marquinhos), Cadão, Diego Guerra e Evair; Bidu, Lucas, Marcelinho e Jorge Luiz; Ricardinho e Diego Santos (Ricardo). Técnico: Gérson Andreotti.
Macaé: Rerysson; Diego (Rincón), Gustavo, Wesley e Rony; Gedeil, Bruno Barra, Zotti (Norton) e Mossoró; Maciel (Marquinhos) e Charles Chad. Técnico: Toninho Andrade.
Árbitro: Sérgio Mantovani Cerqueira. Assistentes: Ricardo Fragoso Dourado de Carvalho e Júlio Campana de Carvalho.

Próxima fase

O Friburguense já sabe quem serão os seus adversários na luta para chegar à Copa do Brasil em 2012. Na tarde dessa segunda-feira (10/10/2011), a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ) divulgou a tabela da próxima fase da Copa Rio. Estão definidos os jogos e os adversários do Tricolor Serrano.

A estréia da equipe de Gerson Andreotti acontece já na próxima quarta-feira, ás 15h contra o Volta Redonda, no Estádio Eduardo Guinle. No sábado, o Frizão, vai até o Rio de Janeiro encarar o Madureira, no Conselheiro Galvão, ás 16h. A terceira partida será realizada no dia 19 de outubro, às 19h30min, contra o Serra Macaense, no Eduardo Guinle.

Já na quarta rodada, o Friburguense irá folgar. A equipe se reapresenta para jogar no dia 26 de outubro contra o América, em Edson Passos, às 16h.

Confira a tabela do Friburguense na segunda fase:

Turno

12/out - Qua - 15:00 - Friburguense x Volta Redonda, no Eduardo Guinle
15/out - Sáb - 15:00 - Madureira x Friburguense, em Conselheiro Galvão
19/out - Qua - 19:30 - Friburguense x Serra Macanse, no Eduardo Guinle
26/out - Qua - 16:00 - America x Friburguense, em Edson Passos

Returno

30/out - Dom - 18:00 - Volta Redonda x Friburguense, no Raulino de Oliveira
2/nov - Qua - 16:00 - Friburguense x Madureira, no Eduardo Guinle
6/nov - Dom - 16:00 - Serra macanse x Friburguense, no Claudio Moacyr
12/nov - Sáb - 16:00 - Friburguense x America, no Eduardo Guinle

domingo, 9 de outubro de 2011

A Justiça brasileira continua empolgando a todos nós!

Flávio Azevedo - Reflexões

Assistindo o Fantástico (TV Globo) de hoje (9/10/2011), não me atrai as matérias que falam do Steve Jobs (que faleceu essa semana), mas chamou a minha atenção a matéria do excelente jornalista Marcelo Canellas, sobre a ação de garimpeiros na reserva dos povos indígenas Yanomami. O mais interessante foi ver um comprador de ouro ilegal dizendo que “a polícia prende, mas tem quem solta”, o que é uma verdade e um escárnio a sociedade!

Depois assisto a reportagem da van que bateu numa árvore, ontem (08/10) por volta das 4h, em Minas Gerais. O veículo transportava nove jovens, que vinham de uma festa. O motorista era menor e disse à polícia que havia consumido bebida alcoólica, “mas o que provocou a perda da direção e conseqüente acidente foi o fato de ter dado um beijo na namorada com o veículo em movimento”. Duas pessoas morreram e no fim da matéria, o pai do motorista, com uma tremenda “cara de taxo” diz que “estou até emocionado, porque nós orientamos os filhos, mas eles não ouvem”.

Em seguida, o programa volta ao caso do empresário "bacana" que, cheio de cachaça e dirigindo uma Land Rover, atropelou um rapaz em julho desse ano. A vítima perdeu a vida e o "riquinho" está tentando se safar.

Diante dessas histórias, vamos parabenizar a Justiça brasileira pela agilidade, pela competência e por reforçar a minha tese – que muitos dizem ser absurda – de que além das nossas leis serem ridículas (são venenos com antídotos fortes), os operadores do Judiciário, sobretudo no alto escalão, em sua maioria, estão bastante arregados! Talvez seja por isso que a Justiça esteja chorando!

Rio Bonito/Marajó perde para o Mackenzie fora de casa

Flávio Azevedo

A equipe do Rio Bonito/Marajó, em jogo válido pela 5ª Rodada do Campeonato Estadual de Futsal Feminino adulto, realizada ontem (8/10), no Méier/RJ, foi derrotada pelo Mackenzie, pelo placar de 5x4. As atletas do Rio Bonito/Marajó reclamaram bastante da arbitragem, que teria prejudicado a equipe alvianil. Com os nervos a flor da pele, Stella, estrela da companhia, foi expulsa no fim do primeiro tempo.

A exclusão da atleta, na opinião das atletas e da comissão técnica do Rio Bonito/Marajó, "contribuiu para vitória do Mackenzie". Os gols do Rio Bonito/Marajó foram de Stela (2), Larissa e Teka. Já para o Mackenzie marcaram Rani (2), Priscila Gonzales, Gleice e Diany.

O Rio Bonito jogou Nathália, Mary, Stela, Larissa, Teka e Samara. Treinador Júlio César Costa, o Cabeça. Já o Mackenzie contou com Larissa, Priscila Soares, Carla, Dainy, Gleice, Rani e Karoline, Priscila Gonzales, Flávia, Carolina, Juliana e Thaissan. Treinador: Ricardo Velozo; Preparador Físico: Thiago Roque.

A arbitragem foi de Tereza França, que atuou auxiliada por Eduardo Araújo. Anatodora, Márcia Pinheiro, e cronomestrista, Mariana Chaves.

Também em jogo válido pela 5ª Rodada, o Fluminense/RJ derrotou o Bradesco por 2x0.

O próximo compromisso do Rio Bonito/Marajó acontece na próxima quarta-feira (12/10), em Niterói contra o Fluminense, em jogo válido pela 3ª Rodada. Pela mesma rodada, o Mackenzie já enfrentou o Fluminense/RJ e derrotou o tricolor das Laranjeiras por 7x5. Para o Machenzie marcaram Gleice (3), Priscila (2), Cecília e Carla. Já para o Fluminense os gols foram de Ana Paula (2), Ariana (2) e Aline.

sábado, 8 de outubro de 2011

Instituto Educacional Elena Guerra promove Semana da Família em Rio Bonito

Flávio Azevedo

O Instituto Educacional Elena Guerra (IEEG), promove entre os dias 10 e 14 de outubro, a primeira Semana da Família, que tem como tema, “Família... O segredo está no amor”.
Palestrantes:

Padre Eduardo Braga e Silva, dia 10/10, às 18h30min, no IEEG
Fundador da Fraternidade Sacerdotal do Cenáculo
Pároco da Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição/Rio Bonito

Dr. Robson Oliveira, dia 11/10, às 18h30min, no IEEG
Dr. em filosofia pela UERJ
Membro da Família em Cristo/Niterói

Dr. João Malheiro, dia 13/10, às 18h30min, no IEEG
Doutor em Educação pela UFRJ
Diretor do Centro Cultural e Universitário de Botafogo/Rio de Janeiro

Fábio Pombo Rodrigues e Jaciara, dia 14/10, às 18h30min, no RBAC
Comunidade Jesus Vive e é o Senhor/Rio Bonito
Shows e outras atrações/20h também no RBAC.

As relações dentro da família acarretam uma afinidade de sentimentos, de afetos e de interesses. Afinidade essa que provém, sobretudo do respeito mútuo entre as pessoas. A família é uma comunidade privilegiada, chamada a realizar "uma carinhosa abertura recíproca de alma entre os cônjuges e também uma atenta cooperação dos pais na educação dos filhos.

Os pais são os primeiros responsáveis pela educação de seus filhos. Dão testemunho desta responsabilidade em primeiro lugar pela criação de um lar no qual a ternura, o perdão, o respeito, a fidelidade e o serviço desinteressado são a regra. O lar é um lugar apropriado para a educação das virtudes.

O Instituto Educacional Elena Guerra esta localizado na Rua Pedro Colares, nº 271, Centro de Rio Bonito. Informações pelo telefone (21) 2734-1153.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Debates equivocados não promovem mudanças!

Por Flávio Azevedo - Reflexões

Antes de qualquer animosidade virtual e má compreensão do que iremos expressar, deixamos claro que somos favoráveis a “liberdade de expressão” e acreditamos ser salutar a pluralidade, característica desse nosso país de dimensões continentais. Entretanto, diante da aspereza de algumas postagens do Facebook, nós consideramos que esse tipo de situação, além de não ser saudável empobrece o diálogo.

Numa comparação entre governos municipais (Solange x Mandiocão), está muito nítido que a Educação da atual gestão é inferior a Educação da gestão passada. Entretanto, nunca podemos esquecer que foi nessa gestão passada, que a Secretaria Municipal de Cultura foi transformada num departamento fictício da Secretaria de Educação, erro que a atual administração não corrigiu.

Fica muito nítido também, que a atual gestão é mais tecnicista, embora nós saibamos que o emprego de parentes é uma das coisas feias do governo Mandiocão, o que não deixou de acontecer na gestão anterior e acontece, inclusive, nos setores estaduais (Serrana V e Detran) que são gerenciados pelo deputado estadual Marcos Abrahão.

Se o governo Solange Almeida foi mais humanista – e realmente foi – esse humanismo em muitos momentos provocou sérias falhas e, às vezes, incontornáveis equívocos, hoje, reconhecidos pela então prefeita. Podemos pensar dessa maneira baseados no fato dela estar buscando novas lideranças e se aliando a pessoas novas, intelectuais, inclusive, defensoras da administração técnica, onde não cabe, por exemplo, o loteamento da Prefeitura.

Portanto, os debates políticos entre os internautas deveriam sair da esfera político partidária – onde não encontraremos nenhum santo – para ganhar profundidade, conteúdo e perder a cara de “lavagem de roupa suja” entre pessoas que, às vezes, nem se conhecem!

A todos um abraço e um bom debate, porque nós estamos discutindo o nosso futuro nos nossos próximos quatro ou oito anos!

É crime ser cidadão – realidade das cidades interioranas

Por Flávio Azevedo - Reflexões

Penso que Roberto DaMatta, no livro “A Casa & a Rua” (Editora Rocco), consegue explicitar bem o que eu, junto com muitos amigos venho pensando e debatendo, sobretudo quando a discussão tem como alvo os meandros sórdidos da política, onde reina o “farinha pouca, meu pirão primeiro”, os favores e a avidez popular por benefícios individuais e nunca os coletivos. Aliás, quem nunca foi atingido pela sensação do “larga isso pra lá, porque não tem jeito”? Mas aí entra a observação do antropólogo que consegue explicar o que, às vezes, parece inexplicável.

Segundo Roberto DaMatta, a sociedade brasileira se baseia nas RELAÇÕES e não na CIDADANIA (individual x coletivo). Pelo contrário, ser cidadão é feio e esse título, curiosamente, é atribuído aos marginais. Quando o indivíduo é preso, ele é apresentado da seguinte forma: “esse CIDADÃO foi pego em flagrante”. Se alguém está cometendo uma infração, a abordagem é a seguinte: “Oh CIDADÃO, você sabia que...”.

Porém, se o infrator é da relação de amigos, o policial que o surpreende cometendo o delito, se é que vai detê-lo, chegará à delegacia dizendo: “infelizmente... O meu amigo foi pego numa situação complicada... Mas ele é gente boa...”. Outro exemplo: se o meu amigo está cometendo um delito, a minha abordagem é baseada no afago, e é possível que o delinquente, para me atender – não a lei – deixe de cometer o delito. Uma realidade perversa que destrói totalmente o sentido de cidadania e de igualdade tão propalado, mas nunca executado.

O serviço público nunca é procurado sem antes um MEDIADOR ser consultado. O mediador é aquele cara que abre portas. Que vai colocar você na frente dos outros. Que vai adiantar o seu lado. Ele vende facilidade! É a figura do DESPACHANTE, que eu considero, sob o viés do texto de Roberto DaMatta, a institucionalização do “jeitinho” e até da possibilidade de burlar as leis e códigos civis.

Ou seja, se o Serviço Único de Saúde (SUS) não funciona, essa realidade é apenas para aqueles que não têm relações, porque quem conhece alguém, consegue liberar, e, com rapidez, exame, remédio, cirurgia, internação etc. O cidadão que entrou na fila, também é contribuinte, tem igual ou maior necessidade, mas por não ter relações não consegue o atendimento. Logo, quem foi beneficiado ficará em silêncio, porque para ele, aquilo que não funciona está ótimo, a final, para ele funcionou.

A reclamação só surgirá quando a ele for vedado o “entrar pela janela”. Isso geralmente acontece, quando existe uma troca de governo, onde quem entra tem outras relações. Traduzindo, “muda-se a mosca, mas a merda é a mesma”. Diante do novo cenário surgem os insatisfeitos, as denúncias... Que parte de gente que até recentemente dizia ser tudo muito bom. Agora, porém, embora a lógica seja a mesma, repentinamente tudo ficou ruim. Na verdade, ficou ruim porque o insatisfeito perdeu privilégios. Mas para quem tem relações no novo governo, tudo melhorou!

Existe, porém, outra possibilidade, geralmente pouco observada. É que passado algum tempo, aquele órfão de relações consegue estabelecer nova relações com o esse grupo hegemônico. Através dessas novas relações, ele volta a entrar pela janela, a passar na frente dos outros, e como que num passe de mágica, tudo aquilo que até ali era ruim e motivava a sua crítica ficará muito bom!

Rio Bonito/Marajó perde, em casa, para o Bradesco

Flávio Azevedo

Numa partida onde as goleiras, Aline e Marina, do Bradesco, se destacaram, o Rio Bonito/Marajó foi derrotado, dentro de casa, pelo placar de 6x4, em jogo válido pelo Campeonato Estadual de Futsal Feminino adulto. A partida aconteceu na noite do dia 28 de setembro, no Ginásio Antônio Figueiredo, no Rio Bonito Atlético Clube (RBAC). Para o Bradesco marcaram Joyce, Alessandra (2), Daniele (2) e Gisele. Para o Rio Bonito/Marajó marcaram: Larissa, Stella (2) e Jaqueline.

Desfalcado de Karen, que está servindo a Seleção Brasileira que vai disputar o Pan Americano de Guadalajara, no México, o Rio Bonito/Marajó não conseguiu vencer a marcação do Bradesco (foto 2) e ainda permitiu que as adversárias abusassem dos contra ataques.

Para o treinador Júlio César Freitas, o Cabeça, a equipe precisa se tranqüilizar, reencontrar o bom futebol e saber jogar com os desfalques. Para o treinador, a equipe perdeu a partida também porque não teve pegada e vibração.
– Estou começando a achar que a Karen realmente faz muita falta, porque elem da sua atuação tática, a presença dela, por ser uma atleta de Seleção Brasileira, tranqüiliza o nosso grupo e preocupa as adversárias. Mas hoje eu achei que as meninas deveriam ter mais pegada, vibrar mais, querer ganhar e elas reconheceram isso no vestiário – disse o treinador, destacando que a receita para conseguir os resultados positivos é treinar.

Sobre o visível abatimento de Stella, que no fim da partida demonstrou estar muito chateada com o resultado desfavorável a sua equipe, o treinador reconhece que ela se abate, é temperamental, tem alguns problemas com a arbitragem, mas ressalta que “é uma jogadora pronta, que se cobra muito, quando sai de quadra derrotada ela acha que decepcionou o torcedor, mas tem uma qualidade indiscutível e trata-se de uma atleta muito importante para nós”.

Bradesco reforçado

Mais uma vez destaque da partida, a goleira Aline, da equipe do Bradesco demonstra humildade na hora de comentar as suas atuações. De acordo com ela, a sua boa atuação é fruto do trabalho. Ela valorizou o resultado, frisando que vencer o Rio Bonito Marajó, dentro dos seus domínios não é fácil e lembrou que o Bradesco se reforçou e está com uma proposta diferente para essa competição.

No segundo tempo, contundida, Aline foi substituída, mas a goleira Marina, que entrou em seu lugar manteve o nível, contou com a sorte e com uma boa atuação garantiu a vitória do Bradesco. “Estamos trabalhando para continuar evoluindo, para alcançarmos as vitórias e quem sabe chegar a final e ao título”, comentou.

Questionada sobre o que mudou na equipe do Bradesco, a treinadora Priscila de Barros Ferreira destacou a mescla de atletas experientes com meninas mais novas. Ela também mencionou os reforços que o clube contratou e disse que está mudando o estilo de jogar do time.
– O que muda é que nós estamos tentando trazer para o nosso time, um pouco do jogo masculino, onde existe mais pegada e mais velocidade, porém, sempre de acordo com a necessidade do jogo. Estamos sempre buscando a perfeição, que é impossível, mas trabalhamos para chegar o mais próximo possível dessa almejada perfeição – ponderou.

Reforços

As atletas Joice Rodrigues (D) e Fabiane Primo (E) disputaram o Campeonato Carioca pelo Vasco da Gama, mas, agora, estão reforçando o Bradesco. Elas lamentaram o fato do Vasco não ter dado prosseguimento ao projeto do Futsal Feminino, mas demonstraram satisfação com o Bradesco, que, segundo elas, “oferece uma estrutura muito boa para os seus atletas dentro e fora de campo”.
– O Bradesco vai disputar a Taça Brasil e nós chegamos com a responsabilidade de ajudar a equipe nessas competições – disse Joyce que tem 27 anos, é professora de Educação Física e trabalha numa colônia de férias.

Analisando a partida, Fabiane disse que o entrosamento ainda não é dos melhores, mas acredita que com a boa estrutura que o Bradesco oferece e muito trabalho é possível alcançar os objetivos. “Prova disso demos hoje. Viemos aqui e vencemos a equipe campeã da última competição dentro da casa delas, o que não é tarefa fácil”, analisou a atleta que tem 23 anos, chama atenção pela sua beleza, trabalha numa empresa de terceirização e joga futsal desde os 13 anos.

Ficha Técnica:

O Bradesco entrou em quadra com Aline, Joice, Gisele, Alessandra e Daniele Almeida. Na suplência a treinadora Priscila contou com Paula, Daniele Barbosa, Fabiane, Marina e Gisiane. O preparador Físico da equipe é Leandro Nascimento.

O treinador Júlio César, do Rio Bonito/Marajó contou com Nathália, Mari, Stella, Teka e Larissa. Completam a equipe, Kerla, Andressa, Jaqueline, Samara e Deise. O preparador Físico é Rodrigo Barreto.

A arbitragem foi de Cláudio Fernando Lopes Silva, que atuou auxiliado por André Luis Carrasqueira Fonseca. A anotadora foi Patrícia Saldanha e o cronomestrista Gilson Gomes Teixeira.

Próximo compromisso

Na lanterna da competição, o Rio Bonito/Marajó tenta se reabilitar jogando fora de casa contra o Mackenzie, às 20h, do próximo dia 8 de outubro.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

O Analfabeto Político

Bertolt Brecht - Reflexões

"O pior analfabeto
É o analfabeto político,
Ele não ouve, não fala,
nem participa dos acontecimentos políticos.

Ele não sabe que o custo de vida,
o preço do feijão, do peixe, da farinha,
do aluguel, do sapato e do remédio
dependem das decisões políticas.

O analfabeto político
é tão burro que se orgulha
e estufa o peito dizendo
que odeia a política.

Não sabe o imbecil que,
da sua ignorância política
nasce a prostituta, o menor abandonado,
e o pior de todos os bandidos,
que é o político vigarista,
pilantra, corrupto e o lacaio
das empresas nacionais e multinacionais".

Você conhece alguém assim? Se conhece, cuidado! Ela está de posse de uma "arma de destruição em massa" chamada TÍTULO DE ELEITOR. Se no dia das eleições esse artefato não for bem manuseado, ele pode nos destruir pelos próximos por quatro anos!

Programação do Espaço Cultural Lona na Lua - Outubro e Novembro de 2011


10, 11, 17, 18 e 19 de Outubro – O Casamento de Dona Baratinha (Projeto Escola)
Cia. Quem Conta um Conto aumenta um Ponto - RJ

29 e 30 de outubro às 19h – Fefê e Pipoca contra Dom Sujão (Infantil)
Cia. Combi Teatro - RJ

12, 13, 19 e 20 de novembro às 20h – Pequenas Sagas Nordestinas
Cia. Círculo Teatral - RJ

26 e 27 de novembro às 20h – O Diário de uma pobre
Cia. Show de Cenas – Angra dos Reis

O Grupo Lona Na Lua foi selecionado para o "Grande Festival de Teatro Novas Cenas", promovido pela Secretaria de Cultura do Estado do RJ, que este ano homenageia o escritor Martins Pena. Estaremos apresentando o espetáculo "Quem casa quer casa" durante o festival, de 3 a 6 de Novembro no Teatro Laura Alvim, em Ipanema. Em breve voltaremos com produções próprias em nosso Espaço Cultural. Aguardem!

Emes realiza projeto “Cidadania, Justiça e Saúde”

Denilson Santos

Os alunos do Espaço Municipal de Ensino Supletivo (Emes) realizaram na última quarta-feira (28), na Praça Fonseca Portela, no Centro de Rio Bonito, do Projeto Cidadania, Justiça e Saúde realizado entre às 13h e 17h. Os professores montaram estandes com os trabalhos elaborados pelos cerca de mil alunos da instituição. Os trabalhos ficaram expostos durante o evento. Os temas trabalhados durante esse bimestre foram o Estatuto do Idoso, o Estatuto da Criança e do Adolescentes (ECA) e a Lei Maria da Penha.

Durante o evento, que contou com a participação de representantes da secretaria de Educação e Cultura, a advogada Patrícia Nunes de Paula prestou esclarecimentos sobre o estatuto do Idoso e o ECA. Além disso, foram realizadas oficinas de brinquedos para as crianças e atividades culturais para os idosos, em parceria com a Escola Municipal de Ensino Médio Dr. Márcio Duílio Pinto.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Prefeitura reforma e amplia escolas municipais

Flávio Azevedo

Com objetivo de oferecer conforto e melhores condições aos alunos e professores da rede pública municipal, as Secretarias Municipais de Educação e Cultura (Semec) e de Obras e Serviços Públicos (Semosp) estão realizando obras de reforma, recuperação e ampliação em várias escolas do município, sobretudo nas unidades mais distantes do Centro.

O programa, que tem um investimento de cerca de R$ 70 mil, já realizou obras nas escolas Claudionor José da Rosa, em Tomascar; Jardim da Infância Barão do Rio Branco (Barãozinho), no Centro; Dário Alonso Gonçalves Júnior, na Colina da Primavera (foto); e Governador Roberto Silveira, na Vertente. As unidades ganharam pintura, novo telhado, ampliação de salas e revisão na parte elétrica e hidráulica.

Também foi reformada e ampliada a escola Municipal Rômulo Tude, no Boqueirão. A unidade ganhou três novas salas de educação infantil, almoxarifado, pintura, novo telhado e revisão na parte elétrica e hidráulica. A obra beneficiou diretamente os 210 alunos que estudam no local.

Obras similares estarão sendo realizadas nas escolas Dário Alonso Gonçalves Júnior, na Colina da Primavera, que está sendo totalmente reformada. As próximas unidades a receber melhorias são Santo Lourenço, em Lavras; e Francisco Alves de Mendonça, no Rio Mole (2º Distrito).